Ir para o conteúdo PRE Ir para o menu PRE Ir para a busca no site PRE Ir para o rodapé PRE
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Instituições do FORPROEX Sul contribuem com a produção de máscaras de tecido para combate e prevenção da Covid-19



As máscaras de tecido se apresentam como mais uma alternativa para a proteção da população nesta pandemia causada pelo novo coronavírus, principalmente por conta de sua maior durabilidade em relação às máscaras descartáveis. Pensando nisso, instituições de ensino superior — integrantes da Regional Sul do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras (FORPROEX)— iniciaram a produção e a orientação para o uso de máscaras de tecido.

Ao menos 16 instituições da Regional Sul do FORPROEX, que integra universidades e instituições de ensino superior da região sul do Brasil, criaram iniciativas para a produção de máscaras de tecido: nove do Rio Grande do Sul (UFSM, UFPEL, UFRGS, UERGS, UNIPAMPA, IFFAR, IFSUL, IFRS e FURG), uma de Santa Catarina (UFSC) e seis do Paraná (UFPR, UENP, UEL, IFPR, UEM e UNICENTRO).

Foto: UFSM/ Divulgação

No Rio Grande do Sul, servidores e voluntários da UFSM trabalham na confecção de máscaras artesanais de tecido para a comunidade acadêmica. As máscaras artesanais serão distribuídas para os servidores da universidade que retornarão às atividades dentro da Instituição e necessitarão da proteção para desempenhar suas ações. Servidores, alunos e voluntários da Pró-Reitoria de Extensão, do Centro de Artes e Letras, da Proplan, do Colégio Técnico Industrial de Santa Maria e da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas estão envolvidos na produção das máscaras, que são confeccionadas com materiais adquiridos através de recursos próprios da UFSM. Por enquanto, não há previsão para entrega das máscaras, mas,provavelmente, a distribuição acontecerá com a volta das atividades presenciais da UFSM. Para receber a máscara, cada pessoa deverá fazer a doação de um quilo de alimento não perecível, que será destinado ao Banco de Alimentos de Santa Maria. A troca será realizada através do sistema drive thru, ou seja, não há a necessidade de as pessoas saírem do carro para que a entrega dos produtos seja feita.

Na UFPEL, um grupo de voluntários atua em uma frente de trabalho na produção não apenas de equipamentos de proteção individual (EPI’s), como também de máscaras de tecido. A produção foi feita por costureiras que confeccionaram cerca de 170 máscaras de tecido,destinadas aos trabalhadores terceirizados da instituição.

No IFRS, precisamente nas cidades de Pelotas e Canguçu, um projeto de confecção de máscaras de barreira em TNT estima a produção de mais de seis mil máscaras para ambos os municípios. O primeiro lote foi doado à 3ª Coordenadoria Regional de Saúde e o segundo foi doado ao Banco de Alimentos de Canguçu, para arrecadação de alimentos em troca de máscaras para a população. Em Canguçu, a ação conta com o grupo de voluntários “Máscaras do Bem” e, em Pelotas,servidoras do IFRS são voluntárias na confecção. Em Rio Grande, o professor Serguei Nogueira da Silva procura parceiros para replicar o projeto. Inicialmente, faz-se necessária a adesão de voluntários que possuam máquinas de costura para auxiliar na confecção. Os contatos iniciais podem ser feitos com os professores, através dos e-mails:betania.vargas@riogrande.ifrs.edu.br ou serguei.silva@riogrande.ifrs.edu.br. Os interessados em se voluntariar não precisam ter nenhum vínculo com o IFRS ou experiência prévia, mas servidores interessados e seus familiares são muito bem-vindos. Betânia Vargas Oliveira, professora do IFRS, disponibilizou um tutorial que mostra o passo a passo para se confeccionar, em casa, máscaras de barreira. O tutorial possui, ainda, moldes com três tamanhos de máscaras (P, M e G)— que já estão em escala adequada para impressão — e fornece dicas de cuidados para esterilização e acondicionamento das máscaras. Para visualizar o tutorial, acesse o link.

Imagem: Divulgação IFFAR

O Campus São Borja do IFFAR vai desenvolver uma Prática Integrada (PI) para os estudantes de todos os cursos ofertados na unidade. Nesta prática, os alunos encontram informações e orientações sobre a produção de máscaras caseiras seguras para proteção contra a Covid-19. A PI intitulada Máscaras Caseiras Seguras é uma Proposta de Intervenção que surgiu devido à disseminação do novo coronavírus, elaborada pelos membros do Núcleo de Gênero e Diversidade Sexual (NUGEDIS). Nessa prática integrada, será abordado o modelo correto e mais eficiente de máscara caseira. Para conferir os materiais da prática integrada, acesse o link.

Além disso, como a pauta mundial é o combate àCovid-19, o coletivo Elas por Elas São Borja, formado por um grupo de mulheres empenhadas em auxiliar a comunidade na superaração de problemas causados pela expressão de gênero, está organizando a confecção e a distribuição de 1000 máscaras caseiras seguras, produzidas a partir do protótipo desenvolvido pela UFSC.
As máscaras estão em fase de produção —cerca de 15 costureiras solidárias, entre elas servidoras e alunas do IFFAR de São Borja, estão doando seu tempo para confecção desse equipamento de proteção individual. O IFFAR doou o material necessário para incluir um filtro já na máscara, um filtro extra para cada uma delas e, ainda,a impressão das instruções de uso, higienização, reuso e descarte seguro das máscaras caseiras.
As doações já começaram a ser feitas para alguns, especialmente para aqueles que estão na linha de frente e não têm encontrado as máscaras no comércio da cidade — como voluntários que têm oferecido almoços solidários. O coletivo Elas por Elas São Borja pretende que, até domingo (09), todas as máscaras já estejam esterilizadas, embaladas, etiquetadas e prontas para a distribuição. Algumas das entidades que serão beneficiadas com a ação são a ONG Girassol – amigos da diversidade e a Liga de Combate ao câncer de São Borja, além disso o grupo planeja uma ação para trocar algumas unidades das máscaras por produtos de higiene pessoal, que serão distribuídos para pessoas carentes do município.

Na UERGS, várias Unidades Universitárias estão engajadas na produção e na doação de máscaras. Em São Luiz Gonzaga, estudantes do Curso de Pedagogia e seus familiares— através do projeto “Pedagogia em ação contra a Covid-19: confecção de máscaras artesanais”—confeccionaram máscaras para profissionais da área da saúde que se encontram na linha de frente tanto no município quanto na região das Missões. Uma campanha de conscientização intitulada “Faça a sua Parte – Todos de Máscaras” também está sendo realizada pelos acadêmicos de São Luiz Gonzaga, a fim de fomentar a importância do uso da máscara quando houver a necessidade se sair à rua. A Unidade em Bento Gonçalves está realizando uma campanha para o uso de máscaras caseiras no combate à Covid-19 através do projeto “Máscaras para Todos”. Professores e funcionários doarão máscaras, produzidas por artesãs do município, para entidades que necessitarem do equipamento de proteção. Nas redes sociais da Unidade, também estão sendo feitas postagens informativas sobre a utilização segura do equipamento. A Profa. Gabrielli Teresa GadensMarcon, através de seu canal no Youtube e do projeto “Dicas de Prevenção COVID – 19”, posta vídeos com dicas de prevenção do coronavírus e vídeos sobre o uso de máscaras sociais. A Unidade em Três Passos, através do projeto “Uso de máscara caseira: faça também a sua”, está publicando, nas redes sociais (Facebook, Instagram, Jornal Metamorfose da UERGS), informações acerca do uso e da confecção de máscaras caseiras. Na Unidade em Tapes, o projeto “Confecção de Máscaras com tecido lavável e TNT” recebeu doações de tecido, TNT (utilizado como forro), elástico e mão de obra. As normas de cuidado com as máscaras foram impressas e entregues junto com as mesmas. O projeto recebeu, ainda, doação em espécie para a compra de material. A entrega das máscaras, realizada pelo Centrode Arrecadação e Doações da Prefeitura de Tapes, beneficiou pessoas carentes do município. Na Unidade em Porto Alegre, o projeto “Doando máscaras: todos protegidos contra a Covid-19”, que recebeu doações de tecidos, linhas e elásticos, está unindo esforços com costureiras voluntárias para confeccionar máscaras de tecido que serão doadas para a comunidade (Agronomia, Lomba do Pinheiro) do entorno da Unidade.

Na FURG, em São Lourenço do Sul, o projeto “Fazendo o Bem Não Importa a Quem” é responsável por confeccionar e distribuir máscaras em troca de um quilo de alimento não perecível, o qual será destinado para instituições e famílias necessitadas. O projeto conta com cinco pessoas contratadas pela universidade, 20 voluntários oriundos da Escola Santo Molde e uma voluntária estudante do curso de Educação do Campo, a qual auxilia nas trocas, nos cortes de tecidos e na divulgação da iniciativa nas redes sociais. Para colaborar com o projeto e obter a sua máscara, é necessário levar um quilo de alimento não perecível até a Escola de Costura e Modelagem Santo Molde, localizada na Rua General Osório, número 1743, no município de São Lourenço do Sul, com funcionamento de segunda a sexta, das 14h às 17. O projeto está recebendo doação de alimentos, elásticos, tecidos e linhas para contribuir com as produções em andamento. Para ajudar na captação de donativos de maneira dinâmica, foi disponibilizado um canal de comunicação por meio do aplicativo Whatsapp: (53) 991650370.

Na UFRGS, uma equipe com cerca de 20 integrantes do projeto “Universidade Aberta para Pessoas Idosas”, Unapi, também contribui com a produção de máscaras de tecido reutilizáveis. Os materiais estão sendo doados a projetos sociais de Porto Alegre e a servidores que trabalham em atividades que seguem em funcionamento na Universidade durante o período de distanciamento social. A ação, que foi coordenada pela Pró-Reitoria de Extensão, contou com o apoio da Coordenadoria de Segurança para a coleta das máscaras na casa das voluntárias e posterior distribuição nos setores da UFRGS: no Centro de Processamento de Dados (CPD), na Vigilância e na Superintendência de Infraestrutura (Suinfra). O grupo de voluntários confeccionou, em suas próprias casas, mais de 500 máscaras, que são distribuídas junto com um material informativo, elaborado pelo Departamento de Atenção à Saúde (DAS), com instruções sobre o uso dos equipamentos de proteção.

A IFSUL, Campus Sapucaia do Sul, recebeu, da Vigilância Sanitária, a doação de tecido não tecido (TNT) para o grupo de mobilização contra a Covid-19. O grupo se responsabilizou por organizar a produção de máscaras descartáveis com o material recebido, que foi direcionado às costureiras voluntárias, para a confecção das máscaras em suas casas. As máscaras prontas serão entregues à Vigilância Sanitári para que sejam distribuídas para a comunidade de Sapucaia, que, devido à alta demanda, sofre com a falta delasnos estabelecimentos comerciais. Dessa forma, o grupo de mobilização contra a Covid-19 do IFSul Campus Sapucaia do Sul também idealizou o projeto “Ação de Combate ao Covod-19: máscaras”, cujo objetivo é produzir 9.500 máscaras de uso individual e descartável não apenas para servidores e estudantes do Campus, mas também para servidores da área da saúde do município de Sapucaia.

Na UNIPAMPA, Campus Jaguarão, a professora Cristina Pureza Duarte Boéssio, do Curso de Espanhol, decidiu usar suas habilidades em costura para auxiliar na confecção de máscaras de tecido para proteção contra a Covid-19. A ideia surgiu no final de março, após a professora mostrar algumas máscaras que havia confeccionado para os integrantes do projeto “Español para Niños”, curso destinado às crianças e desenvolvido junto ao Laboratório de Ensino de Espanhol para Crianças e Formação Docente, coordenado pela professora. A ação tem recebido o apoio não só da comunidade da Unipampa-Jaguarão, mas também da comunidade jaguarense, através de doação de materiais para confecção. O transporte e a distribuição conta com a disponibilidade do Supermercado Casarão Mix. Desde então, tem se estabelecido uma rede para distribuição gratuita das máscaras, que são confeccionadas em tecido de algodão e buscam seguir as recomendações básicas do Ministério da Saúde. Desde o início da ação, já foram distribuídas cerca de 300 máscaras caseiras.

No Paraná, a UFPR criou um passo a passo para que a comunidade possa confeccionar suas máscaras em casa. Quem deseja produzir sua máscara pode optar pela opção com ou sem costura. Para ter acesso ao material preparado pela UFPR, acesse: https://www.ufpr.br/portalufpr/noticias/saiba-como-fazer-sua-propria-mascara-caseira/.

Foto: divulgação UTFPR campus Apucarana

A UTFPR de Apucarana está envolvida no desenvolvimento e na confecção de máscaras de tecido e de TNT, por meio de Projetos de Extensão organizados pelos professores do curso de Design de Moda — um deles é a produção de máscaras de tecido para doação à comunidade externa.Os materiais foram conseguidos por meio de doações de pessoas próximas aos professores do curso nas cidades de Apucarana e Londrina. Através das redes sociais (@modautfpr; @utfpr.ap_extensão; @utfpr.apucarana), foram divulgados os pedidos de ajuda para arrecadar materiais como tecido e elástico, que, com a ajuda da diretoria do campus, estão sendo recolhidos. A fábrica Overloque, de Londrina, cedeu o espaço e os maquinários para que professores e alunos voluntários pudessem costurar as máscaras. Os laboratórios de costura do curso de Design de Moda estão sendo adaptados, conforme as normas de higiene e proteção, para que um grupo de estudantes bolsistas, professores e voluntários possam ajudar no processo de produção. Ao todo, já foram entregues mais 700 máscaras gratuitamente — e, enquanto ainda estiverem chegando materiais, mais máscaras continuarão sendo confeccionadas. Outro projeto que também está sendo desenvolvido na Unidade é a confecção de máscaras de tecido de algodão duplo para proteção facial,que serão destinadas às pessoas em tratamento de câncer, atendidas pelo Centro de Oncologia do Hospital da Providência de Apucarana.O projeto, que conta com costureiras voluntárias de Londrina, professores do curso de Design de Moda e uma aluna bolsista, utiliza-se de materiais arrecadados por meio de doação da comunidade em geral. A previsão inicial é de 200 máscaras prontas até a primeira quinzena de maio, como doação para o Centro de Oncologia, entretanto a intenção é de confeccionar mais máscaras.

A UEL desenvolveu um modelo de máscara de proteção para os profissionais da saúde que trabalham no Hospital Regional Universitário de Londrina. Empresas da região e detentos que cumprem pena na Penitenciária Estadual de Londrina trabalham na produção das máscaras, que tem como material um tipo de TNT usado para embalar instrumentos em cirurgias. No hospital, as peças são higienizadas e embaladas para, em seguida, serem disponibilizadas para profissionais que não estão em contato direto com pacientes que têm o novo coronavírus.

Na UENP, estudantes e professores do curso de Fisioterapia iniciaram, por meio do projeto “FisioArte”, uma Ação de Extensão que irá trabalhar na confecção de máscaras de tecido para serem distribuídas gratuitamente para a comunidade. O projeto, que busca contribuir para o controle da propagação do novo coronavírus, realizará, também, orientações para o uso das máscaras, higienização e conscientização, por meio das redes sociais Instagram (https://www.instagram.com/projetofisioarte/) e Facebook (https://www.facebook.com/projetofisioarte). As máscaras serão distribuídas — junto com cestas básicas — por escolas, que as levarão a famílias e funcionários de asilos, para que possam utilizar durante a rotina de trabalho; assim como a supermercados e locais públicos, onde todos possam ter acesso sem custo nenhum. O projeto, que teve início com materiais cedidos pelos próprios estudantes e arrecadados em doações em seus municípios, conta com a ajuda de 21 alunos dos municípios de Jacarezinho, Bauru, Piraju, Santa Cruz do Rio Pardo, Santo Antonio da Platina, Cândido Mota, Nova Olímpia, Assai, Itaporanga, Guareí, Ourinhos, Santa Mariana e Conselheiro Mairinck.

Professores do Curso Técnico em Produção de Moda Integrado ao Ensino Médio do IFPR Campus Avançado Goioerê e professores do Departamento de Ciências e do Curso de Engenharia Têxtil da UEM Campus Regional Goioerê, em parceria, uniram-se para produzir em torno de 1.400 máscaras descartáveis para auxiliar no combate à Covid-19. A iniciativa surgiu após a UEM receber a doação de diversos tecidos para a produção de máscaras faciais. O intuito é repassar as máscaras à Secretaria de Saúde do município e distribuí-las para famílias em situação de vulnerabilidade social. No Campus do IFPR de Irati, foi desenvolvido o projeto “Confecção de Máscaras protetoras contra a Covid-19: uma parceria, entre IFPR Campus Irati e a Prefeitura Municipal”, que visa a dar apoio a Projetos de Extensão, Pesquisa e Inovação para o Enfrentamento da Covid-19. O recurso do edital que contemplou o projeto foi utilizado para a confecção de máscaras descartáveis de TNT, sendo embaladas em papel Kraft e esterilizadas em autoclave para entrega para a população do município e da região.

Outra ação desenvolvida com fomento do mesmo edital é o projeto “Isolados socialmente, mas unidos para um bem comum: IFPR, UBS, PA e costureiras!”, que possui o objetivo de confeccionar e doar tanto máscaras quanto aventais cirúrgicos. A confecção está sendo efetuada por costureiras voluntárias, e a doação aos profissionais de saúde da cidade será realizada pela Secretaria Municipal de Saúde. Estudantes voluntárias fizeram chamadas ao vivo, via Webinar, para auxiliar na conscientização da população em relação aos perigos e cuidados da pandemia.

A UNICENTRO, no Campus Santa Cruz, em Guarapuava, entregou até o momento, para várias instituições, mais de 2000 máscaras confeccionadas, com tecido TNT SMS, por uma equipe de costureiras idosas, integrantes do Programa de Extensão Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati). O Campus de Irati também atua em ações para o combate à Covid-19. Uma das ações é a produção de máscaras de tecido, repassadas para a Instituição de Longa Permanência para Idosos Santa Rita, localizada no município. A ação foi liderada pelas professoras Andrea Nogueira Dias e Adriana Queiroz Silva, diretora e vice-diretora, respectivamente, do Campus. Para a professora Andrea, a inspiração veio não só a partir de outras ações já realizadas pela Unicentro durante o período de pandemia da Covid-19, como também pelo fato de serem direcionadas a um lar de idosos, que estão no topo da lista de grupo de risco. A intenção não é apenas levar máscaras de prevenção, mas também um pouco de calor humano, para que esses idosos tenham a certeza que não estão esquecidos. Na instituição, foram entregues 220 máscaras, costuradas voluntariamente, por integrantes da Universidade Aberta para a Terceira Idade (Uati) da UNICENTRO, Projeto de Extensão que funciona no campus Irati. O coordenador da Uati, professor Paulo Cesar Tomalchelski, também colaborou com o processo de confecção, lavando os tecidos e fazendo os cortes conforme os moldes.

Em Santa Catarina, um grupo — de cerca de 60 professores e pesquisadores do Centro de Ciências Biológicas (CCB) da UFSC — preparou um guia para que as pessoas possam fabricar suas próprias máscaras faciais. Especialistas apontam que as máscaras caseiras podem proteger contra infecções respiratórias, desde que mantidos os cuidados adicionais de higiene das mãos e distanciamento social. O material pode ser acessado pelo link: https://noticias.ufsc.br/files/2020/04/Ma%CC%81scaras-Caseiras.pdf.

O FORPROEX reúne, anualmente, Pró-Reitores, Diretores e Coordenadores de Extensão de todas as instituições de ensino superior do Brasil, em conferências e mesas de debate abertas ao público. O FORPROEX Sul congrega as instituições de ensino superior (federais, estaduais e municipais) dos três estados da Região Sul: Paraná, com sete instituições estaduais (UEL, UEM, UNESPAR, UEPG, UNICENTRO, UENP, UNIOESTE), três federais (UFPR, UTFPR e UNILA) e um IF (IFPR); Santa Catarina, com uma estadual (UDESC), dois IF (IFSC e IFC), uma municipal (FURB) e duas federais (UFSC e UFFS); e Rio Grande do Sul, com uma estadual (UERGS), três IFs (IFFar, IFSul, IFRs) e seis federais (UFSM, UFRGS, UFPEL, FURG, UFCSPA, UNIPAMPA).

A gestão 2019-2020 da Regional Sul do FORPROEX tem como Coordenador Flavi Ferreira Lisbôa Filho, atual Pró-Reitor de Extensão da UFSM, e como vice-coordenadora Simone Castanho, atual Pró-Reitora de Extensão e Cultura da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP).

Redação: Rubens Guilherme Santos/Pró-Reitoria de Extensão UFSM

Revisão: Erica Medeiros/Pró-Reitoria de Extensão UFSM

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-346-3734

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes