Ir para o conteúdo Observatório de Direitos Humanos Ir para o menu Observatório de Direitos Humanos Ir para a busca no site Observatório de Direitos Humanos Ir para o rodapé Observatório de Direitos Humanos
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Curso de capacitação para o combate a violências relacionadas a gênero, raça/etnia e sexualidade

Coordenadora: Janaína Xavier do Nascimento

O presente curso de capacitação tem como objetivo geral contribuir para o combate de violências perpetradas contra os direitos humanos, relacionadas a gênero, raça e diversidade. Destina-se a profissionais das áreas de educação, saúde e segurança da cidade de Santa Maria (RS) e municípios circunvizinhos. No que tange a metodologia, sua implementação será realizada de forma remota, em virtude das condições impostas pela pandemia Covid-19. Será estimulada a articulação entre saberes teóricos e práticos, trazendo à discussão as experiências concretas que atravessam o cotidiano da prática profissional, de modo que os participantes poderão unir os aprendizados teóricos do curso com suas atividades cotidianas, de forma reflexiva. Ademais, terão um espaço para compartilhar situações em que tenham vivenciado dificuldades e dilemas na prática profissional, através de “rodas de conversa” virtuais, materiais escritos produzidos pelos próprios participantes e analisados no contexto do curso. As ministrantes são professoras em sua maioria vinculadas ao Departamento de Ciências Sociais e ao Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). O período de execução compreende de maio a setembro de 2021, dividido em quatro módulos de 40h, totalizando 160 horas/aula. Cada módulo contará com uma coordenadora e colaboradoras, dispondo de até 500 vagas. As temáticas gerais de cada módulo consistem em: 1 – Gênero e feminismos (conceitos, teorias e movimentos sociais); 2 – A expressão de sexualidades e identidades dissidentes: conhecimentos para profissionais da área da Educação, da Saúde e da Segurança Pública; 3 – Desigualdades, defesa de direitos e acesso à Justiça para negras, indígenas, lésbicas e pessoas trans; 4 – Estado, violências e políticas de reconhecimento. Por fim, os resultados esperados compreendem a instrumentalização teórico-prática dos participantes para a compreensão e formas de atuação frente aos desafios da violência e da discriminação, promovendo uma cultura de promoção dos Direitos Humanos.

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui.