Ir para o conteúdo CTISM Ir para o menu CTISM Ir para a busca no site CTISM Ir para o rodapé CTISM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Urnas abrem às 8h na quarta para escolha do reitor; saiba detalhes da eleição



A votação para eleger o reitor da UFSM será na próxima quarta-feira (28) nos campi da UFSM. Nos polos EaD, o pleito será realizado no dia anterior. Alunos, professores e técnicos administrativos ativos e aposentados estão aptos a votar. Para esclarecer dúvidas, o site do CTISM traz um guia sobre a eleição em 21 perguntas respondidas. Procure a seguir as questões que mais interessam a você.

O voto é obrigatório?

Não.

Quem pode votar?

Podem votar todos os professores titulares ativos e aposentados e técnicos administrativos ativos e aposentados. Professores substitutos cujo contrato começou antes de 17 de junho e terminará após o dia da eleição também estão inscritos.

Podem votar os alunos de Ensino Médio, cursos técnicos, graduação, especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado, nas modalidades presencial e a distância, e alunos especiais de graduação. Os únicos estudantes vetados são os que estão em trancamento total de matrícula.

Quando e onde votar?

Todos os alunos presenciais do CTISM e servidores lotados no colégio estão inscritos para votar no hall de entrada do prédio principal do CTISM. A urna vai abrir às 8h e fechar às 22h. Os servidores do Ipê Amarelo e da Imprensa Universitária também votam no CTISM.

Em todos os locais de votação em Santa Maria, as urnas estarão abertas das 8h às 22h na quarta (28), exceto no Husm, onde a votação vai começar às 6h. Nos demais campi, as urnas fecham às 20h.

Nos polos EaD, as urnas abrirão às 8h e fecharão às 20h de terça-feira (27). Os alunos dos cursos EaD estão inscritos a votar em locais diferentes, segundo as listas divulgadas pela Comissão de Consulta. Os estudantes a distância de Santa Maria, Cruz Alta, Restinga Seca e Agudo votam na Reitoria; os de Cachoeira do Sul votam no campus da própria cidade; os de Santana do Livramento votam no polo EaD da própria cidade; os de São Francisco de Paula votam no polo de Novo Hamburgo; e os de Tapejara votam em Palmeira das Missões.

Acesse aqui a lista dos locais de votação e aqui as relações de votantes em cada local de votação.

Quais documentos são necessários para votar?

O eleitor precisa se identificar no local de votação com um documento oficial com foto ou com um documento da UFSM.

Como é o processo de votação?

O eleitor deve chegar ao local de votação e apresentar seu documento ao mesário. Então, o eleitor assinará o registro do seu comparecimento e será encaminhado à urna de votação eletrônica. Fora de Santa Maria, a votação será por cédula, na qual o eleitor deve assinalar ao lado do nome da chapa em que deseja votar.

Cada local de votação terá uma urna para cada categoria de eleitores (alunos, professores e TAEs). Entre os mesários, há discentes, docentes e técnicos administrativos da UFSM. Fiscais das chapas estão autorizados a permanecerem nos locais de votação.

É possível votar em urna diferente da estabelecida pela listagem?

A Comissão de Consulta pode autorizar o voto em separado, fora do local estabelecido para o eleitor, desde que “comprovada sua condição de votante e tomadas as precauções necessárias para que não haja possibilidade deste(a) votar novamente em outra urna”, segundo a Comissão. O voto em separado será depositado em envelope e registrado na ata da votação.

Onde votam os estagiários do CTISM que são alunos de outro curso na UFSM?

A Comissão de Consulta estabelece que “votantes pertencentes à categoria estudantes, matriculados em dois cursos ou mais, terão direito a um voto, pela matrícula mais antiga”. Ou seja, os estagiários dos cursos técnicos do CTISM que iniciaram graduação na UFSM votam no CTISM. Se o aluno já estava matriculado na graduação antes de iniciar o curso no CTISM, vota conforme a graduação.

Quem está matriculado em mais de um curso na UFSM vota onde?

Aqui vale a mesma regra da questão anterior. O aluno vota conforme a matrícula mais antiga.

Eleitores que pertencem a mais de uma categoria votam onde?

Professores que também forem alunos votam como docentes. Da mesma forma, técnicos administrativos que forem alunos votam como TAEs.

Como é o sistema eleitoral?

O sistema eleitoral é paritário e dá peso de 1/3 para cada totalidade de eleitores de uma categoria. No entanto, o peso de cada categoria no resultado muda conforme o comparecimento dos eleitores. Uma categoria que tiver comparecimento de 60%, por exemplo, terá mais peso no resultado do que uma categoria que tiver comparecimento de 40%.

Quantos estão aptos a votar na UFSM?

Na UFSM, estão inscritos para votar 27.194 pessoas na categoria dos alunos, 3.110 na dos professores e 4.290 na dos técnicos administrativos, segundo dados da Comissão.

Quem é responsável pela eleição?

A Comissão de Consulta é responsável pelo processo eleitoral, desde o registro de candidaturas até a votação, a apuração, a proclamação do resultado e a análise de recursos. O grupo é formado por alunos, professores e técnicos administrativos. Seu email é consulta.reitorufsm2017@gmail.com e o telefone, (55) 3220 8500. A Comissão fica na sala 1.203 do prédio 67 (ao lado da Fatec).

A Comissão tem nove integrantes – três alunos, três professores e três técnicos administrativos. Um integrante de cada categoria foi indicado pelo Conselho Universitário, dois integrantes discentes foram indicados pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes), dois integrantes docentes foram selecionados pela Sedufsm (Seção Sindical dos Docentes) e dois integrantes técnicos administrativos foram indicados pelas representações sindicais da categoria.

Quem são os candidatos?

Três chapas concorrem à Reitoria. O candidato da chapa 1 é o atual reitor, Paulo Afonso Burmann. Seu candidato a vice-reitor é o diretor do CT (Centro de Tecnologia), Luciano Schuch. O candidato da chapa 2 é o professor do curso de Agronomia Dalvan Reinert, que foi vice-reitor na gestão de Felipe Müller (2009-2013). O candidato a vice pela chapa 2 é o diretor do CAL (Centro de Artes e Letras), Pedro Brum Santos. A candidata da chapa 3 é a diretora do CE (Centro de Educação), Helenise Sangoi. Ela tem como vice a professora Laura Fonseca, do curso de Serviço Social.

Quais são as propostas?

As propostas das chapas estão disponíveis nas páginas de cada uma no Facebook. Acesse aqui a página da chapa 1, aqui a da chapa 2 e aqui a da chapa 3.

Quando termina a campanha?

Esta segunda-feira (26) é o último dia da campanha eleitoral.

Como será a apuração?

A apuração dos votos terá início no CTG Sentinela da Querência, em Camobi, assim que todas as urnas estiverem fechadas. A contagem de votos será feita por alunos, professores e técnicos administrativos. Os candidatos a reitor e vice-reitor e fiscais das chapas podem acompanhar a contagem junto às mesas de apuração.

Quando deve ser anunciado o resultado?

A Comissão de Consulta estima que o resultado seja divulgado entre as 2h e as 3h. Assim que a apuração for concluída, os resultados devem ser enviados para a Comissão, que os publicará em seguida. Na eleição anterior para a Reitoria, em 2013, a apuração foi concluída logo após às 6h.

Como o resultado será divulgado?

De acordo com a Agência de Notícias da UFSM, o site da Universidade deve divulgar o resultado assim que ele for publicado. Ao longo da quinta-feira (29), os detalhes serão divulgados nos sites da UFSM e do CTISM, além da mídia santa-mariense.

Quando a chapa eleita toma posse?

Segundo o Gabinete do Reitor, a gestão atual deve encerrar no dia 22 de dezembro, o que significaria que a nova administração iniciaria no dia seguinte. No entanto, as datas exatas dependem de decisão do Ministério da Educação ao nomear o novo reitor.

Pode acontecer de o candidato eleito não ser empossado reitor?

Legalmente, sim. A votação para definir o reitor, oficialmente, não é uma eleição, e sim uma consulta à comunidade acadêmica. A lei que regula as escolhas de dirigentes de instituições federais, disponível aqui, estabelece que os reitores são escolhidos pelo Ministério da Educação a partir de uma lista com três candidatos elaborada pelo colegiado máximo da instituição – ou seja, o Conselho Universitário. Por isso, legalmente, não há obrigação de que o candidato escolhido na votação seja, de fato, o novo reitor. Entretanto, o MEC busca escolher sempre os candidatos vitoriosos na consulta à comunidade. São raros os casos em que não foi respeitado o resultado da votação. Na UFSM, não há precedente nas últimas décadas.

Quando serão os trâmites para encaminhar a lista tríplice ao MEC?

O resultado da votação será entregue ao Conselho Universitário no próximo dia 5, de acordo com a Comissão de Consulta. A partir daí, o Conselho vai elaborar a lista tríplice. Segundo o Gabinete do Reitor, a lista costuma ser enviada ao Ministério da Educação cerca de três meses antes da data de transmissão do cargo de reitor – ou seja, em meados de setembro.

 

por Rossano Villagrán Dias

revisão Nilza Mara Pereira


Publicações Recentes