Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

INPI concede primeira carta-patente para UFSM Campus Cachoeira do Sul


O campus de Cachoeira do Sul teve, na última terça-feira (19), sua primeira carta-patente concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O coordenador do Laboratório de Síntese e Caracterização de Nanomateriais (LSCNano) e Físico Experimental da área de nanomateriais, professor Jocenir Boita, juntamente com as bolsistas de iniciação científica Marcela Trojahn Nunes e Fabiele Schaefer Rodrigues, do curso de Engenharia Agrícola da UFSM Cachoeira do Sul, tiveram a concessão conferida pelo INPI, que emitiu parecer favorável, deferindo a patente de N° BR 10 2016 006952-1.

Esta patente com título “Processo de Obtenção de Nanocompósito”, está inserida no programa “Patentes Verdes” do INPI, que tem como objetivo contribuir para as mudanças climáticas globais e visa acelerar o exame dos pedidos de patentes relacionados a tecnologias voltadas para o meio ambiente. Com esta iniciativa, o INPI também possibilita a identificação de novas tecnologias que possam ser rapidamente usadas pela sociedade, estimulando o seu licenciamento e incentivando a inovação no país.

A invenção descreve a obtenção de nanocompósitos a base de nanopartículas metálicas e seus óxidos, suportadas em resíduo industrial rico em sílica (SiO2). O uso do nanocompósito possibilita aplicações na área de catálise heterogênea, na quebra de gases nocivos, no campo da química e engenharia de materiais aplicados no ramo da nanotecnologia, possibilitando o total reaproveitamento do resíduo. Isso o converte em um produto final economicamente viável e ambientalmente amigável para fins de aplicação tecnológica na forma de nanocompósito.

“Esta é uma grande notícia para a Instituição e para toda a comunidade, por isso acredito que é importante o investimento em infraestrutura adequada para que possamos trabalhar cada vez mais pelo bem da sociedade, criando mais possibilidades para aplicações tecnológicas e transferir este conhecimento a todos”, relata o professor Jocenir.