Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Tese de professor da UFSM é base para reportagem de revista da Editora Abril

Em geral, os trabalhos acadêmicos, tanto de graduação quanto de pós-graduação, após sua apresentação, ficam armazenados em seus respectivos departamentos e bibliotecas. Apesar de serem publicados em revistas científicas, é menos comum ver sua divulgação no meio empresarial e para o grande público.

No entanto, a revista Vida Simples, da Editora Abril, foi em busca da tese de doutorado de Marcelo Trevisan, professor do Curso de Administração e do Programa de Pós-Graduação em Administração, pertencentes ao Departamento de Ciências Administrativas da UFSM, para utilizá-la em uma matéria da edição 148, de agosto de 2014. Intitulada “Um jeito mais parceiro de trabalhar”, assinada por Ana Holanda e Ricardo Ampudia, a matéria trata sobre o ecoparque da empresa de cosméticos e perfumaria Natura, inaugurado em março deste ano em Benevides, cidade próxima a Belém do Pará, e da relação que o meio industrial pode ter com a natureza.

Considerado o primeiro ecoparque industrial da América Latina, sua criação foi necessária em vista de a matéria prima da empresa Natura estar na floresta Amazônica e como forma de conciliar o processo industrial com a natureza, visando mais integração e menos destruição do meio ambiente.

Apesar de os ecoparques serem uma novidade no meio empresarial brasileiro, no Japão há pesquisas sobre o tema desde os anos 1960 e que remetem ao conceito de ecologia industrial. Bastante difundida no Japão, Dinamarca, Estados Unidos, Canadá, Suécia, entre outros países, a ecologia industrial refere-se à reutilização sistemática de materiais e resíduos pela indústria como forma de diminuir a extração de matéria-prima e os impactos ambientais.

Nesse sentido, a tese do professor Marcelo Trevisan, intitulada “A ecologia industrial e as teorias de sistemas, institucional e da dependência de recursos a partir dos atores de um parque tecnológico”, e que teve como objeto de estudo a Associação Parque Tecnológico de Santa Maria (Santa Maria Tecnoparque), trata sobre a ecologia industrial e remete ao conceito de “simbiose industrial”. Uma analogia às relações de sistemas ecológicos, de tal forma que o resíduo de uma indústria se torna matéria-prima para outra, proporcionando interações mutuamente benéficas, como ocorre com a simbiose observada na natureza.

Como cita o professor em sua tese, “a ecologia industrial possui sua origem vinculada à metáfora entre os ecossistemas naturais e industriais. Ela nasce da aspiração humana de integrar seus sistemas artificiais com os sistemas pertencentes à natureza. Dentro dessa perspectiva, oferece uma visão holística que considera, concomitantemente e de modo amplo, as necessidades da natureza e dos homens, não só as econômicas, mas também as sociais”.

Além disso, o professor Marcelo Trevisan destaca que “esses relacionamentos simbióticos requerem, além de longo prazo, a criação de uma cultura de cooperação consciente não apenas entre as empresas, mas que também inclua os demais atores sociais locais (tais como as instituições de ensino e os setores público e privado)”.

Com a construção do ecoparque da Natura, espera-se que outras empresas sigam o exemplo, difundindo o conceito de ecologia industrial e reconhecendo que interagir com a natureza é mais interessante do que a destruir.

Dessa forma, a utilização do estudo elaborado pelo professor Marcelo como apoio para a matéria da revista Vida Simples sugere que, muito mais que um trabalho de sucesso na academia, suas conclusões podem ser difundidas no meio empresarial, auxiliando na adaptação às ideias contemporâneas sobre desenvolvimento sustentável.

Eduardo Molinar, acadêmico do Curso de Jornalismo e bolsista da Assessoria de Comunicação do CCSH.