Ir para o conteúdo Frederico Westphalen Ir para o menu Frederico Westphalen Ir para a busca no site Frederico Westphalen Ir para o rodapé Frederico Westphalen
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Professora da UFSM lidera equipe que conquistou ouro em olimpíada europeia de informática feminina



Nos dias 14 a 19 de junho, em Zurich, na Suíça, ocorreu a Olimpíada Europeia de Informática para Garotas. Em formato online, 43 países marcaram presença, com o total de 157 participantes. O Brasil obteve um excelente resultado, garantindo quatro medalhas: Carolina Moura Valle Costa, 16 anos, conquistou 8º lugar geral e uma medalha de ouro; Luana Amorim Lima, 16 anos, obteve medalha de prata; Letícia Barbieri Stroeh, 17 anos, e Maria Elaine de Holanda Cavalcante, 16 anos, ficaram com a medalha de bronze. 

A Olimpíada Europeia de Informática para Garotas (EGOI), é uma nova competição de programação apenas para meninas, e funciona nos mesmos moldes da Olimpíada Europeia de Matemática para Garotas (EGMO) – onde o Brasil participa desde 2017. O objetivo do EGOI é fornecer uma plataforma para que as meninas possam desfrutar e aprofundar o seu interesse pela ciência da computação, bem como, incentivar a presença feminina na Olimpíada Internacional de Informática, que possui apenas 2% de participação. 

Além disso, o evento permite que as participantes conheçam outras cientistas da computação, dessa forma, possibilitando o encontro de modelos femininos para si mesmas. Em 2020, O Movimento Meninas Olímpicas, com o apoio da Olimpíada Brasileira de Informática, criou o Torneio Feminino de Computação (https://tfcbr.inf.ufsm.br/quem-somos), com os mesmos objetivos. O mesmo serviu como base para a seleção da equipe EGOI 2021.  

A medalhista Maria Elaine afirma que “o mais importante para mim é entrar em contato com mulheres incríveis de todos os lugares do mundo”. Da mesma maneira, exalta, dizendo que  “foi minha primeira participação em uma olimpíada internacional. Mesmo que virtualmente, estar no meio de tantas garotas incríveis e de tantos lugares diferentes, saber que ainda tem tantas coisas que eu não sei, foi sensacional. Foi uma experiência que valeu muito a pena.” Já Letícia, diz que “foi incrível ter a oportunidade de participar de uma olimpíada internacional como a EGOI. Espero que ela motive o interesse de mais meninas pela área da computação.”   

Para a líder de equipe, a Professora Dra. Nara Bigolin, Professora da UFSM-FW e coordenadora do Movimento Meninas Olímpica, (https://www.ufsm.br/projetos/pesquisa/meninas-olimpicas/), trabalha há 5 anos no incentivo da participação feminina em olimpíadas de conhecimento, declarara que “a presença servirá de incentivo para que mais meninas participem de olimpíadas de conhecimento. Em 2019, a Mariana Groff também conquistou ouro na EGMO, o que demonstra a excelência do Brasil em olimpíadas femininas”.

Card na cor azul marinho com as integrantes que participaram da Olimpíada de Informática para Garotas.

 

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes