Ir para o conteúdo CCNE Ir para o menu CCNE Ir para a busca no site CCNE Ir para o rodapé CCNE
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Brota na Feira: evento traz comunidade ao Jardim Botânico da UFSM



O evento intitulado ‘Brota na Feira’, que aconteceu no último domingo (31), no Jardim Botânico da UFSM, contou com expositores da Polifeira, brechós e artesanato, além de música ao vivo e autoral, proporcionada por artistas locais.

 

Descrição de imagem: Foto colorida horizontal imagem panorâmica em ângulo superior do Jardim Botânico com muitas pessoas circulando e sentadas. Na lateral direta barracas da PoliFeira com o telhado de lona verde. Na lateral esquerda e na parte inferior o gramado verde também com pessoas. O fundo são árvores e na parte superior ao fundo o céu azul com nuvens brancas.
Imagem do evento “Brota na Feira” realizado no último domingo (31/07) no Jardim Botânico da UFSM. Foto: Natália Huber.


A iniciativa foi realizada por um grupo de estudantes do curso de relações públicas em parceria com o Jardim Botânico da UFSM, órgão suplementar do CCNE, como parte da avaliação prática da disciplina de gestão de eventos. A professora orientadora da atividade, Elisângela Mortari, conta que o principal objetivo da proposta é colocar em prática o que os alunos aprendem na teoria. 

 

Com a ajuda de alguns parceiros da universidade, os estudantes desenvolvem, nesta disciplina, um plano que visa potencializar os espaços dos colaboradores dentro da universidade e dar visibilidade a estes. A disciplina que já contou com eventos científicos como o “Esquenta JAI” e artísticos como o “Dia do acervo vivo”, dessa vez trouxe uma proposta voltada para a sustentabilidade no consumo.

 

As acadêmicas, Sabrina Ferraz e Tania Raquel, idealizadoras do evento, afirmam que a ideia era levar as pessoas que frequentam regularmente a UFSM, mas não costumam ir ao Jardim, a conhecerem um novo espaço na universidade. Para elas, também é importante trazer visibilidade ao lugar, pois o investimento é para o público, que precisa se apropriar do espaço. Outro dos objetivos, era fomentar a arte e a economia local, bem como a sustentabilidade nos meios de consumo. Representando esta, estão os brechós – que prezam pela reutilização de têxteis – e vendedores da PoliFeira, os quais são em maioria pequenos produtores e muitos trabalham com produtos livres de agrotóxicos.

 

Para o expositor, representante da Holos Bambuzaria Artesanal, Pedro Marquezine, o momento simbolizou uma retomada da realização de atividades integradoras depois de dois anos de pandemia, pois permitiu o compartilhamento entre os próprios comerciantes locais e a possibilidade das pessoas conhecerem seus trabalhos. 

 

A proprietária do brechó Capim Limão, Francielle Cassol, destacou o deslocamento promovido, pois a maior parte das feiras em que participa ficam no centro da cidade. Para ela, as atrações musicais foram uma surpresa que complementou a atmosfera do evento. A diversidade do público também chamou a atenção, pois conta que foram atendidos desde idosos até crianças.  

 

Para a comerciante de alimentos artesanais, Josiane, a variação foi importante para atingir clientes que a PoliFeira – a qual expõe todas terças (na Avenida Roraima) e quintas-feiras (no Largo do Planetário) – não alcança. Ela relata que as expectativas para o evento foram superadas, pois antes do fim da tarde o estoque de produtos estava no fim. 

 

As estudantes do curso de Relações Internacionais, Laura e Marina, foram prestigiar o ‘Brota na Feira’ e destacaram a integração proporcionada para comunidade acadêmica e santamariense. A tarde ensolarada de domingo somada a beleza natural da vegetação do local, contemplou os visitantes. Marina, que nunca tinha ido ao Jardim Botânico, conta que achou o local lindo.

 

Destaca-se, assim, a participação do coletivo Santa Autoria, a qual proporciona a visibilidade de artistas locais e teve sua estreia no último domingo, 24 de julho. As bandas participantes do evento expuseram músicas ainda inéditas para grande parte do público, que contou com ritmos como rap, hardcore rock, reggae, jazz blues entre outros.

 

Deste modo, o objetivo inicial do evento foi atingido e demonstra que a Universidade e o Jardim Botânico da UFSM possuem espaços a serem apropriados pela comunidade, proporcionando maior qualidade de vida, gerando lazer e saúde à população santamariense.

 

Texto: Júlia Weber, acadêmica de jornalismo e bolsista da Subdivisão de Comunicação do CCNE e Natália Huber.

Edição: Natália Huber, chefe da Subdivisão de Comunicação do CCNE.

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-369-2885

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes