Ir para o conteúdo Íntegra Ir para o menu Íntegra Ir para a busca no site Íntegra Ir para o rodapé Íntegra
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Especial COVID-19: O Poder Executivo



Vamos tratar neste podcast da Comunicação Pública do Poder Executivo na crise do coronavírus.

Na produção e apresentação, estamos Eliége Gomes, Francelen Soares, João Marcelino.
Produto da disciplina de Políticas Públicas em Comunicação do curso de Jornalismo.
Orientado pela professora Claudia H. de Moraes. 

Cenários das Políticas Públicas – Especial COVID-19: Comunicação Pública do Poder Executivo na crise do coronavírus.

A comunicação pública pode ser definida como processos comunicacionais voltadas para às questões da cidadania, envolvem a comunicação do estado, da sociedade civil, de instituições e a comunicação política, entre ela partidos e eleitoral. Esta área da comunicação possui compromisso em atuar com transparência em direção ao interesse público voltados para os direitos coletivos. Assim, a comunicação pública é um mecanismo para a construção e fortalecimento da cidadania.

Para o poder executivo a prestação de contas é uma maneira de informar os cidadãos/ que possuem o direito destas informações. Para que a sociedade tenha conhecimento das ações do governo e assim legitimar decisões individuais democraticamente.

Desde o começo de março o mundo enfrenta uma pandemia: o novo coronavírus. O brasil instaurou estado de calamidade desde o dia 20 de março até 31 de dezembro de 2020. Diante disso, cabe ao governo comunicar quais medidas estão sendo tomadas e o como devemos nos proteger da doença. A frente da situação no brasil, está o ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta. Tratando-se de uma situação que atinge o país inteiro, portanto, o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro, autoridade máxima do estado, se faz necessária.

No poder executivo existe uma divergência entre o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro e do ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta sobre as medidas de enfrentamento da Covid-19. Desde o início do surto de coronavírus no país o ex-ministro da saúde em coletivas de imprensa defende diretrizes alinhadas com as recomendações da organização mundial de saúde que reconhece a importância do isolamento social para o controle da disseminação do vírus.

Jair Bolsonaro, em seu pronunciamento, defende flexibilizar medidas como o fechamento de escolas e do comércio para não causar grandes efeitos na economia do país. Em contrapartida, Mandetta mantém a orientação e recomendação de especialistas e da organização mundial da saúde para as pessoas ficarem em casa.

O Presidente fez um pronunciamento no dia 24 de março, em rádio e televisão. Jair Bolsonaro criticou governadores por determinarem quarentena, questionou o fechamento de escolas,  acusou a imprensa e também utilizou-se do grupo de risco para criticar o fechamento de escolas.

“O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar, empregos devem ser mantidos, o sustento das famílias deve ser preservado, devemos, sim, voltar a normalidade”.

Uma Comunicação Pública, séria, comprometida e portadora de mediação, invariavelmente, necessita do compromisso com a sociedade. Preciso haver concordância entre os principais atores envolvidos no poder executivo, não somente, mas também, no caso destacado, com muita seriedade, uma vez que o assunto é uma doença. Para uma comunicação pública eficaz é preciso envolver cuidados, tratamentos, ações de cuidados com as vida a fim de estabelecer os muitos direitos envolvidos.

Íntegra – Agência Experimental de Comunicação – Laboratório didático do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria campus Frederico Westphalen.

Publicações Recentes