Ir para o conteúdo Agência Da Hora Ir para o menu Agência Da Hora Ir para a busca no site Agência Da Hora Ir para o rodapé Agência Da Hora
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Por que os eventos-teste são importantes?



Com grandes eventos confirmados no Brasil para o próximo ano, eventos-teste em ambientes controlados e apenas com pessoas vacinadas começaram a ser realizados no país. Na matéria desta semana, falamos sobre o papel desse tipo de evento para a reabertura gradual e trazemos a programação de Canoas, que terá semana farroupilha com protocolos sanitários.

As atividades do setor de eventos foram paralisadas em decorrência da pandemia de Covid-19. Imagem: Freepik

No dia 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde oficializou o cenário de infecções por Covid-19 como uma pandemia mundial e, desde então, o mundo precisou se adaptar a essa nova realidade de isolamento social e medidas sanitárias. Com a necessidade de manter a distância entre pessoas para evitar a contaminação pelo vírus, o setor de eventos foi, sem dúvidas, um dos mais afetados pela doença. Culturais, esportivos ou religiosos, geralmente dependendo de aglomerações em espaços fechados, a grande maioria dos eventos já não tinha mais espaço em um contexto pandêmico. 

A Associação Brasileira dos Produtores de Eventos estima que 97% do setor foi paralisado devido à pandemia, deixando de faturar pelo menos 90 bilhões de reais em 2020. Após 18 meses, em decorrência do avanço na vacinação e, consequentemente, da queda na média móvel diária de casos, estados e municípios brasileiros estão planejando realizar eventos conhecidos como eventos-teste, que devem seguir protocolos de segurança como uso de máscara, distanciamento físico e testagem antes da realização, com o objetivo principal de estudar dados para decidir sobre reabertura de atividades. 

Em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, a primeira festa realizada nesse formato aconteceu no dia 25 de julho e contou com a presença de 600 pessoas. Para entrar no espaço, era necessário apresentar teste negativo para a Covid-19 e, apesar das recomendações, alguns participantes não usaram máscara. Segundo relatório da Vigilância em Saúde da Prefeitura de Porto Alegre, informado pelo G1 RBS, das 156 pessoas testadas após o evento-teste, duas apresentaram resultado positivo para Covid-19. Na avaliação da Secretaria Municipal de Saúde, o evento não contribuiu com o aumento no número de casos.

O governo do estado do Rio Grande do Sul busca avaliar os dados para definir o calendário e os protocolos para uma possível flexibilização das atividades do setor cultural. Ainda segundo o G1 RBS, o coordenador do Gabinete de Crise, Marcelo Alves, afirmou aos vereadores da capital que o setor cultural precisa de uma retomada que não impacte no aumento de novos casos de coronavírus, seguindo protocolos rígidos. “Estamos observando que a vacina funciona, mas não podemos permitir uma liberação desordenada sob risco de criarmos novas variantes do coronavírus. Queremos fazer essa flexibilização, mas com todas as medidas sanitárias e em um movimento sem ida e vinda. Portanto, vamos esperar o momento certo, depois da análise do resultado desse primeiro evento-teste. A liberação vai ocorrer, mas ainda precisamos discutir como será feita”, esclareceu Marcelo Alves. 

 

28ª Semana Farroupilha de Canoas

A prefeitura de Canoas (RS) anunciou a realização da Semana Farroupilha de 2021 com uma programação que acontecerá em formato híbrido, presencial e transmitido nas redes sociais de 13 a 20 de setembro. Presencialmente, só será permitida a entrada de pessoas que tenham recebido pelo menos uma das doses da vacina contra a Covid-19. O Secretário de Cultura do município, Pinheiro Neto, explica que o evento-teste tem como propósito analisar a possibilidade de retorno dos grandes eventos de forma presencial de forma gradativa e seguindo com todos os protocolos de segurança, respeitando os decretos governamentais.

Imagem de divulgação da 28ª Semana Farroupilha de Canoas (RS). Imagem: Facebook / Prefeitura de Canoas

Neto esclarece que vão participar das 24 apresentações as pessoas que fizerem inscrição no site da prefeitura e apresentarem o ‘passaporte sanitário’, que consiste em apresentar o comprovante de vacinação com pelo menos uma dose da vacina contra Covid-19, e também  realizar o teste da doença que estará disponível no local em uma central de testagem. O limite de público dos eventos será de 240 pessoas, divididas em 60 camarotes. 

“É necessário que aos poucos a gente vá retomando esse setor que é tão importante. Setor cultural, o setor de eventos que é tão importante pra economia do nosso estado. Muitos trabalhadores dependem, né? Da realização de eventos para que possam se sustentar, para que possam manter as suas famílias. Então o propósito da Prefeitura de Canoas é viabilizar este evento de forma controlada, de forma segura, com todos os protocolos para que a gente possa ir acompanhando e monitorando a possibilidade da retomada dos grandes eventos”, finaliza o secretário. 

No cenário atual da pandemia no Brasil, a realização desse tipo de evento já é viável, como observado em países com a vacinação mais avançada. Porém, a indicação é de manter a cautela para que a flexibilização aconteça de forma gradual e segura. Como já abordado na matéria “Por que a flexibilização (ainda) é precoce?”, apesar dos dados atuais parecerem otimistas, uma reabertura prematura traria consequências negativas como um aumento de casos, mortes e até mesmo o surgimento de novas cepas do vírus.

Reportagem: Kelvin Verdum e Caroline Schneider Lorenzetti

Edição: Luciana Carvalho

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-825-472

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes