Ir para o conteúdo DAG Ir para o menu DAG Ir para a busca no site DAG Ir para o rodapé DAG
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 203 Cidade dos Meninos em 1967



Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal, em preto e branco da fachada do prédio da Cidade dos Meninos. A fachada tem dois andares e um sótão e é pintada de um tom claro. Cada andar tem vinte e sete janelas e uma porta ao centro. As janelas são largas, de madeira de tom escuro, estão com as venezianas abertas e tem dezesseis quadrados de vidro contornados por madeira. As portas são largas, de madeira de tom escuro, com partes em vidro. No andar térreo, acima da porta, um vitral em semicírculo, com divisórias em madeira. Um alpendre cobre a porta e uma escada com seis degraus feita de tijolos aparentes. Em frente à escada, quatro pilares sustentam três arcos de tijolos aparentes. Em frente à porta, dois homens, um deles é padre, e duas mulheres em pé. No andar superior, em frente à porta, uma sacada de madeira de tom claro, vazada, com largura maior do que a da porta. Acima do andar superior, centralizado, o sótão, com uma pequena janela ao centro. O telhado é escuro, de duas águas, com telhas francesas. Centralizada no telhado, uma estátua de Jesus com os braços abertos de mármore claro. Em frente ao prédio, em um gramado, três homens, um deles é padre, e vinte e uma crianças caminham. Uma rua larga de paralelepípedos conduz ao prédio. Ao lado esquerdo da rua, grama alta com onze árvores pequenas de troncos finos e poucas folhas. Ao lado direito, grama alta e três postes de luz. Ao fundo do prédio, três cerros cobertos por vegetação. Céu claro.

Audiodescritora Roteirista: Cristina Strohschoen dos Santos
Audiodescritora Consultora: Fernanda Taschetto

A Cidade dos Meninos foi fundada em agosto de 1943 pelo Padre João Pedrão, sacerdote da Diocese de Santa Maria. Recebia menores delinquentes da cidade e região, dando assistência a crianças carentes. Em 1947 foi entregue aos cuidados da congregação dos Padres Servos da Caridade. O Colégio era mantido mediante a comercialização de trabalhos artesanais em cerâmica produzidos pelos meninos, por doações e por meio de um convênio com a Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor (FEBEM). A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) realizava um projeto de extensão na instituição promovendo assistência médica e odontológica aos meninos. Os cursos de Fisioterapia e Enfermagem também davam assistência às crianças. Em 1967 o Instituto de Higiene realizava uma visita ao local. Em dezembro de 2003 a Cidade fechou suas portas por problemas financeiros trazendo fim ao trabalho de mais de 50 anos dos Padres.

Texto: Miguel Damasceno, acadêmico do 6°semestre do Curso de Letras/Português – Licenciatura da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal, em preto e branco da fachada do prédio da Cidade dos Meninos. A fachada tem dois andares e um sótão e é pintada de um tom claro. Cada andar tem vinte e sete janelas e uma porta ao centro. As janelas são largas, de madeira de tom escuro, estão com as venezianas abertas e tem dezesseis quadrados de vidro contornados por madeira. As portas são largas, de madeira de tom escuro, com partes em vidro. No andar térreo, acima da porta, um vitral em semicírculo, com divisórias em madeira. Um alpendre cobre a porta e uma escada com seis degraus feita de tijolos aparentes. Em frente à escada, quatro pilares sustentam três arcos de tijolos aparentes. Em frente à porta, dois homens, um deles é padre, e duas mulheres em pé. No andar superior, em frente à porta, uma sacada de madeira de tom claro, vazada, com largura maior do que a da porta. Acima do andar superior, centralizado, o sótão, com uma pequena janela ao centro. O telhado é escuro, de duas águas, com telhas francesas. Centralizada no telhado, uma estátua de Jesus com os braços abertos de mármore claro. Em frente ao prédio, em um gramado, três homens, um deles é padre, e vinte e uma crianças caminham. Uma rua larga de paralelepípedos conduz ao prédio. Ao lado esquerdo da rua, grama alta com onze árvores pequenas de troncos finos e poucas folhas. Ao lado direito, grama alta e três postes de luz. Ao fundo do prédio, três cerros cobertos por vegetação. Céu claro.

 

Audiodescritora Roteirista: Cristina Strohschoen dos Santos

Audiodescritora Consultora: Fernanda Taschetto


Publicações Recentes