Ir para o conteúdo PET Sistemas de Informação Ir para o menu PET Sistemas de Informação Ir para a busca no site PET Sistemas de Informação Ir para o rodapé PET Sistemas de Informação
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

AutoHotkey



Opa, e aí pessoas, tudo bem?

No PET Redação dessa semana falaremos sobre o AutoHotkey, uma linguagem de automação, gratuita, de código aberto, exclusiva para Windows e baseada em C++, que tem como proposito nos ajudar nas tarefas do cotidiano com rapidez e facilidade, criando dos menores aos mais complexos scripts.

Primeiro de tudo, é interessante começarmos com os recursos oferecidos, possuindo uma gama de possibilidades ele é capaz de:

Remapear o teclado com intuito de mudar o layout ou trocando as funções das teclas.

Usar HotStrings para digitar frases através de atalhos no teclado. 

Usar HotKeys para abrir programas, documentos e sites com uma simples combinação de teclas.

Criar Interfaces Gráficas de Usuário (GUI’s) facilmente.

Fechar ou abrir programas através de monitoramento com script caso o arquivo se feche ou se abra sozinho.

Agendamento de atividades como backup, verificação ou gerar um lembrete com timer.

Possui também diversas bibliotecas para desenhar, gerar sons, aritméticas, controle e emulação de teclado e mouse. Que podem ser obtidos exemplos no ScriptShowcase da AutoHotkey.

 

 

INSTALAÇÃO:

A instalação dessa ferramenta é fácil, por ser em Windows basta você baixar através da página do AutoHotkey clicando no botão de Download. E selecionar a versão que preferir, no entanto é recomendado que baixe a versão atual por ser mais estável e possuir mais recursos.

Obs: Caso haja algum problema na hora de instalação, basta seguir o tutorial fornecido pelos próprios desenvolvedores.

CRIANDO O PRIMEIRO SCRIPT:

Após instalar, você deverá escolher onde irá criar seu primeiro script e seguir os seguintes passos.

Clicar com o botão direito do mouse > Novo > AutoHotkey Script

 E irá surgir um documento de extensão “.ahk”.

Dentro do arquivo terão algumas sugestões para a melhoria da performance do seu script e para seu primeiro contato eu separei duas formas distintas para demonstrar a facilidade e poder de uso da linguagem, um que cria uma caixa de mensagem e outro que abre o bloco de notas (ou o programa que você desejar) e escreve, ambos com o famoso “Hello world”.

Feito isso, é só salvar e executar os arquivos para rodar os scripts!

COMPILANDO E PROTEGENDO SEU CÓDIGO:

Para a distribuição para terceiros é aconselhável compilar o código para que se torne apenas um arquivo executável. Para isso devemos clicar com o botão direito encima do arquivo “.ahk” e depois em Compile Script.

Deixando assim o seu código oculto para quem for utilizar o seu script.

Agora é só estudar a sintaxe através da documentação fornecida pelo AutoHotkey, deixar a imaginação fluir e começar a automatizar suas tarefas do cotidiano e até mesmo ações nos jogos. Bons estudos e boas automações!!

 

                                                                                                                              Matheus Garcia Escobar

 


Publicações Recentes