Ir para o conteúdo Palmeira das Missões Ir para o menu Palmeira das Missões Ir para a busca no site Palmeira das Missões Ir para o rodapé Palmeira das Missões
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Egressos do curso de Enfermagem da UFSM-PM são destaques em Programas de Residência Multiprofissional do Rio Grande do Sul e Santa Catarina



A residência permite a aproximação dos egressos ao mercado de trabalho e contribui para construção do conhecimento acerca da profissão e da atuação interprofissional em suas áreas de especialização escolhidas.

Nove egressos da 11ª turma do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria, campus Palmeira das Missões, foram aprovados e fazem parte de Programas de Residência Multiprofissional em diversos cenários de atuação no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Os profissionais integram os seguintes programas e instituições: Programa de Residência Multiprofissional Atenção à Saúde da Mulher e da Criança pela Maternidade Darcy Vargas, Joinville/SC; Saúde da Mulher e da Criança pela UFSC, Florianópolis/SC; Programa de Residência Multiprofissional em Urgência, Emergência e Intensivismo (HCPF/PF e HU/UFSC); Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental (UFSM/HUSM); Programa de Residência Multiprofissional em Cardiologia (Instituto de cardiologia de Porto Alegre); Programa de Residência Multiprofissional em Atenção ao Câncer (UFSCPA; Conceição, HCPA e UPF e Hospital Regional de Chapecó/SC – UFFS); residência em Adulto Cirúrgico no HCPA e, fora da área hospitalar, foram aprovados residentes em Saúde da Família, na Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa/UNIJUI.

De acordo com Leonardo Bigolin Jantsch, coordenador do curso de Enfermagem da UFSM-PM, as residências multiprofissionais na formação profissional vêm contribuindo para que se rompa com modelos tradicionais, a fim de estreitar as fronteiras profissionais, promovendo a integração entre saberes e práticas multiprofissionais no cotidiano das equipes de atenção à saúde. “Para a Enfermagem, as residências multiprofissionais representam uma importante oportunidade de especialização por se tratar de uma pós-graduação lato sensu voltada para educação em serviço em especial nas áreas prioritárias do SUS”, explica o docente.

Para Jantsch, a residência permite a aproximação dos egressos ao mercado de trabalho bem como contribui para construção do conhecimento acerca da profissão e da atuação interprofissional em suas áreas de especialização escolhidas. “Reconhece-se que esse número expressivo de acadêmicos egressos nesses programas é reflexo de uma trajetória acadêmica de dedicação no processo de ensino/aprendizagem do aluno, mas também às atividades extracurriculares de pesquisa e extensão que o curso de Enfermagem da UFSM-PM proporciona ao longo da formação”, afirma.

Ivânia Mundstock, residente do Programa de Residência Multiprofissional – Urgência e Emergência do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, ressalta que todo o esforço e dedicação durante a graduação valeu a pena e possibilitou o sonho de entrar na residência.“Essa experiência está sendo incrível, aprendemos em tempo integral aqui, passamos o dia todo manejando diferentes casos e, durante a noite, adentramos na parte teórica das patologias, o que complementa muito o aprendizado. Esse sentimento de enfermeira ainda aluna dá um amparo tão grande na hora de exercer a profissão, pois como é minha primeira experiência profissional, a insegurança quanto às condutas é inevitável e, saber que temos uma preceptora pronta para nos auxiliar, é maravilhoso e encorajador”.

A enfermeira ainda comenta sobre a grande oportunidade de trabalhar com uma equipe multiprofissional. “É muito gratificante podermos oferecer uma assistência integral ao nosso paciente com a contribuição de cada uma das áreas. Estou aprendendo muito sobre o que cada profissão pode ofertar ao paciente e complementar com a minha. É um período de grande autoconhecimento, e perceber quais são meus limites quanto questões de cansaço, aflições, conhecimentos e relações interpessoais ajudam a contribuir para minha evolução pessoal e profissional. A gente vê bastante dessas questões durante a graduação, mas quando aparecem na prática é mais difícil de lidar do que imaginamos. Então, está sendo bem legal esse turbilhão de emoções que passam diariamente na minha trajetória aqui”, completa.

Além do sucesso obtido pelos egressos da 11ª turma do curso de enfermagem da UFSM-PM em Programas de Residência, muitos egressos têm conseguido se inserir no mercado de trabalho rapidamente, logo após a formatura. Em alguns casos, em menos de 30 dias após a colação de grau os profissionais já estavam atuando como enfermeiros tanto na área Hospitalar quanto nos serviços de Atenção Básica em Saúde. Muitos profissionais estão atuando na linha de frente no combate à pandemia de Covid-19, como a egressa Suéllen F. de Lima Santos Mass, Coordenadora do Centro de Triagem de Sintomáticos Respiratórios e Central telefônica COVID-19 da Secretaria Municipal de Saúde de Palmeira das Missões. “Sempre imaginei que o início da carreira profissional como enfermeira seria desafiador, mas não esperava que tudo isso seria somado ao enfrentamento da pandemia de coronavírus, na qual vivenciamos diariamente tantos sofrimentos e perdas. O meu trabalho na linha de frente da Covid-19 iniciou em dezembro de 2020 e tem sido um constante aprendizado, pois tenho vivenciado todos os dias um misto de sentimentos, como a angústia de uma recém formada em um desafio tão grande pela frente, mas também a vontade de aprender que se soma a paixão pela profissão que escolhi exercer. Costumo traduzir isso sempre no atendimento que presto aos meus pacientes e a forma como conduzo a minha equipe, sempre procurando ser o mais coerente possível nas decisões que precisam ser tomadas”.

Suéllen ainda destaca que sua equipe tem atuado de forma incansável, pois os casos de Covid-19 em Palmeira das Missões ainda se mantêm elevados. “Temos ainda internações graves que acarretam a óbitos. É um grande desafio  vivenciar isso em uma comunidade tão carente e que depende tanto da assistência SUS. Hoje, realizo a parte administrativa e a coordenação da equipe, além de alguns plantões que, por alguma eventualidade, é preciso realizar. Confesso que, quando isso é necessário, eu, como enfermeira, me sinto realizada pois tocar em um paciente, olhar no olho dele e prestar o meu apoio de carinho e empatia é com certeza a minha maior satisfação. O meu maior desejo é que sempre possamos dispensar o nosso cuidado ao paciente assim como gostaríamos que fossemos tratados”, finaliza a enfermeira.

Com informações da Coordenação do Curso de Enfermagem

Assessoria de Comunicação UFSM-PM

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes