Ir para o conteúdo Tecnologia em Gestão de Turismo Ir para o menu Tecnologia em Gestão de Turismo Ir para a busca no site Tecnologia em Gestão de Turismo Ir para o rodapé Tecnologia em Gestão de Turismo
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo
Início do conteúdo
Publicado: 20 novembro 2015 - 09:57 | Última modificação: 24 maio 2019 - 10:03
Ouvir
II ENCONTRO INTERNACIONAL DA REDE UFSM-USAL-UADER

TÉCNICO-CIENTÍFICOS

auditório AUDIMAX - Centro de Educação - Santa Maria

23/11/2015 00:00 - 24/11/2015 00:00

Descrição

Nos dias 23 e 24 de novembro de 2015 na UFSM será realizado o encontro de pesquisadores da UFSM e das Universidades Argentinas de Salvador – USAL (Buenos Aires) e a Universidade Autônoma de Entre Rios – UADER (Gualeguaychú – Entre Rios). Estas instituições firmaram um acordo de cooperação internacional para tratar de projetos e iniciativas de Intercâmbio entre as instituições parceiras.

O encontro, que contará com pesquisadores do Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural (CCR), do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo (UDESSM) e do mestrado em História e Patrimônio (CCSH), terá como objetivo aprofundar as relações de cooperação, definindo novas ações a serem realizadas em parceria nos próximos anos pelas instituições envolvidas com o projeto.

A realização do II Encontro Internacional da Rede UFSM-USAL-UADER, tem como temática  Turismo e Sustentabilidade para o desenvolvimento local, a partir do olhar conjunto das Instituições parceiras: UFSM, USAL e UADER.

A abrangência do evento é internacional, em função das instituições parceiras apoiadoras, mas também busca apresentar para a região central e oeste do Estado do Rio Grande do Sul argumentos para que o Turismo seja reconhecido como parte das atividades de desenvolvimento territorial com base em experiências realizadas em outras regiões e país.

Assim, o público-alvo direto é formado por estudantes e professores que se dedicam a temática do turismo, empresários do setor, empreendedores rurais e entidades que trabalham com a atividade de turismo.  Indiretamente, o público alvo é formado por interessados em geral, que de alguma forma são impactados pelo setor de turismo, seja enquanto prestadores de serviço, seja, como pesquisadores ou empreendedores no âmbito rural e urbano.

A realização do evento justifica-se pela oportunidade que constitui de fortalecer a cooperação internacional entre as Universidades envolvidas, efetivando uma articulação interdisciplinar para elaboração de novos projetos e intercâmbios de docentes e discentes.

Com a realização deste evento possibilita-se aprofundar o debate sobre a importância do resgate e valorização do Patrimônio Cultural e Ambiental como aporte para estratégias de fomento ao turismo sustentável como alternativa de desenvolvimento local.

Considera-se que o encontro de pesquisadores na área de turismo sustentável insere-se dentro de uma estratégia de consolidação de uma articulação entre diversos grupos que atuam em relação a esta temática na UFSM,  o que torna-se fundamental para o fortalecimento do curso de turismo e demais cursos envolvidos na Instituição, principalmente para a aproximação com programas de pós-graduação.

Para a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) este evento constitui uma oportunidade de inovação de referencial teórico e metodológico sobre a atividade de turismo e suas experiências junto a temática sustentabilidade, além de possibilitar novas iniciativas de desenvolvimento rural como campo de estudo junto a extensão rural. O intercambio destas experiências na América Latina e em especial no MERCOSUL é recorrente entre os programas de Graduação e Pós-graduação, significando o fortalecimento de alianças interinstitucionais e de intercambio entre estudantes e pesquisadores das Universidades parceiras.

OBJETIVOS:

Objetivo Geral
Realizar um Encontro Internacional da Rede UFSM-USAL-UADER, dando continuidade na reflexão conjunta sobre os temas Turismo, Ambiente, Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Local, bem como, fortalecer a articulação entre as Universidades;

Objetivos Específicos:

  1. Prospectar novos desafios para os próximos anos, buscando a inserção de novos cursos e Instituições na rede, visando fortalecer sua constituição;
  2. Oportunizar a criação de novos projetos interdisciplinares;
  3. Apresentar ao meio acadêmico e interessados as discussões e perspectivas do trabalho realizado em conjunto entre as Instituições parceiras.

As transformações mundiais provocadas pela globalização da sociedade causam algumas incertezas e inquietudes sobre seus reais efeitos, seja na economia das sociedades consagradas ou emergentes, nos setores produtivos, nos serviços, na natureza, seja no ambiente ecológico, social, político, do conhecimento ou cultural.

Neste contexto, o setor turístico enfrentou e ainda enfrenta um processo dinâmico de transformações, de reutilização e usos dos espaços sócio-espaciais, seja dialogando  com estratégias pluriativas ou vinculadas a multifuncionalidade do espaço rural. Surgem novos enfoques nos programas governamentais, visando o uso responsável da atividade e sua preocupação com a sustentabilidade. Diante deste contexto, o setor de turismo, desde os anos de 1990, necessitou rever seu crescimento desenfreado determinados destinos turísticos, redirecionando suas atividades para uma proposta de desenvolvimento mais responsável e menos inconveniente para a diversidade dos ecossistemas.

No Brasil, as políticas governamentais têm incentivado programas de turismo sustentável a partir de ações voltadas para uma melhor oferta turística, incluindo serviços, investimentos e salvaguarda dos recursos e patrimônio cultural e material (BRASIL, 2014). No sentido territorial, o local deverá assumir o protagonismo de sua gestão, sendo que a hospitalidade voltará a marcar o diferencial dos produtos, já que equipamentos e conforto não são mais os únicos fatores de diferenciação e escolha dos destinos turísticos.  Neste aspecto, o destaque será para os atores que conseguirem articular seus sistemas produtivos com alta competitividade em mercados globais e, então, aqueles que conseguirem planejar o potencial turístico, institucionalizando parcerias e alianças público-privadas como poderosos instrumentos para atingir a desejável articulação em redes de cooperação produtiva, como forma de consolidar o desenvolvimento sustentável (BENI, 2006).

O desafio da atividade turística no século XXI está nas articulações organizacionais, nas políticas institucionais e, principalmente, nas estratégias de gestão priorizadas, as quais integradas nas decisões globais devem evidentemente buscar o desenvolvimento sustentável em todos os âmbitos. A sustentabilidade deve envolver relações que permitem ao turismo utilizar os espaços com a responsabilidade de usufruir dos recursos existentes de forma equilibrada e inserida num processo de ativação capaz de possibilitar o desenvolvimento local.

Nesse processo, as novas oportunidades em torno da relação entre o homem e o território, buscam não somente legitimar a produção, a indústria e os serviços dos ambientes rurais e urbanos, mas também potencializar atividades capazes de agregar valor, a exemplo do que se espera da atividade turística no momento de sua inserção num destino, seja pela capacidade de multiplicação e distribuição de renda, seja pela valorização da identidade local que estimula. Como elemento do desenvolvimento local, o turismo tem a responsabilidade de usufruir dos recursos locais existentes e, a partir de um planejamento responsável e integrado, constituir junto aos atores sociais locais, um processo de sensibilização capaz de reconhecer o valor turístico construído e, com isso ter condições de se inserir no processo de desenvolvimento local, obedecendo a lógica territorial de ação.

A partir do processo de atribuir valor aos recursos locais, Sacco dos Anjos (2003) refere-se ao turismo como sendo um indicativo capaz de provocar a transformação de recursos em ativos, e com isso, tornar-se elemento de desenvolvimento, desde que haja uma abordagem social conectada ao compromisso dos administradores locais em compartilhar das metodologias e tecnologias para estimular o processo. Assim, há a necessidade de evidenciar o vínculo do turismo com a riqueza, o valor e a concepção do desenvolvimento, atrelado às relações sociais, culturais e historicamente construído entre os homens e o meio em que vivem, pois do contrário o processo de desenvolvimento fica fragilizado, não atingindo a sua plenitude. Assim, os programas e projetos desenvolvidos no território poderão constituir normas e ações de turismo, onde o processo de desenvolvimento local terá em seus atores locais, a responsabilidade de atuar sob o apoio da governança local como sujeitos ativos e responsáveis pelo sucesso ou fracasso decorrente.

Em vista disso, o documento Los Criterios Globales de Turismo Sostenible para Destinos (GSTC-D, 2014), criado em 2010, pela Organização Não Governamental Travel Forever: Global SustainableTourism Concil, aponta alguns critérios para desencadear as ações de sustentabilidade na área de turismo, a partir de um conjunto de princípios universais que criam uma linguagem comum e estrutura para viagens e turismo sustentável.

Entre eles estão: identificar uma gestão sustentável eficaz; maximizar os benefícios sociais e econômicos para a comunidade local e minimizar os impactos negativos; Maximizar os benefícios das comunidades, a dos visitantes e ao patrimônio cultural e minimizar os impactos negativos; e maximizar os benefícios para o meio ambiente e minimizar os impactos negativos. Cada uma das sessões é composta por indicadores correspondentes, conforme consta no documento Criterios Globales de Turismo Sostenible para Destinos (CGTSD, 2014).

No Brasil, uma das propostas de uso de indicadores de sustentabilidade para a atividade de turismo é proposta por Hanai (2009), o qual relata algumas iniciativas, os sistemas e os modelos de indicadores do turismo sustentável obtidos a partir de estudos de casos e as proposições auferidas em diferentes destinos turísticos da Espanha, Brasil, Cuba, Argentina e outros.

Entretanto, parte-se do pressuposto que o turismo, enquanto atividade socio-econômica que permeia a sociedade em suas mais variadas motivações de deslocamento, seja para ócio, negócio ou lazer, tem sido um dos setores de maior risco e responsabilidade na sociedade, pois revela que em sua prática, muitas oportunidades dependem da gestão daqueles que detém a informação. No caso acadêmico, o risco e a responsabilidade são daqueles que escolhem a temática como profissão.

Portanto, a realização de um evento na área de turismo é uma responsabilidade que a Universidade compartilha com a sociedade, no desafio de discutir uma temática a qual todos, durante algum momento no ano irão usufruir em seus momentos de ócio, negócio ou lazer. Mas, para a Universidade o objetivo da formação de pessoal e da troca de experiências em diferentes contextos exige a promoção de encontros como este que propomos.

Promoção:
Universidade Federal de Santa Maria – UFSM

Organização:
NEPALS – Núcleo Interdisciplinar em Extensão e Pesquisa sobre Alimentação e Sociedade
NESAF – Núcleo de Estudos sobre Agricultura Familiar
Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural
Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo – UDESSM/ UFSM

Instituições apoiadoras:
Universidad del Salvador – Facultad de Historia, Geografía y Turismo – Instituto de Medio Ambiente y Ecología – USAL /Argentina.
Universidad Autónoma de Entre Ríos – UADER, Sede Gualeguaychú/Argentina.

Programação

Dia: 24/11– Manhã
Local: Auditório AUDIMAX – Centro de Educação – UFSM

09:00 Conferência “Paisagens da Ilha: patrimônio, museus e sustentabilidade”
Palestrantes: Áurea da Paz Pinheiro (UFPI) e Drª Rita de Cássia Moura Carvalho (UL).

Dia: 24/11 – Tarde
Local: Auditório NESAF, prédio 44F

14:00 O Projeto Red Sustentabilidad – Histórico e Desenvolvimento
Palestrante: Claudia Toselli (Universidad del Salvador – Argentina)
Palestrante: ​Andrea María Takats​ (UADER – Universidad Autónoma de Entre Ríos​)
15:00 Exibição do documentário sobre São Miguel das Missões e de Vídeo Sobre Experiência de Turismo em Áreas Naturais na Argentina
15:30 Grupo de Trabalho
Coordenadores dos trabalhos: Gisele Guimarães e Marcelo Ribeiro (UFSM)
Temática: Propostas para 2016 e Definição de Futuros Encontros e Forma de Consolidação da REDE Sustentabilidade
Participantes: representantes das Universidades envolvidas
17:00 Coquetel de confraternização e encerramento das atividades

Inscrição

Favor enviar e-mail para o endereço Laturis ( laturis@ufsm.br ) com os seguintes dados:

  1. Nome completo:
  2. Instituição:
  3. Cargo/função:
  4. E-mail:
  5. Telefone:
Contato

Laboratório de Práticas do Turismo / LATURIS

aturis@ufms.br

Localização

auditório AUDIMAX - Centro de Educação

Av. Roraima - 1000 - Camobi

Santa Maria - Rio Grande do Sul