Ir para o conteúdo Politécnico Ir para o menu Politécnico Ir para a busca no site Politécnico Ir para o rodapé Politécnico
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Colégio Politécnico da UFSM desenvolve projeto de agricultura de precisão, mais tecnológica e sustentável



Projeto Advanced Farm 360 inclui o uso de drones e máquinas com tecnologias embarcadas, em parceria com empresas do setor agrícola

Buscando estudar as formas de aplicação de novas tecnologias para a produção agrícola, o Colégio Politécnico da Universidade Federal de Santa Maria iniciou, neste ano, o Projeto de Desenvolvimento Institucional “Advanced Farm 360”, voltado aos estudos de agricultura de precisão. Nesse sistema de manejo, as culturas agrícolas são monitoradas com auxílio de equipamentos como câmeras especiais (multiespectrais e termais) acopladas a drones. As imagens obtidas através das câmeras são utilizadas, por exemplo, para verificar a sanidade de uma lavoura, identificando locais que podem estar sofrendo o ataque de pragas e doenças. Após esse mapeamento, um drone de pulverização realiza uma aplicação localizada, exatamente onde existe a necessidade. Essas tecnologias reduzem drasticamente o uso de defensivos, bem como de água.

Concomitante à utilização desses equipamentos, existe uma preocupação em empregar insumos biológicos para o manejo nutricional e fitossanitário das culturas, ao invés de insumos químicos. Além do controle de pragas e de doenças, tem-se pesquisado alternativas também para a redução do uso de fertilizantes químicos, como a adubação orgânica, na busca de uma agricultura mais sustentável. Neste projeto, as ações estão voltadas às culturas anuais de grãos, sendo soja, milho e arroz irrigado como culturas de verão e trigo, como cultura de inverno. A orientação é do professor Luciano Zucuni Pes.

Equipamentos das empresas parceiras em ação

Como explica o prof. Luciano, a agricultura de precisão tem como princípio considerar que as áreas agrícolas não são homogêneas. Cada área recebe um tratamento diferenciado, conforme a variabilidade existente, seja para realizar adubações, aplicação de defensivos, população de plantas a ser estabelecida, entre outras atividades. Esse manejo contrasta com o convencional, que preconiza que as áreas são homogêneas, fazendo o uso extensivo de insumos agrícolas.

Com o objetivo de atender à demanda do mercado de trabalho por profissionais capacitados a atuar na área da agricultura de precisão, bem como pela busca em produzir alimentos mais saudáveis e um meio ambiente preservado, foi criado, em 2019, o Curso Técnico em Agricultura de Precisão. Esse curso veio a se somar com outras iniciativas do Colégio Politécnico da UFSM na área, como o Mestrado Profissionalizante em Agricultura de Precisão, em funcionamento desde 2010. Para potencializar as atividades destes cursos, foram buscadas parcerias com a iniciativa privada, de modo que, nos últimos dois anos, realizaram-se ações de ensino, pesquisa e/ou extensão com 17 empresas de todo Brasil. “Com o Advanced Farm, estamos fortes no ensino, com o Curso Técnico e o Mestrado Profissional em Agricultura de Precisão; na pesquisa, nas parcerias com importantes grupos da UFSM (Projeto Aquarius, Equipe FieldCrops e GEDRE) e, agora, queremos focar na extensão, através da realização de pelo menos dois Dias de Campo anuais, um com enfoque nas culturas de inverno e outro nas culturas de verão”, completa Luciano.

O projeto se alinha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) adotados em 2015, pelos países-membros da ONU, para unir forças em prol de uma Agenda Mundial de Desenvolvimento Sustentável, a ser cumprida até o ano de 2030. Entre os objetivos estão: fome zero, agricultura sustentável, fomento à indústria, inovação e infraestrutura, bem como consumo e produção responsáveis.

Vista aérea da lavoura de arroz irrigado

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes