Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano
Início do conteúdo

Professor Elvis Carissimi fala sobre a importância de estudos sobre a água

O curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSM participou recentemente do 6º Congresso Internacional de Tecnologia Para o Meio Ambiente, realizado durante a 8ª edição da Feira de Negócios, Tecnologia e Conhecimento em Meio Ambiente (FIEMA), realizada no Parque de Eventos, em Bento Gonçalves (RS).

O professor do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, Elvis Carissimi, orientou 7 dos 20 trabalhos apresentados com participação da UFSM no evento. Sua atuação na área de Engenharia Sanitária e Ambiental tem ênfase em abastecimento de águas, gestão de recursos hídricos, tratamento de águas de abastecimento e residuárias visando o reúso/reaproveitamento através de coagulação/floculação, sedimentação, flotação e Processos Oxidativos Avançados (POAs), além de ser membro da International Water Association (IWA). Entre suas principais produções técnicas destaca-se a Patente de um Equipamento Industrial para tratamento de águas e a revisão técnica de tradução do livro Princípios de Tratamento de Água, da Editora Cengage (2016).

Ele falou sobre a importância de pesquisas na área de recursos hídricos, a relação do tratamento de esgoto com a qualidade da água e as oportunidades para Engenheiros Sanitaristas e Ambientais no mercado de trabalho. Confira:

 

NDI: Foram ao todo 20 trabalhos apresentados com participação da UFSM, e muitos deles abordaram temáticas relacionadas à água, como “desfluoretação da água”, “qualidade da água”, “tratamento de água” e “bacias hidrográficas”. Qual a importância de estudos relacionados a esse tema dentro do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSM e para a sociedade em geral?

A grande área de Recursos Hídricos é amplamente abordada no curso de Engenharia Sanitária e Ambiental e na Engenharia Civil. Conhecer a qualidade e a quantidade disponivel de água é de fundamental importância para o planejamento e desenvolvimento sócio-econômico em áreas cruciais, tais como: agricultura, indústria, comércio, abastecimento urbano, entre outros. Portanto, o profissional de engenharia que for atuar na área de planejamento urbano, industrial e agrícola, precisa ter conhecimento desta área para evitar que possa faltar água no futuro ou que esta água fique com sua qualidade comprometida e inviabilize o seu uso.

NDI: Três dos trabalhos orientados pelo Sr. (“Associação entre Tanque Séptico e Processo Eletroquímico para o Tratamento de Esgoto Doméstico”; “Aplicação de diferentes materiais como eletrodos no tratamento de esgoto doméstico por eletrocoagulação” e “Análise do desempenho de um sistema eletroquímico no tratamento de esgoto doméstico”) falam sobre o tratamento de esgoto doméstico. Qual a relação entre o tratamento de água e o tratamento de esgoto doméstico?

Quando estudamos o ciclo hidrológico no ensino fundamental, aprendemos que a água nunca acabará, ou seja, a água se move perpetuamente através da evaporação, condensação e escoamento superficial, e seu volume permanece o mesmo. Isto está correto, porém, cada vez que extraímos a água dos rios, lagos ou lençóis subterrâneos para nosso consumo, novos contaminantes são incorporados a esta água. Portanto, é de fundamental importância o tratamento dos esgotos domésticos anteriormente ao seu lançamento em rios e lagos, pois alteraremos a qualidade do ambiente aquático das plantas e dos animais aquáticos que ali vivem, comprometendo a qualidade de vida ou até mesmo causando a morte destes animais aquáticos pela redução dos níveis de oxigênio dissolvido da água. Além disso, precisaremos usar a água deste mesmo rio ou lago, para o abastecimento das cidades, ou seja, precisamos que a água tenha uma qualidade mínima para que possa ser direcionada para a Estação de Tratamento de Água e posteriormente possa atender as populações das cidades.

NDI: Qual o papel do Engenheiro Sanitarista e Ambiental nesses processos?

O Engenheiro Sanitarista e Ambiental tem um papel fundamental no preservação de recursos hídricos, controle da poluição hídrica e abastecimento de água. Ele pode planejar os usos da água, projetar sistemas de abastecimento de água, sistemas de drenagem urbana e de tratamento de esgostos domésticos e efluentes industriais, visando causar o menor impacto ambiental e a garantir a manutenção da vida aquática.

NDI: Quais as oportunidades de atuação e pesquisa para o Engenheiro Sanitarista e Ambiental nessa área?

O Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental (DESA) da UFSM possui diversas pesquisas na área de recursos hídricos, que vão desde o gerenciamento, tratamento de águas e efluentes, sistemas de drenagem entre outros. Quem tiver interesse de já iniciar na pesquisa dentro dessa área, pode procurar os professores do DESA. A área de atuação é muito grande em Orgãos Governamentais (ANA, Fepam, Prefeituras, etc) e Empresas de Saneamento (Corsan, São Gabriel Saneamento, SABESP, BRK Ambiental, por exemplo), além de consultorias independentes.

 

Para mais informações, acesso o portal do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental.

 

Texto por Lucas Gutierres, acadêmico de Jornalismo. – Núcleo de Divulgação Institucional do CT/UFSM.