Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Apresentado elemento fragmentário do membro posterior de um novo morfotipo de lagerpetídeo



Cerca de 230 milhões de anos atrás durante o Período Triássico, onde hoje é o sul do Brasil e a Argentina, estavam surgindo os primeiros dinossauros do mundo. Além dos dinossauros, outros grupos muito próximos compartilhavam as paisagens que viriam a se tornar importantes sítios fossilíferos nos dias de hoje. Um desses grupos é chamado de Lagerpetidae e é composto por pequenos animais ainda pouco compreendidos. Tal problemática está relacionada a escassez de esqueletos fossilizados de membros deste grupo. Entretanto, sabe-se que eram animais cursoriais (corredores) com base na morfologia de seus membros posteriores. 
Por conta disto, os ossos que fazem parte da perna desses animais são altamente especializados, com vários traços anatômicos únicos. Justamente um elemento fragmentário (parte do fêmur) do membro posterior de um novo morfotipo de lagerpetídeo foi apresentado em um estudo publicado por Maurício Garcia (aluno do curso de Ciências Biológicas da UFSM) ao lado de pesquisadores do CAPPA/UFSM (Rodrigo Temp Müller, Átila Augusto da Rosa e Sérgio Dias da Silva) no periódico Journal of South American Earth Sciences. O espécime foi escavado em uma localidade fossilífera na cidade de Santa Maria. 
Além da descrição do novo material, são abordados vários aspectos geológicos e evolutivos, principalmente acerca dos dinossauros do Triássico do sul do Brasil e da Argentina. A descoberta também revela a mais antiga coocorrência de dinossauros, silessaurídeos e lagerpetídeos (sendo os dois últimos grupos muito aparentados aos dinossauros).

Confira a nova descoberta na íntegra: Link



Publicações Recentes