Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Realização de “Projeto Piloto” sobre a Gestão de Riscos Inerentes ao Processo de Afastamento Eventual na UFSM

Conforme a Instrução Normativa Número 01 de 2016 de Controles Internos, Gestão de Riscos e Governança no âmbito do Poder Executivo Federal, a UFSM incluiu atividades de Gestão de Riscos ao alinhamento de seu Projeto de Modernização Administrativa. Assim, foi realizado entre agosto e setembro um piloto a fim de testar uma metodologia de Gestão de Riscos proposta pela Pró-Reitoria de Planejamento da UFSM (PROPLAN/UFSM) em parceria com o doutorando Anderson Luis Walker Amorin (Doutorado em Engenharia de Produção – UFRGS) para a Instituição. Foram utilizadas como referências para a proposição desta metodologia a Norma NBR ISO 31000:2009 de Gestão de Riscos, além do guia de gerenciamento de riscos corporativos do Comitê das Organizações Patrocinadoras da Comissão Treadway (COSO), organização sem fins lucrativos e referência internacional na gestão de riscos em organizações.

A universidade já conta com três processos modernizados, em alinhamento com as diretrizes do Projeto de Modernização Administrativa da Reitoria da UFSM: Afastamento Eventual, Estágio Probatório e Plano de Ensino.

O processo selecionado para ser o “projeto piloto” e testar a aplicação desta metodologia foi o Afastamento Eventual. Este processo refere-se à participação de servidores em atividades e eventos relacionados ao trabalho, tal como participação em cursos, palestras, bancas de qualificação, etc.

Foram realizados dois eventos com a presença de servidores envolvidos no processo de Afastamento Eventual, nos quais foram identificados 18 riscos para o processo, sendo 7 considerados críticos. Finalmente, foram propostas ações em conjunto com servidores envolvidos no processo visando inibir ou diminuir as causas dos 7 riscos críticos, além de outros 8 riscos não críticos.

Por fim, ressalta-se que o projeto foi um teste, para aperfeiçoarmos a metodologia e, posteriormente, serão considerados outros processos administrativos a fim de validar e comprovar a eficiência da mesma.

Maiores informações sobre a gestão de riscos estão disponíveis na página de Gestão de Riscos.

Texto: César Fogaça Filho, Estagiário na COPLAD-PROPLAN

Foto: Daniele Rizzetti