Ir para o conteúdo CAL Ir para o menu CAL Ir para a busca no site CAL Ir para o rodapé CAL
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

IV Mostra das Práticas de TCC do Curso de Artes Cênicas Bacharelado – Tecnovívio no REDE 2021.1



A IV  Mostra das Práticas de TCC do Curso de Artes Cênicas Bacharelado – Tecnovívio no REDE 2021.1 é uma ação extensionista, artística, acadêmica, remota e digital, com a finalidade de divulgar e publicar as práticas artísticas dos Trabalhos de Conclusão do Curso de Artes Cênicas Bacharelado Habilitação Interpretação Teatral e Habilitação Direção Teatral, desenvolvidas no Regime de Exercícios Especiais REDE/UFSM 2021.1. “Ao conceito de convívio, opomos a noção de tecnovívio, isto é, a cultura vivente desterritorializada por intermediação tecnológica.” (Dubatti, 2012, p.129). O evento visa a democratização e o acesso à Arte, bem como a formação de plateia e   também colabora com o avanço na reflexão crítica sobre os estudos cênicos digitais e sobre a mediação tecnológica necessária às práticas presenciais desenvolvidas no REDE/UFSM 2021.1, sendo situação de ensino, de pesquisa e de extensão imposta pelo contexto de suspensão das atividades presenciais. Sob tais circunstâncias, situações e contexto, o evento também colabora com as investigações e com as discussões sobre os diversos pontos de relação, de composição e de tensão entre a linguagem cênica presencial e a situação excepcional cênica digital e remota, no que se refere à imposição da ausência de presencialidade e de convívio. Condição pela qual abordamos os conceitos dubattianos convívio e tecnovívio para potencializar a discussão.

Por esse canal, o tecnovivial, o discente atinge a totalidade de sua formação contemplando o tripé acadêmico ensino, pesquisa e extensão sob a experiência de um processo de formação necessário, inovador, arriscado, crítico e em diálogo com público. O evento também é uma forma de diálogo com a realidade pandêmica instaurada no mundo há mais de um ano e meio. É, além do mais, uma corajosa resposta.

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes