Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Setembro Dourado conscientiza sobre câncer infantojuvenil

O Setembro Dourado é uma campanha nacional de conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer em crianças e adolescentes. As ações são lideradas pela Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC), com sede em Natal/RN. A CONIACC reúne 52 instituições filiadas, que prestam ajuda voluntária e promovem a campanha em todas as regiões do Brasil.

Uma dessas instituições é o Centro de Apoio à Criança com Câncer (CACC) em Santa Maria/RS. O CACC é uma ONG, fundada em 1996, que atende a crianças e adolescentes, de 0 a 21 anos, de todo o estado do Rio Grande do Sul, que estão em tratamento de câncer no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). Os pacientes que chegam ao HUSM são encaminhados a uma assistente social, que entra em contato com a ONG para fazer o cadastro. Depois de cadastrados, os pacientes recebem no CACC hospedagem e alimentação gratuitas sempre que estiverem na cidade para realizar o tratamento.

O Centro de Apoio abriu as portas, há 21 anos, por iniciativa de Marli Tarragó. Ela conta que no início teve ajuda de algumas empresas, que pagavam o aluguel do local onde funcionou inicialmente o CACC, mas que logo conseguiu a doação de um terreno, que pertencia ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), e pôde então construir a atual sede. “A gente depende da comunidade, porque foram eles que construíram tudo isso aqui”, afirma a fundadora. Atualmente, o financiamento vêm de doações de dinheiro, projetos sociais e um brechó comunitário.

A gerente de marketing voluntária do CACC, Dânia Oliveira, conta que o local tem 146 cadastros, mas que às vezes há pouca circulação de pacientes, já que muitos chegam ao hospital por meio de transporte das prefeituras e se hospedam por apenas uma noite. Para Dânia, o fato de os pacientes terem que se deslocar de suas cidades para serem atendidos em um centro de referência é também um fator que dificulta o tratamento, associado à falta de conscientização sobre o diagnóstico precoce. “Para chegar ao HUSM, eles passam pelo hospital da cidade de origem deles, aí já vem um problema bem maior, que é o tempo para conseguir acesso ao médico, e depois até o médico pensar que pode ser um câncer e mandar para um centro de referência.  Infelizmente, a grande maioria chega com diagnóstico tardio”, relata.

O debate também leva em consideração dados concretos. No Brasil, o câncer é a principal causa de morte por doença em crianças e adolescentes. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), de 2009 a 2013, 12% dos óbitos na faixa etária de 1 a 14 anos foram devido ao câncer, e 8% na faixa etária de 1 a 19 anos. O INCA aponta também que em 2014 foram registradas 2.724 mortes por câncer infantojuvenil no Brasil.

As ações do setembro dourado vêm justamente com o objetivo de chamar a atenção para a importância de que pais ou responsáveis procurem orientação médica assim que perceberem qualquer sintoma, já que o diagnóstico precoce da doença pode proporcionar chances de cura de até 80%, segundo a Fundação do Câncer. “Ninguém quer falar sobre câncer, ainda mais com criança, então é difícil conscientizar, mas isso tem que ser falado nas escolas, os pediatras têm que falar também”, completa Dânia.

Projeto de extensão da UFSM auxilia no marketing

O CACC funciona hoje com oito funcionários, mas não tem como ter um profissional para desenvolver atividades extras, como o marketing. Para isso, o Centro de Apoio conta com o auxílio do projeto de extensão “Desenvolvimento de Marketing Social”, coordenado pela professora Marta Oliveira, do Departamento de Ciências Administrativas da UFSM. Marta conta que a intenção inicial do projeto era fazer com que os estudantes tivessem contato com a realidade fora dos limites da Universidade. Ela cogitou trabalhar com empresas, mas então surgiu a ideia: “por que não alguma ONG, uma instituição que possa ajudar na realização do projeto, ao mesmo tempo em que a gente vai fazer um bem para a nossa alma?”

O contato com o CACC foi positivo e, desde 2014, os alunos atuam na produção de folders, banners, cartazes, informativos, marcadores de página, cartões de visitas, além de ações de marketing no facebook e no site do CACC. “É uma via de mão dupla, todo mundo se beneficia, porque os alunos, ao fazerem, vão aprendendo na prática, e a gente ainda faz algo que nos faz bem”, finaliza Marta.

Identificando os sintomas

Os principais sintomas do câncer em crianças e adolescentes são:

  • Palidez, dor óssea e hematomas ou sangramentos pelo corpo;
  • Caroços ou inchaços, especialmente se forem indolores e não acompanhados de febre – além de outros sinais de infecção;
  • Perda de peso inexplicada, febre e sudorese noturna.
  • Tosse persistente ou falta de ar.
  • Alterações oculares: embranquecimento da pupila, estrabismo recente, perda visual, hematomas ou inchaço ao redor dos olhos
  • Inchaço abdominal.
  • Dores de cabeça, sobretudo se forem incomuns e contínuas, além de vômitos frequentes pela manhã ou com piora ao longo do dia.
  • Dores nos membros e inchaços sem qualquer sinal de infecção ou trauma.

Para mais informações, consulte o site do CACC.