Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano
Início do conteúdo

Premiados os 36 melhores trabalhos da 33ª Jornada Acadêmica Integrada

Vencedores do Prêmio 40 Melhores podem representar a UFSM na Jornada Nacional de Iniciação Científica de 2019, em Campo Grande.

A UFSM, através da Comissão de Iniciação Científica da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PRPGP) entregou nesta quinta-feira (4) o Prêmio 40 Melhores, destinado aos trabalhos de iniciação científica que foram destaque durante a 33ª Jornada Acadêmica Integrada da UFSM, em outubro de 2018. A cerimônia de premiação aconteceu no Auditório do Centro de Ciências Rurais (CCR).

A premiação seleciona a cada edição da JAI as melhores apresentações de trabalho do Salão de Iniciação Científica e da Mostra de Ensino. Os trabalhos de estudantes premiados que mantiverem vínculo acadêmico com a a UFSM no primeiro semestre de 2019, poderão representar a universidade na Jornada Nacional de Iniciação Científica. O evento acontece em 2019 na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, na cidade de Campo Grande (MS), durante a 71ª Reunião Anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).

De acordo com o coordenador da 33ª JAI, Paulo Piccini, a edição de 2018 contou com algumas novidades nos critérios de avaliação dos trabalhos, com a inclusão, em caráter experimental, do sistema de avaliação eletrônica, através de um aplicativo em tempo real. Na edição de 2019 o sistema será adotado em definitivo.

Quanto aos critérios para a premiação dos 40 melhores trabalhos, a divisão dos prêmios leva em consideração também a a proporção de trabalhos de iniciação científica submetidos por cada centro de ensino ou campi. Os casos de empate ficam a cargo das comissões de ensino e pesquisa dos próprios de ensino.

Em 2018, 4.770 trabalhos foram aprovados para participar da Jornada Acadêmica Integrada e eventos paralelos. No Salão de Iniciação Científica e na Mostra de Ensino foram apresentados 3.110 trabalhos, de onde foram selecionados os 40 destaques da edição.

Os vencedores também podem submeter seus trabalhos à Revista Brasileira de Iniciação Científica.

Pesquisa Científica traz visibilidade e recursos para a universidade

Durante a premiação, o reitor da UFSM, professor Paulo Afonso Burmann, chamou a atenção para o trabalho que a universidade tem realizado na área da pesquisa científica, que se traduz não só no volume de projetos de iniciação científica, mas na obtenção de recursos oriundos de pesquisas desenvolvidas dentro da UFSM.

Em 2018, por exemplo, a universidade arrecadou cerca de R$ 5,3 milhões através de projetos de pesquisa. A UFSM possui atualmente mais de 180 pesquisadores espalhados por diversos países, com arrecadação de R$ 25, 7 milhões para internacionalização pelo Capes-PrInt. Já pelo Programa de Apoio a Pós-Graduação  (PROAP), a universidade garantiu mais R$ 1,7 milhão.

Para Burmann, a UFSM tem ao longo do tempo encontrado no desenvolvimento da pesquisa científica caminhos para driblar a dificuldade que as universidades do interior do país encontram frente aos órgãos de fomento. O trabalho de pesquisa e também um dos fatores responsáveis pela melhoria dos índices da instituição, apesar do período de crise conjuntural que atinge universidades e institutos de pesquisa científica brasileiros.

Os 36 Melhores da JAI de 2018 podem ser conferidos na lista de contemplados.

Reportagem: Davi Pereira
Fotos: Marcos Oliveira

Fonte: www.ufsm.br