Ir para o conteúdo CT Ir para o menu CT Ir para a busca no site CT Ir para o rodapé CT
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Conheça o aplicativo que conecta doadores de sangue e hemocentros



Estudantes do Centro de Tecnologia criaram um aplicativo que ajudará no abastecimento de hemocentros. O Hemotify, que foi lançado na tarde da terça-feira (1º), serve para ajudar quando há demanda por doadores de sangue.

O aplicativo é vinculado ao Facebook, por isso é bastante prático, basta estar com a página na tela, clicar em “Quero ser um doador” e esperar até que abra uma janela para informar os dados de login do Facabook. Depois disso, é necessário que o usuário diga qual o seu tipo sanguíneo e cidade onde mora. E é isso! Assim, toda vez que o hemocentro mais próximo precisar de doadores de determinado tipo sanguíneo, os cadastrados receberão uma notificação via Facebook.

Os estudantes de Engenharia de Controle e Automação, Fernando Henrique Berwanger e Ricardo Morcelli, pensaram no programa quando estavam passeando de carro, em agosto passado, e falavam sobre a demanda por doares de sangue. O desenvolvimento do projeto foi rápido, pois os estudantes não queriam perder tempo. A partir daí, começou a busca por pessoas que pudessem contribuir para a construção do app. O Hemotify é fruto de 70 dias de trabalho da empresa Stallo Soluções de Impacto, da qual Berwanger e Morcelli são sócios, atualmente na Incubadora Tecnológica de Santa Maria.

Como estudantes de Engenharia de Controle e Automação, tinham conhecimento para programação de máquinas, porém não o suficiente para fazer aquilo que idealizavam. Então, entraram em contato com professores do Colégio Técnico Industrial de Santa Maria (Ctism), e descobriram Dalto Souza, estudante do 2º ano do Ensino Médio, que foi o programador do Hemotify, conectar para salvar vidas. A equipe também contou com a estudante de Publicidade e Propaganda Camila Missio, que foi a responsável pelo design da página, e o estudante de Engenharia Acústica Gabriel Branco deu o toque final.

Segundo Berwanger, foram investidos, até agora, R$ 1,5 mil no desenvolvimento do aplicativo queestá em período de testes durante 30 dias, conforme determinação do Governo do Estado. “Ontem (3) mesmo ocorreu um erro. Em dois dias tivemos quase 400 doares cadastrado, e por isso bloquearam a conta. Mas, nós buscamos uma solução e agora pode durar anos”, disse Berwanger. Ele disse ainda que estão integrando um módulo novo ao site e, futuramente, o usuário cadastrado poderá receber notificações pelo Whatsapp, Telegram ou Whisper, que são aplicativos de comunicação.

O app já foi ofertado ao Hemocentro de Santa Maria de graça e está em período de validação. A pretensão é fazer o mesmo com os demais hemocentros do Estado. 

 

Texto por Leandra Cruber, acadêmica de Jornalismo – Núcleo de Divulgação Institucional do CT/UFSM.


Publicações Recentes