Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano
Início do conteúdo

Vice-reitor busca apoio do governo do Estado para investimento em laboratórios

O vice-reitor da UFSM, professor Luciano Schuch, participou ontem (20), de uma reunião com o secretário Márcio Biolchi, titular da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT), em Porto Alegre. Na pauta, a possibilidade de ampliação dos convênios na área de pesquisa científica e de inovação tecnológica entre o Estado e a Universidade Federal de Santa Maria. Também participaram do encontro, o secretário adjunto, Evandro Fontana e o secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer.

De acordo com Schuch, foi debatido com o secretário o apoio na qualificação de laboratórios da UFSM para a prestação de serviços para o governo do Estado e a sociedade de modo geral. A parceria com o governo se dá por meio do programa de Apoio aos Polos Tecnológicos, que visa estimular, apoiar e coordenar a integração entre universidades, centros de pesquisa e setor produtivo. Em 2017, a SDECT financiou a aquisição de equipamentos para o laboratório de Ensaios Fotovoltaícos do Instituto de Redes Inteligentes, que recentemente se tornou o único do Brasil acreditado pelo Inmetro para ensaios com potências até 50 kW (http://bit.ly/2u6bJ8H). O objetivo é que, desta vez, os laboratórios dos cursos de Engenharia Civil e Engenharia Elétrica da UFSM recebam o apoio do governo. Nos próximos dias, uma equipe técnica da UFSM fará uma visita à Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec) para verificar as potencialidades dos laboratórios do Estado e as possíveis parcerias com a Universidade.

Professor Luciano e outros 3 homens em torno de uma mesa de reuniões
Prof. Luciano reunido com SDECT no governo do RS

Lei do Teto – O vice-reitor ainda discutiu com o secretário formas de viabilizar o repasse de recursos extra orçamentários à Universidade, minimizando os impactos da Emenda Constitucional 95, conhecida como a Lei do Teto. “Hoje, o acesso aos recursos obtidos pela Universidade por meio de parcerias é limitado pela Lei do Teto, que restringe os gastos públicos de acordo com o Orçamento, inviabilizando novos investimentos”, explica Schuch. Segundo o vice-reitor, o secretário Biolchi comprometeu-se em verificar juridicamente a possibilidade de garantir o acesso aos recursos para investimentos nos laboratórios

 

Com informações da Assessoria de Comunicação da SDECT/RS.