Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

CTISM ganha equipamento que deve ‘abrir novo universo de pesquisas’ na eletroeletrônica

O HIL402, da Typhoon HIL. CTISM vai receber exemplar.

O CTISM vai receber, como doação de uma empresa multinacional, um aparelho que deve impulsionar o ensino na área de eletroeletrônica no colégio. Uma equipe do CTISM foi uma das vencedoras de um concurso proposto pela Typhoon HIL – que trabalha com produtos ligados à simulação digital em tempo real – ao ficar entre as dez primeiras a completar as etapas de uma competição.

Cada equipe representava uma instituição de ensino ou grupo de pesquisa da América do Sul. A equipe do CTISM continha 28 pessoas, entre alunos e professores do colégio e estudantes de Engenharia Elétrica do CT (Centro de Tecnologia da UFSM). Ela foi registrada através do GSEC (Grupo de Pesquisa e Desenvolvimento em Sistemas Elétricos e Computacionais), mas incluiu também membros do grupo de pesquisa Ceesp, da Engenharia Elétrica. O professor Adriano Morais capitaneou a equipe.

De acordo com o docente, o equipamento que será recebido pelo CTISM “abre um novo universo de pesquisas e atividades de ensino” na área de eletroeletrônica do colégio. Trata-se de um HIL402, utilizado para testes do tipo HIL (hardware-in-the-loop). Nesse procedimento, uma parte de um sistema elétrico conhecido é simulado numericamente, enquanto a outra parte é incorporada fisicamente – ou seja, com equipamentos elétricos reais.

“Podemos simular via software um sistema elétrico de potência e conectar no simulador um relé de proteção real”, exemplifica Adriano. Dessa forma, “temos parte do sistema sendo simulado e outra parte um dispositivo físico, ambos trabalhando em tempo real”. “Podemos realizar uma série de testes no sistema simulado e analisar como se comporta o dispositivo de proteção, por exemplo”, diz o professor.

O HIL402 está na unidade da Typhoon HIL na Sérvia. Adriano estima que ele deve chegar ao CTISM em até dois meses, após passar pelos trâmites de importação. O professor destaca que a máquina “tem um custo bem elevado e dificilmente teríamos recurso para a sua aquisição”. Ela vai ficar no Laboratório de Sistemas Elétricos de Potência e Proteção, no prédio 5C (conhecido internamente como “prédio de Redes”), e vai ser utilizada tanto em atividades de ensino como pesquisa.

A competição que rendeu o equipamento à equipe do CTISM teve várias etapas. Na primeira, os membros do grupo tiveram que assistir a tutoriais e, depois, realizar um teste que deu a eles uma certificação de especialista em HIL. Na etapa seguinte, foi preciso desenvolver um exemplo de situação em que poderia ser utilizado um software da empresa. Para isso, a equipe criou um problema de oscilação de potência em linhas de transmissão de energia elétrica. Foi preciso ainda produzir um vídeo para explicar o problema nas etapas seguintes.

A equipe que representou o CTISM na competição da Typhoon HIL, que incluiu alunos e docentes do colégio e do Centro de Tecnologia.

 

foto 1 Divulgação

foto 2 GSEC