Ir para o conteúdo DAG Ir para o menu DAG Ir para a busca no site DAG Ir para o rodapé DAG
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 139 A Catedral Diocesana em 1974



Audiodescrição da Imagem: Fotografia vertical em preto e branco da fachada de uma catedral em uma região urbanizada. A catedral é reta e alta, com dois andares e duas torres sineiras nas laterais. No primeiro andar há três portas e duas janelas. A porta principal, ao centro, é retangular, larga e de duas folhas, com a direita aberta, por onde se vê um breu. As portas nas laterais, uma de cada lado, também em duas folhas, têm a mesma altura que a principal, porém mais estreitas e com a parte superior arcada. Após, nas extremidades, dois vitrais de mesma largura que as portas laterais, de formato vertical e com a parte superior arcada. Já no segundo andar, os cinco vitrais têm a mesma largura, altura e arcada dos vitrais de baixo. Após o segundo andar estão as duas torres, uma de cada lado da fachada, com formato retangular na vertical, decoradas por arcadas, campanários, pilastras, capiteis e uma pequena cúpula ovalada no topo, com uma cruz acima. Na torre esquerda, pouco após o segundo andar, um relógio arredondado de ponteiros marca dez horas e um minuto; enquanto na direita, um vitral, de mesmo tamanho e formato do relógio. Entre as torres, um frontão de telhado em forma triangular, cuja fachada reflete o brilho do sol. Na extremidade superior do telhado, a estátua de uma mulher em pé, de frente e com vestes longas, a Imaculada Conceição, sobre um pedestal. Toda a arquitetura da catedral é monumental e suntuosa, com elementos predominantemente barrocos e neoclássicos. Seis pilastras frisadas fundem-se à fachada, de baixo até em cima, sendo que as duas em cada extremidade delineiam as torres até as cúpulas. Nos cinco vãos entre elas encontram-se as portas e janelas de cada andar. Capitéis, ábacos e arquitraves decoram cada uma das pilastras, na divisa do primeiro para o segundo andar e deste para as torres. Acima das portas há vitrais, quadrados sobre as portas laterais e retangular sobre a central. E todos os vitrais possuem finas linhas brancas horizontais e paralelas que sobrepõem-se as imagens. No chão, à frente da catedral, uma escada de quatro degraus para cima, com acesso às portas principais, junto a uma calçada onde caminham sete pessoas minúsculas em comparação ao tamanho da igreja. Mais à frente, uma avenida com pavimento de asfalto, onde nove carros encontram-se estacionados, dispostos em diferentes posições, dos quais só aparecem os tetos. À esquerda da igreja, um grande pinheiro encobre a fachada de uma residência de paredes claras e com grades de ferro na frente. E no lado direito, metade da copa de uma árvore encobre uma parte lateral de um prédio de paredes claras. Mais à direita, um canteiro central que divide a avenida em duas vias com uma estátua de pedra escura, em pé e de costas, de um santo com capa longa aos ombros, sobre um suporte de pedra clara. Acima, o céu claro e sem nuvens. Audiodescritora Roteirista: Paula Colpo Appolinario Audiodescritor Consultor: Cristian Sehnem

Em abril de 1902 uma comissão formada por autoridades de Santa Maria assumiu a construção de uma nova igreja na cidade, liderados por Caetano Pagliuca, Pároco da Igreja Nossa Senhora da Conceição. No ano seguinte iniciaram-se as obras com base na planta de autoria de Francisco Dupras. Em 1905 foi instalada a cumeeira que foi celebrada com uma missa campal, churrasco, shows, desfile e apresentações teatrais, oferecida a comunidade para arrecadação de verbas. A inauguração da Igreja Matriz ocorreu sete anos após o início da sua construção, em 8 de dezembro de 1909, sendo gasto o valor de 150:000$000 (cento e cinquenta mil contos de réis). O relógio da torre, o altar lateral, as telhas, o madeiramento de louro, as portas, o presépio e as imagens religiosas foram doações de famílias santa-marienses.  

Texto: Katia Moreira, Acadêmica do curso de Jornalismo da UFSM

Audiodescrição da Imagem: Fotografia vertical em preto e branco da fachada de uma catedral em uma região urbanizada. A catedral é reta e alta, com dois andares e duas torres sineiras nas laterais. No primeiro andar há três portas e duas janelas. A porta principal, ao centro, é retangular, larga e de duas folhas, com a direita aberta, por onde se vê um breu. As portas nas laterais, uma de cada lado, também em duas folhas, têm a mesma altura que a principal, porém mais estreitas e com a parte superior arcada. Após, nas extremidades, dois vitrais de mesma largura que as portas laterais, de formato vertical e com a parte superior arcada. Já no segundo andar, os cinco vitrais têm a mesma largura, altura e arcada dos vitrais de baixo. Após o segundo andar estão as duas torres, uma de cada lado da fachada, com formato retangular na vertical, decoradas por arcadas, campanários, pilastras, capiteis e uma pequena cúpula ovalada no topo, com uma cruz acima. Na torre esquerda, pouco após o segundo andar, um relógio arredondado de ponteiros marca dez horas e um minuto; enquanto na direita, um vitral, de mesmo tamanho e formato do relógio. Entre as torres, um frontão de telhado em forma triangular, cuja fachada reflete o brilho do sol. Na extremidade superior do telhado, a estátua de uma mulher em pé, de frente e com vestes longas, a Imaculada Conceição, sobre um pedestal. Toda a arquitetura da catedral é monumental e suntuosa, com elementos predominantemente barrocos e neoclássicos. Seis pilastras frisadas fundem-se à fachada, de baixo até em cima, sendo que as duas em cada extremidade delineiam as torres até as cúpulas. Nos cinco vãos entre elas encontram-se as portas e janelas de cada andar. Capitéis, ábacos e arquitraves decoram cada uma das pilastras, na divisa do primeiro para o segundo andar e deste para as torres. Acima das portas há vitrais, quadrados sobre as portas laterais e retangular sobre a central. E todos os vitrais possuem finas linhas brancas horizontais e paralelas que sobrepõem-se as imagens. No chão, à frente da catedral, uma escada de quatro degraus para cima, com acesso às portas principais, junto a uma calçada onde caminham sete pessoas minúsculas em comparação ao tamanho da igreja. Mais à frente, uma avenida com pavimento de asfalto, onde nove carros encontram-se estacionados, dispostos em diferentes posições, dos quais só aparecem os tetos. À esquerda da igreja, um grande pinheiro encobre a fachada de uma residência de paredes claras e com grades de ferro na frente. E no lado direito, metade da copa de uma árvore encobre uma parte lateral de um prédio de paredes claras. Mais à direita, um canteiro central que divide a avenida em duas vias com uma estátua de pedra escura, em pé e de costas, de um santo com capa longa aos ombros, sobre um suporte de pedra clara. Acima, o céu claro e sem nuvens.

Audiodescritora Roteirista: Paula Colpo Appolinario
Audiodescritor Consultor: Cristian Sehnem

Artigo em Libras

Publicações Recentes