Ir para o conteúdo PRE Ir para o menu PRE Ir para a busca no site PRE Ir para o rodapé PRE
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Hospitais vinculados às instituições do Forproex Sul ampliam seus serviços para atender pacientes com covid-19



Hospitais universitários vinculados às instituições de ensino superior integrantes da Regional Sul do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras (FORPROEX) adotaram medidas de ampliação de seus serviços para o atendimento de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus.

Ao menos 11 instituições da Regional Sul do FORPROEX, que integra universidades e instituições de ensino superior da região sul do Brasil, iniciaram a assistência remota por telefone ou internet: cinco do Rio Grande do Sul (UFSM, FURG, UFPEL, UFRGS e UFCSPA), uma de Santa Catarina (UFSC) e cinco do Paraná (UEPG, UEM, UEL, UFPR e UNIOESTE).

No Rio Grande do Sul, a UNIPAMPA, em Bagé em parceria com a prefeitura municipal, com a Urcamp, com o Hospital Universitário Doutor Mário Araújo e com o Exército Brasileiro— , instalou um Hospital de Campanha adaptado, no Ginásio Corujão, para atender possíveis aumentos da demanda, decorrentes do novo coronavírus, na rede de saúde. O campus de Uruguaiana também está integrado ao Centro de Operações Especiais do Coronavírus (COE-Corona), instalado no Hospital Santa Casa de Uruguaiana. O centro é responsável por elaborar fluxos e protocolos de vigilância, assistência e laboratório de forma a não só ampliar o potencial de resposta contra a covid-19, mas também subsidiar os gestores com informações técnicas sobre o assunto. Já estão em desenvolvimento ações para informar e orientar a população, como o projeto Alô Corona (central telefônica para dúvidas da população sobre a doença) e a criação do Plano de Contenção para Coronavírus, o“Covid-19: ações para o sistema prisional”.

UFCSPA, instituição que possui convênio com a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, também atua no atendimento de casos do novo coronavírus. O hospital lançou uma campanha, no fim do mês de março, para arrecadar doações em busca da ampliação para 80 leitos, que serão usados por pacientes com o novo coronavírus. As doações podem ser feitas por meio de depósito bancário:

Banco Banrisul | Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre

CNPJ 92.815.000/0001-68.

Agência: 0062

Conta: 06040000-98

A UFSM aumentará a capacidade de atendimento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). As obras, que estavam paradas desde 2019, foram retomadas na última semana. O prazo inicial dado pela empresa vencedora da licitação era de oito meses para a conclusão dos serviços, porém, por conta da pandemia, esse prazo foi reduzido à metade, com a previsão de finalização em até 120 dias. A meta inicial é preparar a estrutura para liberar 10 leitos em até 60 dias. Após a conclusão das obras, o HUSM terá capacidade para 50 novos leitos.

Em Rio Grande, o Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr — o HU da FURG — é referência na cidade de Rio Grande no atendimento de casos do novo coronavírus. O hospital reorganizou sua infraestrutura para internar ou dar atendimento aos pacientes encaminhados em estado grave ou que necessitem de cuidados intensivos. O Serviço de Pronto Atendimento (SPA) foi dividido em duas áreas, a Área Covid-19, exclusiva para pacientes com sintomas respiratórios; e a área para os atendimentos de urgência – Traumatologia, Pediatria, Obstetrícia e Avaliações Cirúrgicas. A Área Covid-19 conta com seis leitos de enfermaria, dois leitos de isolamento com suporte intensivo e um leito da UTI Geral, totalizando nove leitos com capacidade de operar ventiladores mecânicos. Atualmente, o HU-FURG aguarda o envio de materiais, pelo Ministério da Saúde, para equipar e ampliar leitos de atendimento da covid-19 em suas instalações — de 30 para 47 leitos.

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), vinculado à UFRGS, tem trabalhado, nas últimas semanas, na ampliação e adequação para atender os pacientes graves da covid-19. Além de dez novos leitos de terapia intensiva estarem em funcionamento emergencial na área da Sala de Recuperação do Centro Cirúrgico, um novo Centro de Terapia Intensiva (CTI) está sendo implantado no Bloco B, prédio recém-concluído do Clínicas, com capacidade para 105 leitos. Para atender a tempo os pacientes de alta complexidade da doença, o hospital mobilizou gestores e técnicos para o desenvolvimento de projetos. Muitos deles contam com a aptidão acadêmica de professores da UFRGS, que atuam diretamente no hospital.

O Hospital Escola da UFPEL, referência para o município de Pelotas no tratamento de pacientes infectados com o novo coronavírus, reorganizou sua estrutura assistencial, administrativa e educacional para atender à situação emergencial da pandemia. A principal medida foi a criação de uma unidade específica e isolada para os pacientes infectados com 23 leitos e a formação de uma equipe treinada e exclusiva para o atendimento desta ala. O terceiro andar do hospital – localizado em parte anexa à Santa Casa, onde eram as enfermarias da Clínica Cirúrgica – foi desocupado para dar lugar aos espaços usados pelas equipes que atendem os casos de covid-19.

No Paraná, o Complexo Hospital das Clínicas (CHC) da UFPR se adaptou para também atuar no atendimento de casos suspeitos da covid-19. Triagens de pacientes são realizadas em tendas que foram instaladas pelo Exército na frente dos dois principais acessos ao hospital, por médicos do Serviço de Pneumologia do CHC, para verificar sintomas de infecção pelo novo coronavírus. Quando a triagem não identifica sinais da doença, o paciente é liberado para se deslocar ao setor desejado. Caso apresente sintomas, seguirá o protocolo do hospital para covid-19.

Além dos profissionais do quadro do CHC, atualmente o hospital recebe o reforço de professores da UFPR, das áreas da saúde.

O Hospital Universitário da UEPG recebeu, da 3ª Regional de Saúde, dez conjuntos de equipamentos para leitos de tratamento intensivo (UTI). Os equipamentos foram encaminhados a pedido da Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, como parte de uma ação de planejamento para o combate ao coronavírus. Com a chegada dos equipamentos, foi possível montar dez novos leitos para atendimento a pacientes críticos. Estes leitos estão em um andar isolado do hospital, destinado exclusivamente para o atendimento de casos de covid-19. Neste espaço, também estão disponíveis leitos clínicos, para atendimento a casos moderados.

O Hospital Universitário de Londrina, da UEL, é referência para o enfrentamento do coronavírus durante a pandemia na cidade. Segundo o documento, o HU conta com 297 leitos e está ativando outros 36. Deste total, 10 já estão em pleno funcionamento. Existem ainda 40 em retaguarda para atendimento exclusivo do novo coronavírus, em consonância ao Plano de Contingência estabelecido pela Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa). Um Hospital de Campanha também será construído, com o auxílio da UEL, para uso exclusivo de pacientes com coronavírus, durante os próximos quatro meses.

O Hospital Regional Universitário de Maringá, da UEM, é um centro de referência para o tratamento de casos agravantes do coronavírus em Maringá e na região. Pacientes que chegarem ao HUM com qualquer sinal de desconforto respiratório são atendidos na Unidade de Agravos Respiratórios, criada no ambulatório de especialidades. Uma tenda foi montada para orientar o paciente a se dirigir ao pronto atendimento adequado à sua queixa, o geral ou o respiratório, tarefa de responsabilidade de alunos voluntários de enfermagem e medicina. A nova unidade é equipada com leitos para atendimento de emergência e internação dos pacientes com indicação. Após avaliação, pacientes que não precisarem de hospitalização serão encaminhados para tratamento e isolamento domiciliar. O hospital conta com poucos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No entanto a Secretaria do Estado de Saúde (SESA) está estudando a possibilidade de implantação de mais 30 leitos na enfermaria e 10 de UTI’s.

O Hospital Universitário do Oeste do Paraná – o HUOP UNIOESTE – tem à disposição dez leitos de UTI e 20 leitos de enfermaria em uma ala dedicada ao tratamento de pacientes suspeitos ou confirmados do novo Coronavírus. Já existe uma segunda rodada de negociação com o Governo do Estado do Paraná, para aquisição de equipamentos para ampliação da capacidade para mais 20 leitos de UTI destinados exclusivamente para o tratamento da Covid-19.

Em Santa Catarina, o Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago — o HU-UFSC orienta a população para que, antes de se deslocar ao hospital, busque o atendimento por telefone (atendimento pré-clínico), disponibilizado pela órgãos de saúde públicos onde reside, ou siga as recomendações dos mesmos, caso esse atendimento não exista. Estes serviços orientam a população quanto à necessidade de seu deslocamento e sobre quando se torna necessário procurar um Centro de Saúde, uma Unidade de Pronto Atendimento ou um hospital. O ofício do HU-UFSC destaca que os “hospitais são responsáveis pelo atendimento de pacientes que necessitam de internação, inclusive em UTI, por isso, é importante que a população busque o hospital apenas quando for necessário”.

O FORPROEX reúne, anualmente, pró-reitores, diretores e coordenadores de Extensão de todas as instituições de ensino superior do Brasil, em conferências e mesas de debate abertas ao público. O FORPROEX Sul congrega as instituições de ensino superior (federais, estaduais e municipais) dos três estados da Região Sul: Paraná, com sete instituições estaduais (UEL, UEM, UNESPAR, UEPG, UNICENTRO, UENP, UNIOESTE), três federais (UFPR, UTFPR e UNILA) e um IF (IFPR); Santa Catarina, com uma estadual (UDESC), dois IF (IFSC e IFC), uma municipal (FURB) e duas federais (UFSC e UFFS); e Rio Grande do Sul, com uma estadual (UERGS), três IFs (IFFar, IFSul, IFRs) e seis federais (UFSM, UFRGS, UFPEL, FURG, UFCSPA, UNIPAMPA).

A gestão 2019-2020 da Regional Sul do FORPROEX tem como coordenador Flavi Ferreira Lisbôa Filho, atual Pró-Reitor de Extensão da UFSM, e como vice coordenadora Simone Castanho, atual Pró-Reitora de Extensão e Cultura da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP).



Texto: Rubens Guilherme Santos/Pró-Reitoria de Extensão

Revisão: Erica Medeiros/Pró-Reitoria de Extensão


Publicações Recentes