Ir para o conteúdo CAL Ir para o menu CAL Ir para a busca no site CAL Ir para o rodapé CAL
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo
Publicado: 31 agosto 2015 - 10:39 | Última modificação: 5 junho 2019 - 15:36
Ouvir
HARMOS BRASIL

TÉCNICO-CIENTÍFICOS

Universidade Federal de Santa Maria - Santa Maria

28/10/2015 00:00 - 01/11/2015 00:00

Notícias do Evento harmos-brasil-2015

CERTIFICADOS DISPONÍVEIS
Encontram-se disponíveis os certificados, referentes à participação dos alunos nas Oficinas (para os que tiveram no mínimo 75% de frequência). Aos ministrantes, colaboradores e convidados para as mesas-redondas serão disponibilizados…
04/12/2015 - 10:46
CERTIFICADOS A SEREM EMITIDOS
Tivemos problemas operacionais mas os certificados serão disponibilizados logo que seja possível.
27/11/2015 - 10:52
EMISSÃO DE CERTIFICADOS
Em poucos dias, estarão disponíveis os certificados, para aqueles que frequentaram na categoria ativo e com frequência de no mínimo 75% nas oficinas.
11/11/2015 - 10:52
Fotos Concerto de Encerramento
HARMOS - Brasil 2015 Santa Maria - RS 28 out - 01 nov CONCERTO DE ENCERRAMENTO Quinteto de cordas e clarineta (ESMAE/IPP, Portugal) executando Mozart no Concerto de Encerramento do…
10/11/2015 - 10:53
Certificados
Acesse o link abaixo para gerar seu certificado >>>     https://portal.ufsm.br/certificados     <<< Certificados disponíveis apartir de 09/11/2015.Caso algum certificado esteja indisponível, isso significa que ele ainda não foi gerado. Para…
04/11/2015 - 10:57
PRORROGAÇÃO PRAZO INSCRIÇÃO
Fica prorrogado o prazo de inscrição para as oficinas do HARMOS Brasil 2015 para até o dia 27, às 21h.
26/10/2015 - 10:58
Descrição

HARMOS é um evento, sob o selo EFFE – Europe for Festivals, Festivals for Europe – iniciativa da European Festivals Association, com características de curso, festival e simpósio, que objetiva, e vem atingindo cada vez mais, um nível de excelência artística e receptividade efetiva do público, ganhando maturidade e visibilidade. Por outro lado, busca estimular a aproximação entre diversas instituições de ensino superior europeias e de outros continentes, em se tratando da música e outras artes performáticas. O HARMOS tem se tornado oportunidade para jovens músicos de grande talento que serão os intérpretes de referência a nível internacional. A trajetória do HARMOS ganha assim reconhecida consistência e relevância no contributo à sociedade internacional. O Festival possui um conceito único em toda a Europa, que reúne artistas dos cinco continentes e alunos e professores das melhores escolas superiores de Arte do mundo.

Dá-se em dois festivais anuais, realizados no centro-norte de Portugal: o HARMOS Classical, em março, com um viés clássico-camerístico, e o HARMOS Plural, em setembro, com um viés popular. O HARMOS Classical, desde 2006, afirma-se como um dos mais relevantes projetos artístico-culturais da Europa. Em 2013, pela primeira vez, o HARMOS abriu suas portas a instituições e intérpretes fora do espaço europeu, através do HARMOS Plural, um festival dedicado à música popular. O HARMOS busca tanto aproveitar a estrutura de cidades maiores, enquanto centros culturais consolidados, como contribuir ao fortalecimento de cidades menores, enquanto centros culturais em desenvolvimento, e, ao mesmo tempo, abrir novos espaços e atingir novos públicos. O foco do HARMOS está na interpretação musical e nas criações de todas as formas de expressão musical, em uma perspectiva multidisciplinar, inclusive com interfaces entre as artes, especialmente as performáticas. É promovido pela Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto (ESMAE-IPP), Portugal.

A 1ª EDIÇÃO DO HARMOS NO BRASIL

A ideia que se está pensando e trabalhando, no primeiro momento, para o HARMOS Brasil 2015, em Santa Maria – RS, é uma mescla das duas modalidades de festival que são realizados em Portugal com a marca HARMOS, em duas épocas diferentes (evento semestral). Aqui, propõe-se reunir, em um evento anual, características de um e de outro, a saber: o HARMOS Classical que é um festival com um viés predominantemente clássico-camerístico, porém com aproximações e interfaces com a modalidade HARMOS Plural que é um evento mais abrangente e popular. Aos poucos, vai sendo construído um modelo híbrido com identidade própria, quanto à tipologia e amplitude, conforme interesse, necessidade e viabilidade das instituições envolvidas, da comunidade artística e da sociedade em geral, no decorrer das próximas edições.

O HARMOS Brasil 2015, evento inspirado na experiência de Portugal e proposto especialmente para o Brasil, com a periodicidade anual, foi pensado em três dimensões de atividades: a) CURSO: focado nas oficinas (aulas, estúdios e master classes) – o viés técnico-artístico-pedagógico; b) FESTIVAL (propriamente dito): focado nos espetáculos (recitais, concertos e outros espetáculos em torno da música, incluindo interfaces com outras artes performáticas) – o viés didático-cultural e c) SIMPÓSIO: focado nos seminários (encontro com colóquio, mesa-redonda, fórum, palestra e/ou painel) – o viés investigativo, com diálogos e reflexões. Buscar-se-á a presença de grupos camerísticos residentes, agrupamentos musicais qualificados, cujos integrantes atuarão a) ministrando aulas nas oficinas de instrumento, Música de Câmara e Orquestra de Câmara e b) tocando em concertos como solistas e/ou cameristas. Estes grupos, dentre outras formações, seriam especialmente requeridos quarteto de cordas e quinteto de sopro (com trompa). As categorias dos participantes serão: convidados e alunos ativos e ouvintes.

O candidato à participação no Festival como ativo nas oficinas de instrumento terá que previamente indicar o repertório que está trabalhando e a formação camerística a que integra (seu grupo, seja duo, trio, quarteto, etc), para que a organização do evento possa se programar, encaixando-o a participar de alguma atividade de performance pública do Festival, além da participação nas oficinas e nos seminários, quando não coincidir horários. Os participantes ativos das oficinas de instrumentos deverão participar também das atividades de Música de Câmara e Orquestra de Câmara.

A proposta é iniciar o evento mesclando o clássico-camerístico, inspirado nas experiências de Portugal do HARMOS Classical, e o conceito mais flexível, abrangente e popular, inspirado no HARMOS Plural, também de Portugal. Iniciar-se-á com dimensões modestas, com poucas modalidades de oficinas, espetáculos e seminários. Esta abrangência e amplitude será o ponto de partida para futuras ampliações, atendendo um número maior de participantes e modalidades, inclusive contemplando outros gêneros musicais, como Música Popular, Música Antiga, Projetos Sociais em Música (grandes grupos infanto-juvenis), Ópera, Composição e Música e Tecnologia, bem como demais aproximações com outras artes. São, portanto, importantes características do evento: a) as interfaces da música com outras artes e ciências; b) a participação de grupos camerísticos residentes atuando nas oficinas e concertos; c) a realização dos espetáculos em diversos locais, sejam conhecidos ou não como espaços culturais, em Santa Maria e também em outros municípios da região, conforme interesse, necessidade ou viabilidade, e d) a promoção de seminários: colóquios, fóruns, palestras, mesas redondas e/ou painéis, com ênfase no Empreendedorismo Socio-Cultural, seja quanto à construção de projeto individual de estudo e de carreira ou abertura e gestão de projetos e/ou negócios em torno das Artes.

Cursos de Música UFSM

Centro de Artes e Letras CAL

Universidade Federal de Santa Maria UFSM

– Difundir a arte de qualidade na sociedade de Santa Maria e região, visando fortalecer seu desenvolvimento e aperfeiçoamento, em um ambiente de integração, por meio da disponibilização à população, de modo acessível, de oficinas, espetáculos e seminários em torno da música em interfaces com outras artes e ciências.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS (COMPLEMENTARES)

– Contribuir para a qualificação de artistas, professores, alunos e público em geral e o desenvolvimento do protagonismo na juventude de Santa Maria e região;

– Promover, com qualidade, oficinas, espetáculos e seminários em torno das artes, especialmente a música, oportunizando o estudo, prática, criação e apreciação artística, bem como o debate a respeito de assuntos relacionados com a gestão e produção cultural;

– Difundir e divulgar a linguagem musical, através da criação, execução e apreciação;

– Valorizar a música de concerto vocal e instrumental, fundamentalmente o estudo de instrumentos de orquestra, a prática de Música de Câmara e Orquestra de Câmara;

– Contribuir para a valorização das disciplinas de Música de Câmara e Orquestra no Currículo dos Cursos de Música (Bacharelado) da UFSM, considerando a importância do desenvolvimento das habilidades correlatas por parte dos estudantes;

– Elevar o grau de visibilidade da área das Artes da UFSM, especialmente a Música, em interfaces com outras artes, contribuindo para a otimização de suas potencialidades, tanto na instituição como na sociedade em geral;

– Contribuir para a conexão dos músicos e professores e alunos de música com assuntos afins, em torno das Artes Performáticas: o Empreendedorismo, Inovação, Economia Criativa, Sustentabilidade, Multidisciplinaridade, Tecnologias Sociais e Gestão Cultural;

– Promover integração entre artistas e entre estes e o público, inclusive intercâmbios nas relações: aluno x aluno, aluno x professor e professor x professor, entre o Brasil e Europa, tendo Portugal como valiosíssima entrada/conexão;

– Contribuir para a efetivação e continuidade do Acordo de Cooperação Internacional firmado entre a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e o Instituto Politécnico do Porto (IPP) em 18/01/2012, com intuito de sua efetivação, desenvolvimento, fortalecimento e consolidação.

DO OBJETO – APRESENTAÇÃO

Art. 1º O HARMOS Brasil 2015 em Santa Maria é um evento inspirado no HARMOS Festival de Portugal, promovido pela Escola de Música, Artes e Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto (EMAE/IPP).

Art. 2º O HARMOS é um importante festival internacional que tem lugar em Portugal, desde 2006, sob o selo EFFE – Europe for Festivals, Festivals for Europe (European Festivals Association), que acontece uma vez por semestre, um em março, a modalidade HARMOS Classical, com um viés predominantemente clássico-camerístico, e, em setembro, a modalidade HARMOS Plural, que é um evento mais abrangente e popular.

Art. 3º O HARMOS Brasil 2015 em Santa Maria, a ser gradativamente construído, busca combinar o modo brasileiro de fazer arte e festivais com ambas vertentes europeias/portuguesas, ainda que de modo modesto em sua 1ª edição, mas buscando sempre a qualidade conteudal e organizacional.

Art. 4º O HARMOS Brasil 2015 tem a chancela internacional do IPP – Instituto Politécnico do Porto (Portugal) e a chancela local compartilhada da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e a Prefeitura Municipal de Santa Maria (PMSM).

Art. 5º O HARMOS Brasil 2015 irá acontecer em Santa Maria – RS, entre as datas de 28 de outubro (quarta-feira) a 1º de novembro (domingo) de 2015.

Art. 6º O evento está concebido em três dimensões de atividades: a) CURSO: focado nas oficinas (aulas, estúdios e master classes) – o viés técnico-artístico-pedagógico; b) FESTIVAL (propriamente dito): focado nos espetáculos (recitais, concertos e outros espetáculos) – o viés didático-cultural e c) SIMPÓSIO: focado nos seminários (encontro com colóquios, palestras, mesas-redondas ou paineis) – o viés investigativo, em diálogos e reflexões.

Art. 7º As oficinas serão oferecidas nas seguintes modalidades: a) ELETIVAS: voz ou instrumento: distribuídas em violino, viola (de arco), violoncelo e piano, podendo serem suprimidas ou acrescentadas outras, a critério da organização do evento; b) OBRIGATÓRIAS: Música de Câmara (obrigatória para os ativos dos instrumentos), Orquestra de Câmara (para os ativos dos instrumentos de orquestra), e Canto-coral (para os ativos de voz, podendo esta última oficina ser feita por qualquer outro inscrito, entretanto sujeito à avaliação vocal, deixando de ser então obrigatória, mas sim uma combinação de eletiva com optativa), sendo portanto o Canto-coral obrigatório para quem optar por voz (ativo) e Orquestra de Câmara obrigatória para quem optar por instrumento (ativo); c) OPTATIVAS: Educação Musical, Apreciação Musical, Música Popular e Atividades integrativas no contexto multidisciplinar (interfaces entre artes performáticas); estas últimas, sem relação direta com as do tipo eletivas ou obrigatórias.

Art. 8º As vagas nas oficinas, a princípio, serão distribuídas da seguinte forma: a) Instrumento ou Voz [06 ativos + 06 ouvintes = 12]; b) Música de Câmara: [09 grupos ativos + 12 alunos ouvintes, divididos em 3 turmas]; c) Orquestra de Câmara [40]; d) Canto-Coral [70 ativos + 10 ouvintes = 80]; e) Música Popular: violão/guitarra elétrica [06 ativos + 06 ouvintes = 12]; f) Música Popular: percussão/bateria [06 ativos + 06 ouvintes = 12]; g) Educação Musical (ênfase: Método Orff) [20 ativos + 10 ouvintes = 30]; g) Apreciação Musical [30] e h) Atividades integrativas no contexto multidisciplinar (interfaces entre artes performáticas) [70 ativos + 10 ouvintes = 80]. OBS.: A Oficina de Apreciação Musical não prevê vagas para ouvinte.

Art. 9º Os locais das atividades serão divulgados posteriormente, após confirmação da parte da organização do evento com as instituições envolvidas, sendo que as oficinas e os seminários serão no Campus da UFSM e os espetáculos no Campus e no Centro.

DA INSCRIÇÃO

Art. 10º A participação nas oficinas se dará mediante inscrição prévia pela internet (via on-line), que será por meio do preenchimento on-line do formulário de inscrição (primeira chamada), no período entre 15 a 23 de outubro, sendo que seu preenchimento somente poderá ser em uma única vez pelo interessado/candidato.

Art. 11º A participação nos seminários se dará, preferencialmente, mediante inscrição no início do evento, ao registrar-se em pessoa (Art. 20º), no dia 28 de outubro de 2015, das 8h30 às 11h, ou, se sobrar vaga, durante o evento, no transcorrer dos seminários. A participação nos espetáculos não requer inscrição, sendo que para o participante das oficinas far-se-á somente uma inscrição global no evento, que vale para todas as atividades programadas.

Art. 12º Somente será efetivada a inscrição mediante: a) o aceite e concordância com os termos do presente Regulamento, da parte do candidato; b) o ato de inscrição prévia (provisória) pela internet; c) a respectiva confirmação, da parte da organização do evento, valendo portanto como um contrato de adesão, e d) o registro em pessoa de chegada no evento, no momento da recepção, no início do evento (dia 28, quarta-feira, pela manhã), no Hall de Entrada da Escola de Música da UFSM (Prédio 40 B).

Art. 13º Os critérios de aceite de inscrição serão, prioritariamente na ordem crescente: 1º) para o participante ativo (preferencialmente atrelado à experiência, desempenho artístico, tipo de repertório, grupo proposto e condições de performance pública) e 2º) por ordem cronológica de inscrição, até ir completando as vagas.

Art. 14º Caso esteja determinada oficina com suas vagas preenchidas, abrir-se-á uma nova lista específica para esta classe (lista de suplência/espera), podendo ser usada em caso da necessidade de preenchimento de vaga, após o término da primeira chamada.

Art. 15º Os interessados/candidatos à participação no evento que forem de instrumentos não contemplados especificamente nas oficinas desta edição, poderão se inscrever em Música de Câmara, desde que integrando algum grupo, ou em outra oficina oferecida.

Art. 16º Os interessados no evento que quiserem participar somente de atividades como os seminários e os espetáculos poderão fazê-lo, porém não receberão certificado de participação, somente uma declaração de participação, se solicitado.

Art. 17º Quanto à inscrição para as oficinas, cobrar-se-á uma taxa, diferenciando o valor para as categorias ativo (R$ 20,00) e ouvinte (R$ 10,00), a ser paga no momento da inscrição via on-line (entre os dias 15 e 23 de outubro).

Art. 18º Será exigida a idade mínima de 14 (catorze anos) para ser participante das oficinas do evento, completados antes do dia 27 de outubro de 2015.

Art. 19º Os participantes menores de 18 anos de idade, ou que completarem 18 anos após o dia 26 de outubro de 2015, que não estiverem acompanhados de um dos pais ou responsável, deverão enviar por e-mail uma autorização assinada e reconhecida em cartório por um de seus pais ou responsável, dando permissão para este participar de todas as atividades do evento. Importante salientar que a autorização original deverá ser trazida em mãos pelo participante e apresentada junto com a documentação, quando este fizer seu registro em pessoa, no dia 28 de outubro, das 8h30 às 11h. Os participantes que não trouxerem consigo esta autorização original não poderão registrar-se no evento e terão sua inscrição cancelada.

Art. 20º Os participantes deverão registrar-se, em pessoa, no dia 28 de outubro (quarta-feira), das 8h30 às 11h, no Hall de Entrada da Escola de Música da UFSM (Prédio 40 B, no Campus), tendo consigo o seu próprio documento comprobatório de identidade; caso contrário, não poderão registrar-se, tampouco participar do evento, portanto, não havendo possibilidade de recorrer ao cancelamento da inscrição, nem reembolso de taxa, podendo a vaga ser preenchida pelo suplente imediato ou por outrem indicado pela organização do evento.
.
Art. 21º Quanto à modalidade de participação nas oficinas de instrumento, o participante terá as seguintes opções de escolha: a) ativo e b) ouvinte. O participante ativo deverá participar diretamente atuando, tocando ou cantando nas oficinas, sujeito à orientação em atendimento individualizado em público (master classes) e sujeito à apresentação pública em grupo. OBS.: O participante ativo da oficina de instrumento – piano deverá participar de Música de Câmara.

Art. 22º O candidato à participação no Festival como ativo nas oficinas de instrumento terá que previamente indicar o repertório que está trabalhando e a formação camerística a que integra (seu grupo, seja duo, trio, quarteto, etc), para que a organização do evento possa se programar, encaixando-o a participar de alguma atividade de performance pública, além das outras atividades. O nível técnico-interpretativo do preparo prévio do repertório indicado deverá estar em um patamar razoável de qualidade artística para que durante o evento tenha condições de apresentá-lo em público.

Art. 23º Os participantes ativos das oficinas de instrumentos de orquestra deverão atuar também nas atividades de Música de Câmara e Orquestra de Câmara, bem como espetáculos, além da frequência nos seminários, desde que não choque com as atividades primeiras.

DA PARTICIPAÇÃO

Art. 24º Poderá ter uma avaliação prática individual de entrada, no instrumento ou voz (audição), caso a organização do evento, através do ministrante das oficinas, assim requeira, sendo que os critérios desta avaliação são de sua inteira responsabilidade, portanto decisão irrecorrível.

Art. 25º A organização do evento, através do parecer do ministrante de determinada oficina, reserva-se no seu direito de não recomendar algum participante a se apresentar em público nos espetáculos, se este não corresponder ao nível de desempenho requerido, para não expor o aluno, nem prejudicar a performance do grupo e do espetáculo, bem como não comprometer o evento de modo geral.

Art. 26º Os participantes ativos deverão estar presentes em todas as atividades pedagógicas e artísticas para as quais o evento determinar sua presença (com exceção àquelas que chocarem horários), sob pena de ter sua participação cancelada. Os participantes com conflitos de horário ou impossibilitados de participar de alguma atividade deverão notificar à organização do evento, o mais rápido possível, explicando a natureza do conflito. A organização irá analisar o pedido e manifestará o parecer se o conflito merece ajuste ou exceção ou ainda se a falta do participante será motivo para o cancelamento da inscrição e também de seu certificado de participação.

Art. 27º É da responsabilidade do participante sua estada em Santa Maria, portanto a organização do evento não será responsável pela hospedagem ou alimentação dos participantes, tampouco por seu translado (a inscrição não cobre os custos da estada do participante na cidade).

Art. 28º É da responsabilidade do participante o cuidado com seus respectivos pertences, sendo assim, a organização do evento não será responsável por algum problema que possa por ventura acontecer com algum pertence dos participantes, nas dependências em que transcorrerão as atividades do evento ou fora delas, não cabendo, portanto, o custeio das despesas decorrentes serem cobradas das instituições/órgãos organizadores.

Art. 29º A participação no evento implica na cessão gratuita à organização do Festival, de todos os seus direitos de voz, som e imagem, que poderão ser captados pelo Festival ou por terceiros em nome dele, para inclusão dos mesmos em qualquer tipo de suporte material atual ou no futuro existente, podendo o evento livremente deles dispor, bem como de seus extratos, trechos ou partes, dando-lhe qualquer utilização não remunerada, exemplificativamente, adaptá-la para fins de produção de obras audiovisuais, exibição através de projeção em tela em casas de freqüência coletiva ou em locais públicos, com ou sem ingresso pago, transmiti-la via rádio e/ou televisão de qualquer espécie (televisão aberta ou televisão por assinatura, através de todas as formas de transporte de sinal existentes, exemplificativamente UHF, VHF, cabo, MMDS e satélite), adaptá-la para qualquer formato, veicular propaganda, bem como fixá-la em qualquer tipo de suporte material, tais como películas cinematográficas de qualquer bitola, CD, CD ROM CD-I (compact-disc interativo), home vídeo, DAT (digital audio tape), DVD (digital video disc) e suportes de computação gráfica em geral, armazená-la em banco de dados, disseminá-la através da Internet, via celular, inclusive para downloads, wap, sms, ceder os direitos autorais sobre a obra produzida a terceiros, para qualquer espécie de utilização (não remunerada), utilizar trechos ou extratos das mesmas.

DAS AVALIAÇÕES, DAS SANÇÕES E DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 30º Ao término das oficinas, o respectivo ministrante fará uma avaliação do desempenho do participante no período e encaminhado à organização do evento.

Art. 31º Ao participante que obtiver no mínimo 70% de aproveitamento e se fizer presente em pelo menos 75% das oficinas e 75% dos espetáculos, será fornecido certificado de participação no evento, contendo a chancela, o local, o período, o tipo de atividade/oficina, o ministrante da oficina, a carga horária (60 h, contando os três turnos de atividades) e a modalidade de participação (ativo ou ouvinte).

Art. 32º Para o participante que não conseguir cumprir com os requisitos mínimos de frequência ou não se interessar pelo certificado de participação, poderá ser disponibilizada uma declaração de participação, conforme solicitação do interessado, porém sem constar carga horária e nem a modalidade de participação, tampouco o tipo de atividade ou ministrante/orientador, pois neste caso, o participante poderá transitar livremente pelos locais das diversas atividades do evento.

Art. 33º Será requerido, ao entregar o certificado ou declaração de participação, o preenchimento e entrega do questionário de avaliação do evento, a título de colaboração para o desenvolvimento da organização do evento nas próximas edições.

Art. 34ª O candidato/inscrito que por ventura desistir de participar do evento deverá comunicar à organização do evento até no máximo dia 27 de outubro de 2015, às 14 h, para que dê tempo do preenchimento da vaga por outrem, caso contrário, estará sujeito a não ser aceito como participante nas próximas edições.

Art. 35º A Programação do HARMOS Brasil 2015 em Santa Maria é de inteira responsabilidade da organização do evento e poderá sofrer alterações, sem prévio aviso, a qualquer tempo e critério.

Art. 36º Está vetada a presença de pessoas não inscritas no evento, no interior das salas das oficinas, sem a expressa autorização da parte da organização do evento.

Art. 37º Os participantes que desrespeitarem as regras explicitadas, assim como outras de bom senso, referentes ao bom comportamento e cooperação entre participantes, poderão ser expulsos, a critério da organização do evento. Os espaços destinados a aulas, ensaios e outras atividades deverão ser respeitados para tal finalidade, não sendo permitido o acesso de participantes nas áreas administrativas, nem a utilização dos locais para dormir, recrear e/ou outra atividade que saia fora de suas finalidades. Sendo assim, os participantes encontrados na posse ou sob influência de substâncias ilícitas proibidas por lei poderão ser imediatamente expulsos do evento e entregues às autoridades. Portanto, os participantes que durante a realização do evento tiverem sua inscrição/matrícula cancelada, devido ao não-cumprimento das regras estabelecidas, não terão direito a receber certificado ou declaração de participação, serão excluídos das dependências do evento e então não poderão mais participar de qualquer atividade do evento, podendo inclusive sua inscrição não ser aceita em outras edições.

Art. 38º Em casos omissos ou de exceção serão tratados e resolvidos pela comissão organizadora do evento, a seu tempo e critério.

INSTRUMENTO: VIOLINO

Rui Edgar Maia Gomes (ESMAE/IPP/Portugal): ministrante

Inês Bastos (ESMAE/IPP/Portugal): ministrante

Yara Quercia Vieira (DM/CAL/UFSM): colaboradora

INSTRUMENTO: VIOLA DE ARCO

Jorge Alves (ESMAE/IPP/Portugal): ministrante

Fábio Alexandre FélixVidago (ESMAE/IPP/Portugal): assistente

Yara Quercia Vieira (DM/CAL/UFSM): colaboradora

INSTRUMENTO: VIOLONCELO

Nuno Ferreira (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Ângela Maria Ferrari (DM/CAL/UFSM): colaboradora

INSTRUMENTO: CLARINETA

António Manuel Correia Saiote (ESMAE/IPP/Portugal): ministrante

Tiago Filipe SilvaBento (ESMAE/IPP, Portugal): assistente

Guilherme Sampaio Garbosa (DM/CAL/UFSM): colaborador

INSTRUMENTO: PIANO

Isolda Crespi Rubio (Catalunia, ES): ministrante

Vera Lúcia Portinho Vianna (DM/CAL/UFSM): colaboradora

MÚSICA DE CÂMARA

Jorge Alves (ESMAE/IPP/Portugal): ministrante

António Manuel CorreiaSaiote (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Bruno Alexandre Bernardino Pereira (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Isolda Crespi Rubio (Catalunia, ES): ministrante

Lucius Batista Mota (DM/CAL/UFSM): colaborador

Silvia Cristina Hasselaar (DM/CAL/UFSM): colaboradora

CANTO LÍRICO

Bruno Alexandre Bernardino Pereira (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Roberto Henrique Fernandes de Oliveira (DM/CAL/UFSM): colaborador

Leniza Godinho Menna Barreto (DM/CAL/UFSM): colaboradora

Taiur Agnoletto Fontana (DM/CAL/UFSM): colaborador (pianista correpetidor)

EDUCAÇÃO MUSICAL (ÊNFASE: MÉTODO ORFF)

Mário Joaquim SilvaAzevedo (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Luciane Wilke de Freitas Garbosa (DME/CE/UFSM): colaboradora

TARDE (14h00-17h00)

APRECIAÇÃO MUSICAL

Mário Joaquim SilvaAzevedo (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Luciane Wilke de Freitas Garbosa (DME/CE/UFSM): colaboradora

CANTO-CORAL

Bruno Alexandre Bernardino Pereira (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Claudio António Esteves (DM/CAL/UFSM): colaborador

ORQUESTRA DE CÂMARA

António Manuel CorreiaSaiote (ESMAE/IPP, Portugal): ministrante

Marco Antonio de Almeida Penna (DM/CAL/UFSM): colaborador

MÚSICA POPULAR: PERCUSSÃO/BATERIA

Lucas Casacio (UNICAMP, Campinas-SP): ministrante

Marcelo de Campos Velho Birk (DM/CAL/UFSM): colaborador

MÚSICA POPULAR: VIOLÃO / GUITARRA ELÉTRICA

Elladio Jardas (UNICAMP, Campinas-SP): ministrante

Guilherme Barros (DM/CAL/UFSM): colaborador

ATIVIDADES INTEGRATIVAS MULTIDISCIPLINARES(INTERFACES ENTRE ARTES PERFORMÁTICAS)

Sara Erlingsdotter (Estocolmo, Suécia): ministrante

Vitoria Cortez (São Paulo – SP)

Daniela Minello Manzoni (PPGE/CE/UFSM): colaboradora

Horários: 12h30, 18h30 e 20h30
(sujeito à confirmação/alteração)

DUO DE VIOLINO E PIANO

Rui Edgar Gomes (violino) (ESMAE/IPP/Portugal)
Isolda Crespi Rubio (piano) (ESMAE/IPP/Portugal)

DUO DE CLARINETA E PIANO

Tiago Bento (clarinete) (ESMAE/IPP/Portugal)
Isolda Crespi Rubio (piano) (ESMAE/IPP/Portugal)

DUO DE CLARINETAS

António Saiote (ESMAE/IPP/Portugal)
Tiago Bento (ESMAE/IPP/Portugal)

QUARTETO SFOURZATO (ESMAE/IPP/Portugal)

Rui Gomes (violino)
Inês Bastos (violino)
Fábio Vidago (viola)
Nuno Ferreira (cello)

MÚSICA POPULAR

Lucas Casacio (percussão/bateria) (UNICAMP/Campinas-SP)
Elladio Jardas (violão/guitarra elétrica) (UNICAMP/Campinas-SP)

MOSTRA DO TRABALHO DAS OFICINAS

Participantes: alunos e ministrantes das oficinas e colaboradores (especialmente da UFSM)

SEMINÁRIOS

Convidados: sujeito à confirmação/alteração
Local: UFSM, Campus, CAL, Prédio 40, sala 1203 (Mini-auditório), 2º piso

Dia 29 (quinta-feira)

Horário:14 h

Empreendedorismo Socio-Cultural, a Economia Criativa e a importância de um festival para um lugarLucia Rejane Gama Madruga (CCSH/UFSM – RS/BR)

Helio Leães Hey (CT/UFSM – RS/BR)

Rose Carneiro Carabajal (Cili Produções Culturais) – RS/BR

Vera Lucia Portinho Vianna (CAL/UFSM/RS/BR)

Angela Maria Ferrari (CAL/UFSM/RS/BR)

Nilza Venturini Zampieri (CT/UFSM – RS/BR)

Horário: 15 h 30

A arte e as cidades – no contexto dos estudos de paisagens e de interfaces entre as artes

Sara Erlingsdotter (SE)

Mário Azevedo (PT)

Beatriz Fonseca Isaia (Ballet Ivone Freire – RS/BR)

Beatriz Maria Pippi (Artes Cênicas/UFSM – RS/BR)

Luiz Gonzaga Binato de Almeida (CT/UFSM/ULBRA – RS/BR)

Daniela Minello Manzoni (CE/UFSM – RS/BR)

Bruno Alexandre Bernardino Pereira (ESMAE/IPP, Portugal)
Mentor e diretor artístico internacional

Rogério Carvalho Assis Brasil (SMCPI/PMSM)
Interlocutor na PMSM e coordenador de comunicação, estrutura e acolhimento

Marília Chartune Teixeira (SMC/PMSM)
Coordenadora cultural

Claudio Antonio Esteves (CAL/UFSM)
Representante da direção do CAL e interlocutor na UFSM

EXECUTIVA

Enira Trindade (SMT/PMSM)
Coordenadora executiva e apoio em operações e estrutura

Nilza Venturini Zampieri (CT/UFSM)
Idealizadora, articuladora, diretora do projeto no Brasil e coordenadora de seminários

Marco Antonio de Almeida Penna (DM/CAL/UFSM)
Coordenador artistico-pedagógico local

Marcelo de Campos Velho Birk (DM/CAL/UFSM)
Coordenador de espetáculos

Claudia Fernanda Deltregia (DM/CAL/UFSM)
Chefe do Departamento de Música: apoio artistico-pedagógico e em operações e estrutura

Julién Bertoldo de Melo (DM/CAL/UFSM)
Apoio em secretaria, operações e estrutura

Daniela Minello Manzoni (PPGE/CE/UFSM)

Apoio na divulgação, inscrição e interfaces entre artes performáticas

Promoção internacional

Escola Superior de Música, Artes e Espetáculos do Instituto Politécnico do Porto (ESMAE-IPP, Portugal)

Patrocínio internacional

Santander Universidades

Promoção e realização local

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Prefeitura Municipal de Santa Maria (PMSM)

Apoio nacional e internacional

Escola Superior de Artes do Centro de Artes e Educação Célia Helena (ESCH, São Paulo – SP)
Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Stockholm Academy of Dramatic Arts (SADA, Estocolmo, Suécia)

Apoio organizacional local

Centro de Artes e Letras (CAL-UFSM)
Departamento e Cursos de Música (Bacharelado e Licenciatura e Música e Tecnologia) (CAL-UFSM)
Departamento e Cursos de Artes Cênicas (CAL-UFSM)
Cursos de Dança (Bacharelado: CAL e Licenciatura: CEFD-UFSM)
Laboratório de Educação Musical (LEM-DME-CE-UFSM)
Centro de Tecnologia (CT-UFSM)
Centro de Processamento de Dados (CPD-UFSM)
Secretaria de Município de Cultura (SMC-PMSM)
Secretaria de Município de Turismo (SMT-PMSM)
Secretaria de Município de Comunicação e Programação Institucional (SMCPI-PMSM)

NOMES DOS CONVIDADOS OFICINAS
Rui Edgar Gomes (Portugal) Instrumento: violino
Inês Bastos (Portugal) Instrumento: violino
Fábio Vidago (Portugal) Instrumento: viola de arco
Nuno Ferreira (Portugal) Instrumento: violoncelo
Jorge Alves (Portugal) Instrumento: viola de arco
Tiago Bento (Portugal) Instrumento: clarineta
Isolda Crespi Rubio (Catalunia, ES) Piano / Música de Câmara
António Saiote (Portugal) Clarineta / Regência
Bruno Pereira (Portugal) Canto/Canto-Coral/Música de Câmara
Mário Azevedo (Portugal) Educação Musical/Apreciação Musical
Lucas Casacio (UNICAMP, Campinas – SP) Música Popular (percussão/bateria)
Elladio Jardas (UNICAMP, Campinas – SP) Música Popular (violão/guitarra elétrica)
Sara Erlingsdotter (Suécia)

Vitória Cortez (São Paulo – SP)

Atividades integrativas no contexto multidisciplinar (interfaces entre artes performáticas)

BRUNO ALEXANDRE BERNARDINO PEREIRA: canto lírico e canto-coral

Natural de Portugal. Concluiu o bacharelado em Canto Teatral pelo Conservatório Superior de Música de Gaia, tendo concluído, mais tarde, a licenciatura em Canto na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Porto (ESMAE). Integrou o Vlaamse Opera Studio (Bélgica) na temporada de 2009/10 e o Estúdio de Ópera do Teatro Nacional de São Carlos (Lisboa) em 2011. Realizou master classes e atuado em canto, música de câmara e direção coral e orquestral com renomados professores e regentes. Trabalha regularmente, em Inglaterra, com Sue McCulloch. Apresentou-se, em concertos e produções de ópera, em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Holanda, República Checa, Eslovénia e Rússia. Interpretou como solista em diversas obras vocais, como em cantatas, oratórios e óperas. Tem atuado com agrupamentos como a Orquestra do Norte, Filarmonia das Beiras, Orquestra do Algarve, Orquestra ARTAVE, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra Clássica de Espinho, Sinfonieta da ESMAE, Orquestra Sine Nomine, Orquestra Clássica do Centro, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Spectra Ensemble, Clepsidra, Arcus Coloratus, Grupo de Câmara do Porto, Collegium Vocale, Arte Mínima, entre outros. Orientou master classes de canto e de música de câmara em Portugal, Bélgica e Lituânia. É coordenador internacional e diretor artístico do HARMOS Festival e professor convidado na ESMAE/IPP.

SARA ERLINGSDOTTER (1964-): diretora de cena em teatro e ópera

Natural da Suécia. Diretora de cena em óperas, teatro e outros espetáculos integrados de teatro, música e dança. Diretora artística do grupo de teatro Himlabacken, onde, desde 1990, criou produções de alto nível e desenvolveu projetos de integração de gêneros teatrais. Encenou peças na Suécia e em outros países, mas também trabalhou intensamente com teatro ao ar livre. A partir de 2007, desenvolveu o projeto artístico Ponto de Encontro – Música, Teatro e Espaço, explorando performances e atividades de investigação em colaboração com a Academia de Música de Malmö. Desde 2012, trabalha como professora na Stockholm Academy of Dramatic Arts (Academia de Artes Dramáticas de Estocolmo, Suécia), desenvolvendo o projeto com foco em pesquisas e cooperação internacional. Integrou o staff da Ópera Fairy Queen de Purcell, um projeto integrado no âmbito da Pós-Graduação em Ópera e Estudos Músico-Teatrais da ESMAE/IPP (Porto).

ISOLDA CRESPI RUBIO: piano

Natural de Barcelona, é licenciada em piano pelo Royal College of Music (Londres) onde estudou com o Professor John Barstow. Também tem uma Licenciatura em Cinema realizada na Escola Superior de Cinema e Audiovisuais de Catalunha. Em 2013 concluiu o Mestrado em Ciências da Educação, Música, na Universidade Católica Portuguesa. Actuou em recitais como solista e pianista acompanhadora em Espanha, Portugal, França, Brasil. Suíça, Reino Unido, Dinamarca e Coreia do Sul. Apresenta-se regularmente com a flautista Adriana Ferreira com quem gravou em 2011 o CD “Danse des Sylphes” para a discográfica Numérica e em 2015 para a revista italiana “Falaut”. Tem acompanhado masterclasses, audições e concursos, sendo convidada pelo Prémio Jovens Músicos, pelos Cursos de Aperfeiçoamento Musical de Vila do Conde, pelos Cursos Internacionais de Música de Barcelos, pela Fundação Gulbenkian (Lisboa) e pela Orquestra Sinfónica do Porto – Casa da Música, assim como também tem orientado o Curso de Piano dos Cursos de Aperfeiçoamento Técnico-Interpretativo do Conservatório de Música de Paredes. Tem gravado e tocado em directo em várias ocasiões para Antena 2. Recentemente apresentou-se a solo com a Orquestra ARTAVE interpretando o Concerto n.2 para piano de Rachmaninov. Em 2013 publicou a sua tese com o titulo “O Professor Invisível. A influência do pianista acompanhador na aprendizagem musical dos estudantes de instrumento” na Editora “Novas Edições Acadêmicas”. Actualmente é pianista acompanhadora na Escola Profissional Artística do Vale do Ave (ARTAVE), e Professora assistente convidada na Universidade do Minho e na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto (ESMAE/IPP).

ANTÓNIO MANUEL CORREIA SAIOTE (1960-): clarineta e regência

Natural de Portugal. Terminou o curso do Conservatório Nacional em 1979. Bolsista da Fundação Gulbenkian em Paris e obteve o Meisterdiplom da Hochschule de Munique. Pós-Graduado em Música Contemporânea na Universidade de Alcalá de Henares, Espanha, e Repertório Tradicional, na Inglaterra. Mestre em Direção de Orquestra pela Universidade de Sheffield. Solista na Orquestra Sinfónica Juvenil, Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos, Régie Sinfonia, Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, Orquestra Nacional de Sopros dos Templários e Orquestra Clássica do Porto. Professor nos conservatórios de Coimbra, Figueira da Foz, Castelo Branco, Lisboa, Academia de Évora e dos Amadores de Música, Escola Superior de Lisboa, Universidade de Aveiro e Católica do Porto. Atuou nos festivais de Sintra, Estoril, Nancy, Xangai, Macau, Rabat, São Paulo, Belo Horizonte, Caracas, São José, Santos, Lima, Yangi, Musicalta, Oviedo, Guimarães, Aveiro, Vila Real, Póvoa de Varzim, Paços de Brandão, Espinho, Algarve, Madeira, Açores e Folle Journée. Solista nos congressos mundiais nos EUA, Bélgica, França, Suécia, Canadá e Japão, tendo sido mentor e co-organizador do Congresso Mundial de Clarinete 2009 no Porto. Jurado nos concursos de Varsóvia, Caracas, Kortrijk, Ghent, Brasília, Toulon, Constancia, Sevilha e presidente do Concurso Valentino Buchi em Roma. Representou Portugal na Orquestra Mundial de Juventude na Coreia, Japão, Hungria e Espanha. Atuou ou ensinou em mais de trinta países da Ásia, Europa, América e África do Norte. É Membro de Honra da Associação Internacional de Clarinete e professor na ESMAE/IPP.

JORGE ALVES: viola

Natural de Portugal. Iniciou os estudos musicais no Centro de Cultura Musical (CCM), prosseguindo com o estudo de viola na Escola Profissional Artística do Vale do Ave (ARTAVE). Concluiu o Bacharelado na Academia Nacional Superior de Orquestra e Licenciatura na Escola Superior de Música e Artes do Instituto Politécnico do Porto (ESMAE/IPP). Bolsista da Fundação Gulbenkian em Sion (Suíça) e em Cremona (Itália). Laureado em Viola e Música de Câmara no Prémio Jovens Músicos – RDP, Rádio Nacional da Concorrência PJM-RTP (Portugal), no Concurso Internacional do Festival da Academia de Stª Cecília, em Portugruaro (Itália) e no Concurso Internacional de Alcobaça Câmara (Portugal). Apresenta-se com o pianista Francisco Albuquerque, em duo com guitarra, no Trio Medina e no Quarteto de Cordas de Matosinhos. Como solista, na Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Académica Metropolitana, Sinfonieta de Lisboa e Orquestra Artave. Orientou Master Classes de Viola na Academia de Música do Fundão, conservatórios de Aveiro e Braga, Encontros Gulbenkian de Música Contemporânea, encontros de Música da Bairrada e no Lemmens Institute of Music (Bélgica). Envolvido com estreias e gravações de peças contemporâneas. Sua atuação, como músico solista, camerista ou sinfônico, além de em Portugal, estende-se pela Espanha, France Grã-Bretanha, Suíça, Bélgica, Holanda, Alemanha, Eslovênia, Itália, Brasil e China. Frequentou o Mestrado em Estudos da Criança – Educação Musical na Universidade do Minho, focando os estudos em filosofia e estética da performance musical. Atualmente é chefe de naipe na Orquestra de Câmara do Minho e professor na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, na ESMAE/IPP e no ARTAVE.

MÁRIO JOAQUIM SILVA AZEVEDO: Apreciação Musical e Educação Musical

Natural de Portugal. Músico diplomado pela Stichting Orff-Werkgroep de Elf (Holanda). Co-fundador e um dos gestores e diretores do Instituto Orff do Porto, narrador e comentador em espetáculos. Tendo iniciado doutoramento na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBA-UP). Professor de repertório e vice-presidente da Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto (ESMAE/IPP).

TIAGO FILIPE SILVA BENTO (1992-): clarineta

Natural de Portugal. Concluiu o Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian. Atualmente frequenta o Curso de Licenciatura de Música – Perfomance Clarinete na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo (ESMAE/IPP), no Instituto Politécnico Porto (IPP), sendo músico da ARMAB – Banda de Música da Branca, onde toca clarinete. Vencedor de prêmio em concurso internacional anual, o ClarinetFest 2013, Freixo (Portugal), quando participaram 25 clarinetistas da Europa, América e Ásia. O concurso se desdobra em duas categorias: a High School Com¬pe¬tition (até aos 18 anos) e a Young Artist Competition (até aos 28 anos), categoria em que participou na classe de clarinete.

QUARTETO SFOURZATO

Quarteto de Cordas, formado por jovens estudantes, alunos da Escola Superior de Música, Artes e Espetáculos do Instituto Politécnico do Porto: ESMAE/IPP (Portugal). Apresentou-se em público inúmeras vezes, atuando recentemente no Festival ESMAE. Participou também no programa Grande Valsa da RTP 2, apresentando o Quarteto de Cordas de M. Ravel. O quarteto, concorrente à atual edição do Prêmio Jovens Músicos, apresenta um repertório que inclui obras de Shostakovich, Debussy, Brahms, Mozart, Ravel e Freitas-Branco.
Integrantes: Rui Gomes e Inês Bastos (violinos), Fábio Vidago (viola) e Nuno Ferreira (violoncelo). Fundado em 2014, na ESMAE, e orientado pelo Prof. Ryszard Woycicki (viola).

RUI EDGAR MAIA GOMES (1995-): violino

Natural de Portugal. Conta com vários prêmios em concursos e participação em diversos estágios e máster classes nacionais e internacionais, sendo, atualmente, violinista Concertino da Orquestra e Grupo de Música Contemporânea do Conservatório de Música do Porto.

INÊS BASTOS (1995-): violino

Natural de Portugal. Iniciou seus estudos musicais aos quatro anos na Escola de Música Adágio. Começou a frequentar aulas de piano, tendo optado pelo violino aos cinco anos de idade. Em 2002, ingressou no Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian na classe de violino (tendo terminado o 8º grau em 2013). Integrou a Orquestra de Cordas do Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian, da qual foi Concertino (de 2010 até 2013) e participou também em orquestras de jovens e orquestras profissionais, tais como Orquestra MIMA, OML Júnior, OJ.COM, Orquestra de Câmara Portuguesa Zero, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra Metropolitana de Lisboa, integrando atualmente a Orquestra de Jovens de Bremen (Alemanha) e a Orquestra Sinfónica da ESMAE/IPP. Ganhou prêmios a nível nacional e participou em master classes. Ingressou no ano 2013 na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo.

FÁBIO ALEXANDRE FÉLIX VIDAGO (1995-): viola

Natural de Portugal. Iniciou seus estudos musicais na Escola de Arte ESPROARTE-Profissional em Mirandela, em 2007, na classe de viola. No mesmo ano, foi o vencedor do Prêmio de Mérito pelo Ministério da Educação. Frequentou várias Masterclasses com diversos professores renomados. Em 2010, com a Orquestra Sinfónica Esproarte, participou do Concurso Eixo Atlântico, no qual ele ganhou o 1º Prémio. Em 2011, foi homenageado com o 2º Prêmio no concurso Paços Premium. Participou da Orquestra APROARTE, de 2011 a 2013. Em 2013, fez parte do palco para Orquestra Gulbenkian. Também colaborou com a Orquestra Sinfônica de Porto – Casa da Música, tendo trabalhado com diversos maestros. Mesmo na orquestra, tocou com diversos solistas. Em 2013/2014, junta-se ao Quarteto Verazin – residente quarteto no Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim – onde teve a oportunidade de trabalhar com o Quarteto Ebene. Atualmente frequenta o ensino superior na ESMAE/IPP, na classe do Prof. Ryszard Woycicki.

NUNO FERREIRA (1995-): Violoncelo

Natural de Portugal. Iniciou os seus estudos musicais na ESPROARTE – Escola Profissional de Arte de Mirandela, em 2007. Em 2013 concluiu o 8º grau nesta mesma escola com a nota máxima e, foi também vencedor do Prémio de Mérito oferecido pelo Ministério da Educação. Frequentou diversas Masterclasses com professores como Lluís Claret, Johannes Moser, Maria de Macedo, Ran Varon, Paulo Gaio Lima, Filipe Quaresma, entre outros. Participou também em várias orquestras como Sub-21 Europeia, Aproarte, JOP, ESMAE e Orquestra Sinfónica Esproarte com a qual ele ganhou em 2010 o 1º prémio do Concurso Eixo Atlântico. Nestas mesmas orquestras trabalhou com diversos Maestros e Solistas. Em 2014 integrou o Quarteto sFourzato com o qual ganhou o 2º Prémio na 29ª edição do Concurso Prémio Jovens Músicos. Atualmente frequenta o ensino superior na ESMAE/IPP, na classe de violoncelo do Prof. Jed Barahal.

Programação

PROGRAMAÇÃO GERAL

GRADE DE HORÁRIOS DAS ATIVIDADES

OBS.: Sujeito à confirmação/alteração

Dia

Horário

Atividades

Quarta 28/10 Quinta 29/10 Sexta

30/10

Sábado

31/10

Domingo

01/11

Manhã

8h30-12h

Oficinas

Oficinas

Master class

Oficinas

Master class

Oficinas Ensaios Ensaio geral
Espetáculos

12h30

Espetáculo

matutino

Espetáculo

matutino

Espetáculo

matutino

Espetáculo

matutino

Tarde

14h-17h00

Ensaios

Ensaios e oficinas Ensaios e oficinas Ensaios e oficinas Ensaios
14 h-17h

Seminários

Seminários
18h30

Espetáculos vespertinos

Recital

Recital

Recital

Recital

Espetáculo

Encerramento

Noite

20h30

Espetáculos

noturnos

   Espetáculo

noturno

PROGRAMAÇÃO – ESPETÁCULOS

28 / 10 (Quarta) 29 / 10 (Quinta) 30 / 10 (Sexta)  31 / 10 (Sábado) 01 / 11 (Domingo)
Recital 

violino e piano

Rui Edgar Gomes (violino) +

Isolda Crespi Rubio (piano)

(IPP/Portugal)

CAMPUS UFSM

Teatro Caixa Preta CAL Prédio 40

Horário: 12h30
Espetáculo de

Música Popular

Lucas Casacio (percussão/bateria) + Elladio Jardas (violão/guitarra elétrica) (UNICAMP)

Recital  

clarineta e piano

Tiago Bento  (clarineta) +

Isolda Crespi Rubio (piano)

(IPP/Portugal)

Recital

violino e piano

Rui Edgar Gomes (violino) +

Isolda Crespi Rubio (piano)

(IPP/Portugal)

Espetáculo  Encerramento das oficinas

Grandes grupos:

vocal e instrumental e outros

CAMPUS UFSM

CT (Engenharias)

Hall de entrada

  CAMPUS UFSM

Sala Sebastian Benda

Prédio 40 B

CAMPUS UFSM

Sala Sebastian Benda

Prédio 40 B

CAMPUS UFSM Espaço Multiuso
Horário: 12h30 Horário: 12h30 Horário: 12h30 Horário: 12h30
Concerto

Quarteto Cordas

Duo de clarinetas e convidados da UFSM

Quarteto sFourzato

(IPP/Portugal)

Rui Gomes (violino)

Inês Bastos (violino)

Fábio Vidago (viola)

Nuno Ferreira (cello)

Duo de clarinetas . António Saiote e Tiago Bento e convidados da UFSM

Concerto

Quarteto de Cordas

Quarteto sFourzato

(IPP/Portugal)

Rui Gomes (violino)

Inês Bastos (violino)

Fábio Vidago (viola)

Nuno Ferreira (cello)

Concerto

Quarteto de Cordas

Quarteto sFourzato

(IPP/Portugal)

Rui Gomes (violino)

Inês Bastos (violino)

Fábio Vidago (viola)

Nuno Ferreira (cello)

Espetáculo  Encerramento das oficinas

Oficinas diversas

Espetáculo Encerramento do evento

Grandes grupos:

vocal e instrumental e outros

CENTRO

Antiga SUCV –

Prefeitura

CENTRO

Igreja Episcopal Anglicana

Catedral do Mediador

CENTRO

Construtora Jobim

CENTRO

Igreja Episcopal Anglicana

Catedral do Mediador

CENTRO

Catedral Metropolitana

Horário: 18h30 Horário: 18h30 Horário: 17h30 Horário: 19h00 Horário: 19h00
Espetáculo

Música Popular

Lucas Casacio (percussão/bateria) + Elladio Jardas (violão/guitarra elétrica)

(UNICAMP)

CENTRO

EMAI

Próximo à Gare

Horário: 20h30
LOCAIS – DADOS GERAIS

OBS.: Sujeito à confirmação/alteração

OFICINAS E ENSAIOS (manhã e tarde)

Campus da UFSM (Bairro Camobi, Santa Maria – RS)

– CAL – Centro de Artes e Letras (Prédio 40)

– Escola de Música (Prédio 40 B), depois do Planetário

– Espaço Multiuso (entre a Reitoria, o Planetário e o Centro de Convenções)

– CE – Centro de Educação (Prédio 16)      

ESPETÁCULOS (12h30, 18h30 e 20h30)

Campus da UFSM (Bairro Camobi, Santa Maria – RS)

– Sala Sebastian Benda: Escola de Música (Prédio 40 B), depois do Planetário

– Teatro Caixa Preta – CAL (anexo ao Hall de Entrada do CAL: Prédio 40)

– Espaço Multiuso (entre a Reitoria, o Planetário e o Centro de Convenções)

– Hall de Entrada do CT – Centro de Tecnologia (Engenharias), entrada do Campus

Centro de Santa Maria e entorno

– Salão de Atos da antiga SUCV – hoje Prédio do Gabinete do Prefeito Municipal de Santa Maria (Praça Saldanha Marinho)

– Auditório da EMAI – Escola Municipal de Aprendizagem Industrial, próximo à Gare (final da Av. Rio Branco)

– Igreja Episcopal Anglicana – Catedral do Mediador (início da Av. Rio Branco, próximo à SUCV)

– Catedral Metropolitana (Av. Rio Branco)

SEMINÁRIOS (15 h)

Campus da UFSM (Bairro Camobi, Santa Maria – RS)

– Escola de Música (Prédio 40 B), depois do Planetário ou no CAL: Prédio 40 (a confirmar)

REGISTRO EM PESSOA (dia 28, quarta-feira, pela manhã)

Campus da UFSM (Bairro Camobi, Santa Maria – RS)

– Hall de Entrada da Escola de Música (Prédio 40 B), depois do Planetário

LOCAIS DAS OFICINAS

OBS.: Sujeito à confirmação/alteração

OFICINAS MINISTRANTES TURNO

VAGAS

QUARTA

28

QUINTA

29

SEXTA

30 (feriado)

SÁBADO

31

Instrumento: violino Rui Edgar Gomes (Portugal)

Inês Bastos (Portugal)

Manhã

12

303 303 303
302 302 302
Instrumento: viola de arco Jorge Alves (Portugal)

Fábio Vidago (Portugal): assistente

Manhã

12

1218 1218 1218
1213 1213 1213
Instrumento: violoncelo Nuno Ferreira (Portugal) Manhã

12

1313 1313 1313
Instrumento: clarineta António Saiote (Portugal)

Tiago Bento (Portugal): assistente

Manhã

12

305 305 305
304 304 304
Instrumento: piano Isolda Crespi Rubio (Catalunia, ES) Manhã

12

1202-CAL 1202-CAL 1202-CAL
Canto lírico Bruno Pereira (Portugal) Manhã

12

1202 1202 1202
Música de Câmara Jorge Alves (Portugal)

António Saiote (Portugal)

Bruno Pereira (Portugal)

Isolda Crespo Rubio (Catalunia, ES)

Manhã

21

1312 1312 1312
304 304 304
1202 1202 1202
Educação Musical (ênfase: Método Orff) Mário Azevedo (Portugal) Manhã

30

3368

LEM/CE

3368

LEM/CE

3368

LEM/CE

Canto-Coral Bruno Pereira (Portugal) Tarde

80

1202 1202 1202 1202
Orquestra de Câmara António Saiote (Portugal) Tarde

40

1105 1105 1105 1105
Apreciação Musical Mário Azevedo (Portugal) Tarde

30

1218 1218 1218 1218
Música Popular: violão/guitarra elétrica Lucas Casacio

(UNICAMP), Campinas – SP)

Tarde

12

1302 1302 1302
Música Popular: percussão/bateria Elladio Jardas

(UNICAMP), Campinas – SP)

Tarde

12

1101-CAL 1101-CAL 1101-CAL
Atividades integrativas no contexto multidisciplinar (interfaces entre artes performáticas) Sara Erlingsdotter (Suécia)

Vitoria Cortez (São Paulo – SP)

Tarde

80

Espaço Multiuso 1323-CAL Espaço Multiuso Espaço Multiuso

As vagas nas oficinas, a princípio, serão distribuídas da seguinte forma:

a) Instrumento ou Voz [06 ativos + 06 ouvintes = 12];

b) Música de Câmara, distribuída em 3 turmas [09 grupos (ativos) + 12 alunos ouvintes = 21];

c) Orquestra de Câmara [40];

d) Canto-Coral [70 ativos + 10 ouvintes = 80 ];

e) Música Popular: violão / guitarra elétrica [06 ativos + 06 ouvintes = 12];

f) Música Popular: percussão / bateria [06 ativos + 06 ouvintes = 12];

g) Educação Musical (ênfase: Método Orff) [20 ativos + 10 ouvintes = 30];

h) Apreciação Musical [30];

i) Atividades integrativas no contexto multidisciplinar (interfaces entre artes performáticas) [70 ativos + 10 ouvintes = 80].

OBS.:

1) A oficina de Apreciação Musical não contemplará a categoria ouvinte.

2) Na quarta-feira, das 8h30 às 11h, todos deverão estar no Hall de Entrada da Escola de Música (Prédio 40 B) para fazer o registro em pessoa (confirmação da inscrição, conforme o edital).

3) No domingo, todos deverão estar no Espaço Multiuso (entre a Reitoria, o Planetário e o Centro de Convenções), às 8h30, no ensaio geral para o Espetáculo de Encerramento.

4) As salas que não constam o Centro de Ensino são na Escola de Música (Prédio 40 B), as que constam CAL correspondem ao Prédio 40 e a que consta CE corresponde ao Laboratório de Educação Musical, Prédio 16 do Centro de Educação.

5) A inscrição em Música de Câmara deverá ser em nome de um dos integrantes do grupo que ficará como que responsável pelo grupo, sendo que este deverá indicar o(s) colega(s), o instrumento e o repertório.

Contato

OFICINAS

pennamarcoantonio@gmail.com

(55) 9933 3676

ESPETÁCULOS

eletrolas@gmail.com

(51) 9439 3469

SEMINÁRIOS

nilzazampieri@yahoo.com.br

(55) 9644 4373

OPERAÇÕES E ESTRUTURA

depmus.ufsm@gmail.com

(55) 3220 8088

OPERAÇÕES E ESTRUTURA

enira@teleponto-sm.com.br

(55) 9947 7653

Localização

Universidade Federal de Santa Maria

Roraima - 1000 - camobi

Santa Maria - Rio Grande do Sul

Realização
Apoiadores
Patrocinadores