Ir para o conteúdo CTISM Ir para o menu CTISM Ir para a busca no site CTISM Ir para o rodapé CTISM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Estudantes do CTISM participaram da 13ª Olimpíada Nacional de História do Brasil



Entre o final do mês de março e meados do mês de junho do corrente ano, nove
estudantes dos terceiros anos dos cursos técnicos integrados ao ensino médio do CTISM
(Eletrotécnica, Mecânica e Informática para Internet) estiveram participando da 13ª edição da
Olimpíada Nacional de História do Brasil, evento organizado pelo Departamento de História da
Unicamp. Os estudantes organizaram-se em três equipes: Belerofonte (Mariana Lopes Pillon,
Maria Luiza Lopes de Mello e Gabrielli Menezes Pedron), que participou das três primeiras
etapas; As Papa Fios e o Graxeiro (Isabelle Dockhorn, Mariana Bandinelli e Igor Rossato) e Rita
Lobato (Milena Wansing, Rafaela Rosa Soareas e Luiza de Senna Iensen), que participaram de
seis das sete etapas previstas.


Em cada uma das etapas os integrantes de cada equipe resolveram 11 questões de
múltipla-escolha e desenvolveram uma tarefa, a maior parte relativa à análise de documentos
históricos. O formato das questões apresentado pelas ONHB foge ao padrão usado em outros
eventos do gênero. Aos estudantes são apresentadas quatro opções de respostas, sendo uma
delas errada e, as demais, corretas, cabendo-lhes optar pela alternativa considerada pelo
grupo como a mais adequada.


A atividade foi realizada no formado online com as questões de cada etapa sendo
divulgadas no início da semana correspondente e as respostas postadas no final da semana.
Em função desta dinâmica, as equipes, orientadas pela professora Roselene Pommer e pelo
Técnico em Assuntos Educacionais Deivis Jhones Garlet, tiveram que se manter conectadas,
discutindo, analisando e refletindo sobre cada tópico, fazendo descobertas e trocando
conhecimentos. Por isso, o estudante Igor Rossato destaca, de sua participação na ONHB, “o
estímulo ao trabalho em grupo, o diálogo entre os integrantes das equipes, a necessidade do
consenso para se chegar a uma resposta mais adequada e a divisão das tarefas”. Para Milena
Wansing, a ONHB “estreitou os laços de amizade e de aprendizagem em grupos. Foi um
momento de desafios que possibilitou muito crescimento intelectual”, o que foi corroborado
por Isabelle Dockhorn, para quem a 13ª ONHB “foi uma experiência de grande aprendizado, de
necessidade de muita pesquisa e de leituras profundas e agregadoras […] que promoveu uma
outra forma de olhar a história”. Já Mariana Bandinelli, que já participou de outras olimpíadas
de conhecimentos, destacou “a integração entre os colegas de cursos diferentes para
pesquisar a história do Brasil”.


Os estudantes foram unânimes, também, em destacar a contribuição da atividade na
compreensão crítica da História do Brasil, superando ideias cimentadas relativas a fatos
passados. Isso lhes indicou o quanto os fatos históricos, constituintes de um processo social, se
repetem, primeiro como farsa, depois como tragédia, conforme já apontava o cientista político
Karl Marx, em meados do século XIX.

Confira os depoimentos os estudantes:

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes