Ir para o conteúdo CE Ir para o menu CE Ir para a busca no site CE Ir para o rodapé CE
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Núcleo de Estudos sobre Memória e Educação – CLIO

Núcleo de Estudos sobre Memória e Educação – CLIO na UFSM, coordenado pelo Prof. Dr. Jorge Luiz da Cunha, vem, desde a sua criação em 1996, desenvolvendo trabalhos que enfatizam as temáticas: memória/s e narrativa/s (Auto) Biográficas, História da Educação, Políticas Públicas, Ações Afirmativas, Cultura, Educação e História, o que, destaca sua relevância de pesquisa nos campos da História e da Educação, sempre com diálogo interdisciplinar. Uma trajetória marcada ao longo de seus vinte anos pela inserção acadêmico-científica e comunitária, abrindo espaço para graduandos, mestrandos e doutorandos, assim como, profissionais do ensino básico, superior e outros segmentos sociais, com considerável número de monografias, dissertações e teses concluídas.

Desenvolvendo investigações sobre temas geradores de conhecimento e de paradigmas sócio-políticos e culturais emergentes da Educação e da História e suas inter-relações com as práticas educativas institucionalizadas e com as funções sociais da escola, o Núcleo, numa referência à Musa Clio – Musa da História, “Proclamadora” dos tempos passados – concebe a memória como uma construção do presente, a partir de experiências e vivências do passado. Entende que a Memória está aberta à dialética da lembrança e do esquecimento, pela qual busca salvar o passado do esquecimento e edificar o presente e o futuro. Segundo Cunha (2008, p. 202), “memória é uma construção do presente, alicerçada em experiências e vivências do passado”. Partindo dessa perspectiva, podemos pensar na memória como ressignificação do passado e a história como reinterpretação desta memória, concepções das quais, pode-se tratar questões pertinentes e necessárias à contemporaneidade. É nesse sentido que a narrativa (Auto) Biográfica sobre e no processo de formação, no agenciamento de seus conceitos descritivos torna-se tão potente, considerando sua característica de dar conta de emergir um sujeito em formação que é global, que é social, que não está descolado das muitas variáveis intrínsecas à sua própria vida enquanto singularidade.

 

CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEMÓRIA E EDUCAÇÃO: NARRATIVAS (AUTO)BIOGRÁFICAS