Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Projeto de pesquisa propõe novos métodos de ensino da matemática

Apresentação do projeto na Jornada Acadêmica Integrada. Foto: Arquivo pessoal.

O projeto de pesquisa intitulado “O uso de mapas conceituais para a aprendizagem significativa de conteúdos matemáticos abordados em curso pré-universitário popular” é um projeto existente desde 2018, cujo desafio é proporcionar estratégias de ensino promotoras de aprendizagens significativas em contraponto às aprendizagens mecânicas no ensino da matemática. Neste sentido, são aplicados mapeamentos conceituais como metodologias inovadoras de ensino, que aliados à filosofia cognitivista da aprendizagem significativa, estão, teoricamente, favorecendo a atribuição de significados por parte do aprendiz. 

Atualmente, fazem parte deste projeto a orientadora e autora Maria Cecília Pereira Santarosa, a acadêmica de Licenciatura – Matemática Laura Tiemme de Castro e o licenciado em Matemática Renan Severo Ferreira.  A pesquisa está vinculada ao Grupo de Pesquisa em Ensino e Aprendizagem de Ciências e Matemática (GPECIM), com cadastro na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

O projeto em ação. Foto: Arquivo pessoal.

Até o presente momento, o projeto já foi apresentado em eventos acadêmicos como a Jornada Acadêmica Integrada (JAI) da UFSM, a Semana Acadêmica Integrada (SAI) do Centro de Ciências Naturais e Exatas (CCNE) e na Escola de Inverno da Educação Matemática (EIEMAT). Em 2019, a orientadora do projeto tem perspectivas para que ele seja apresentado em outros eventos, além de realizar a submissão do mesmo no periódico Aprendizagem Significativa em Revista (ASR).

Ao propor meios de aprendizagem mais eficientes, o projeto se caracteriza por ter uma preocupação com o ensino e com os estudantes. As ações desta pesquisa na sociedade possibilitam uma alternativa de inserção para alunos de baixo poder aquisitivo, em curso Pré-Vestibular Popular da cidade. Para Maria Cecília, “o projeto tem proporcionado aos pré-vestibulandos uma visão diferenciada da matemática acerca dos conteúdos. O mapeamento conceitual coloca o aluno numa postura ativa, frente ao sistema de ensino e aprendizagem vivenciado”.

Essa nova forma de fazer matemática que vem sendo aplicada no projeto, apesar de inicial, tem despertado o interesse na classe de professores de Matemática, além de ser utilizado em Programas de Extensão  e Ensino, tais como a Residência Pedagógica. “O fato de prever possível aprendizagem significativa de forma cientificamente aceita, favorece a manutenção do conhecimento na estrutura cognitiva, onde os conceitos presentes servirão como ancoradouros para novas aprendizagens, por muito tempo”, avalia a orientadora.

 

Texto por: J. Antônio de S. Buere Filho, acadêmico de Comunicação Social – Relações Públicas e bolsista do Núcleo de Divulgação Institucional do CCNE

Edição: Wellington Gonçalves, relações públicas do Núcleo de Divulgação Institucional do CCNE