Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

UFSM inaugura estação de sistema Glonass

Após longo período de negociações, foi inaugurada, na manhã desta quarta-feira (20), a Estação de Medição Glonass na Universidade Federal de Santa Maria. Trata-se da firmação de convênio entre a UFSM e a Companhia Russa de Pesquisa e Produção “Precision Systems and Instruments”. A instalação desta estação é útil para ambos os lados, pois melhorará a precisão do sinal de geolocalização Glonass no sul do país, e possibilitará à Instituição utilizar dados para pesquisas acerca do tema.

O projeto envolve duas áreas da Universidade: o Centro de Ciências Rurais (CCR), do qual participam dois professores doutores em Geodésia, e o de Tecnologia (CT), com dois professores doutores em Telecomunicações e Processamento de Sinais. Além deles, fazem parte dois graduandos em Engenharia de Telecomunicações, e um mestrando em Informática. Para os envolvidos estão previstas bolsas.

            13055679 1756742731223214 5075622605480223187 o

O coordenador do projeto, professor Eno Darci Saatkamp, destacou que este é um projeto multidisciplinar e, portanto, a equipe passa por fase de nivelamento de conhecimentos. A intenção, neste período, é instruir os membros sobre aspectos de todas as áreas envolvidas. 

Os equipamentos que serão utilizados para as pesquisas vieram da Rússia, e foram desenvolvidos pela Companhia Russa de Pesquisa e Produção.

Na solenidade, o representante da Agência Espacial Russa no Brasil, Gennady Saenko, explicou que o motivo da escolha da UFSM como sede de uma estação da Glonass é a estrutura existente. Saenko destacou a presença do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e as pesquisas feitas na área aeroespacial. “A instalação dessa pequena estação pode abrir caminhos para grandes projetos”, afirmou.

O reitor da UFSM, Paulo Afonso Burmann, comentou que a parceria é uma maneira de investir em educação, ciência e tecnologia, e que ela será muito útil a todos os envolvidos. Disse, ainda, que o convênio possibilitará à UFSM a criação de outros cursos nas áreas de Engenharia de Telecomunicações e Aeroespacial, e os estudos desenvolvidos pelos profissionais da instituição ajudarão no incremento tecnológico do Sul do Brasil.

Em setembro de 2015, o diretor da Corporação de Equipamentos de Precisão (NPK-SPP), Yuri Roy, também presente nesta cerimônia, e o reitor da UFSM, assinaram em Moscou, Rússia, acordo para implantar a estação. Por meio desta parceria, a UFSM se tornou o segundo ponto de base terrena do sistema Glonass da América Latina. O primeiro foi instalado no campus da Universidade de Brasília (UnB). Também está prevista uma terceira estação na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Sistema Glonass

O sistema de navegação por satélite russo Glonass foi projetado, em 1976, para fornecer à Rússia os seus próprios dados de navegação para uso militar e civil, bem como para competir com o Sistema de Posicionamento Global (GPS) americano no mercado comercial para dados de navegação.

Em entrevista concedida à Gazeta Russa, o presidente da Glonass, Aleksandr Gurko, explicou que “os sinais tanto do Glonass como do GPS são igualmente capazes de definir a localização exata de algum ponto no mapa. Mas a situação muda ao usar o equipamento que recebe e processa sinais de ambos os sistemas. Nesse caso, o usuário obtém um ganho significativo em velocidade de definição das coordenadas e confiabilidade”.

Texto e fotos: Andressa Motter, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência Notícias da UFSM