Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

As mulheres nas eleições de Santa Maria em 2016

1516887

 Pedro Ladeira – 16.jun.2015/Folhapress 

O levantamento foi feito analisando os dados do TSE no dia 02 de outubro, dia das eleições, considerando apenas os(as) candidatos(as) que tiveram suas candidaturas deferidas ou indeferida com recurso em andamento.

A lei nº 12.034, de 29 de setembro de 2009, garante que o total de candidatos registrados por um partido ou coligação deverá ser de, no mínimo, 30% e, no máximo, 70% de candidatos do mesmo gênero. Porém nem todos partidos/coligações cumprem as exigências da lei.

 

LEGISLATIVO

A tabela abaixo mostra a quantidade de candidatos(as) em cada partido concorrendo ao cargo de vereador(a), seguido do percentual feminino. (Fonte: TSE 2016)

Mulheres na Política 2

Analisando os dados, concluímos que dos 26 partidos concorrentes apenas 12 cumpriram com a cota mínima estabelecida pela lei.

Mesmo quando cumpridos os 30%, o percentual é baixo, estando a média geralmente entre 30% e 40%.

Dos 213 concorrentes no total, as mulheres representaram 29,6%, estando abaixo dos 30% exigidos.

 

A tabela a seguir mostra o percentual de mulheres dentro das coligações (Fonte: TSE 2016)

Mulheres na Política 1

Das 6 coligações, apenas a metade teve mais de 30% de representação feminina. 

EXECUTIVO

Entre as 8 chapas que concorreram no primeiro turno ao executivo (PDT/PPL/PSB/PSDB/PSOL/PSTU/PT/SD), todas apresentaram candidatos homens ao cargo de prefeito. As mulheres apareceram apenas como candidatas à vice-prefeitas e em apenas dois partidos (PSB/PT), representando apenas 12,5% das candidaturas.

PÓS-ELEIÇÃO

Do total de 63 mulheres candidatas ao legislativo, apenas 4 foram eleitas. Ao assumirem os mandatos, as mulheres representarão 19,04% da câmara santamariense, ocupando as mesmas 4 cadeiras dentre as 21 que ocupavam anteriormente.