Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Palestrantes

Tamara Joana Biolo Soares

Possui mestrado em Direito (LL.M.) – Harvard University (2009). Tem experiência na área do Direito Internacional Público, com ênfase no Direito Internacional dos Direitos Humanos, e em Direitos Humanos. Trabalhou na Corte Interamericana de Direitos Humanos. Atuou principalmente nos seguintes temas: sistemas regionais e universal de proteção dos direitos humanos, Corte Interamericana de Direitos Humanos, responsabilidade estatal por violações individuais e sistemáticas de direitos humanos e discriminação em razão do gênero, da nacionalidade, da raça e da condição social e econômica.

Jurema Brites

Doutora em Antropologia Social pelo Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da UFRGS. Desde 2010 é Professora do Departamento de Ciências Socias da UFSM. Seus estudos estão focados principalmente em Relações de Gênero, Família, Geração, Trabalho e Classe na Sociedade Brasileira.  Possui várias publicações em torno do Trabalho Doméstico, entre eles podemos citar Afetos e Desigualdade – Afeto e desigualdade: gênero, geração e classe entre empregadas domésticas e seus empregadores, nos Cadernos Pagu; Trabajo doméstico en Brasil: transformaciones y continuidades de la precariedad. Tayectorias – Revista de Ciências Sociales de la Universidad Autónoma de Nuevo León, México e Tabalho Doméstico: questões, leituras e politicas, no Próximo número dos Cadernos de Pesquisa da Fundação Carlos Chagas. 

Silvia da Silva Tejadas

Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Luterana do Brasil (1990), especialização em Educação de Jovens e Adultos pela UFRGS (1993), mestrado (2005) e doutorado (2010) em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Foi professora do curso de Serviço Social da Universidade Luterana do Brasil. Atualmente, é assistente social do Ministério Público do Rio Grande do Sul, onde coordena a Unidade de Assessoramento em Direitos Humanos da Divisão de Assessoramento Técnico. Tem experiência na área de Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: direito da criança e do adolescente, direitos humanos, Serviço Social, Ministério Público, proteção social, juventude e ato infracional.

Fabiano Pereira

Com raízes nas pastorais e nas comunidades eclesiais de Base, o secretário da Justiça e dos Direitos Humanos, Fabiano Pereira, 39 anos, iniciou sua trajetória política na sua cidade natal: Santa Maria. Nascido em Camobi, um dos bairros mais populosos do município, Fabiano foi eleito vereador em 2000. Durante o mandato, assumiu a Secretaria Municipal de Saúde, que passava por uma grave crise.

Depois de um trabalho de quase dois anos à frente da Secretaria, Fabiano deixou o cargo para concorrer a deputado estadual. Eleito em 2002 aos 28 anos para Assembleia Legislativa, o petista não chegou a completar o primeiro mandato na Câmara de Vereadores.

Na estreia no Legislativo, Fabiano liderou a Jornada Estadual contra a Violência e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Também no primeiro mandato, o hoje secretário assumiu a presidência da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia. Já eleito para seu segundo mandato como deputado estadual, Fabiano chegou a assumir o Parlamento gaúcho por um mês, em 2007. Foi o primeiro petista a ocupar o cargo.

Na segunda legislatura, o então deputado assumiu a presidência da CPI do Detran, que apurou o desvio de R$ 44 milhões dos cofres da autarquia. Também presidiu a Comissão de Serviços Públicos e continuou à frente da Jornada Estadual contra a Violência Sexual de Crianças e Adolescentes. Também no segundo mandato, Fabiano foi corregedor da Comissão de Ética da Assembleia e coordenador do Comitê Estadual de Luta Contra o Crack.

Nas eleições de 2010, ele concorreu a deputado federal. Atualmente, é segundo suplente da bancada do PT. Fabiano foi convidado pelo governador do Estado, Tarso Genro para assumir a Secretaria da Justiça e dos Diretos Humanos, cargo que ocupa desde janeiro de 2011.

Maria da Graça Maurer Gomes Türck

Possui graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1976), mestrado (1991) e doutorado (2008) em Serviço Social também pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atualmente é perita assistente social no Juizado da Infância e da Juventude, professora da Universidade Luterana do Brasil e consultora do Centro de Apoio a Meninos e Meninas. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Fundamentos do Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: Serviço Social, prática, reflexão, violência e direitos sociais.

Contato:  http://graturck.blogspot.com.br/

Beatriz Gershenson Aguinsky

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Possui graduação em Serviço Social pela PUCRS (1982), graduação em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRGS (1985), especialização em Direitos Humanos pela ESMPU/UFRGS e doutorado em Serviço Social pela PUCRS (2003). É assistente social do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul. É professora titular da Faculdade de Serviço Social da PUCRS onde, atualmente, exerce a função de Diretora; Vice-editora da Revista Textos & Contextos (Porto Alegre) – FSS/PUCRS; membro do conselho editorial científico da Revista Katalysis da UFSC. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Infância e Juventude, atuando principalmente nos seguintes temas: Serviço Social, socieducação, justiça restaurativa, direitos humanos, ética e formação profissional.

Marcos Rolim

Marcos Rolim é professor da Cátedra de Direitos Humanos do Centro Universitário Metodista IPA (Porto Alegre), e diretor de Comunicação Social do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS).  Iniciou sua trajetória em direitos humanos na Anistia Internacional e foi vice-presidente da União Estadual dos Estudantes. Foi Vereador em Santa Maria, RS; cumpriu dois mandatos como Deputado Estadual e um mandato como Deputado Federal, pelo PT.  Presidiu a Comissão de Direitos Humanos do parlamento gaúcho por 6 anos consecutivos. Concebeu e editou o”Relatório Azul”, o mais amplo relatório em Direitos Humanos publicado no Brasil. Foi o autor da primeira lei de Reforma Psiquiátrica da história brasileira e da primeira legislação de proteção às testemunhas ameaçadas e às vítimas da violência. Quando Deputado Federal, presidiu a Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Na CDH, organizou as “Caravanas Nacionais de Direitos Humanos” atravessando o Brasil 6 vezes em visitas a manicômios, presídios, polícias, FEBENS, abrigos de crianças e asilos de idosos. Sua militância em Direitos Humanos lhe assegurou inúmeras distinções, entre elas o primeiro Prêmio UNESCO em Direitos Humanos no Brasil, em 1999.

Jornalista graduado pela UFSM, é mestre em Sociologia pela UFRGS, instituição onde está concluindo seu doutorado. Possui curso de Atualização Legislativa nos EUA e curso de especialização em Política Prisional e Saúde Mental na Espanha. Em 2003/2004 foi professor visitante na Universidade de Oxford (Inglaterra), onde desenvolveu uma pesquisa sobre o tema “Experiências Exitosas de Segurança Pública”. Como resultado deste trabalho, escreveu “A Síndrome da Rainha Vermelha: policiamento e segurança pública no século XXI” (Zahar). Além deste livro, é autor de “A Imitação da Política” (Editora Tchê),”Teses para uma Esquerda Humanista” (Editora Sulina); “Desarmamento, evidências científicas” (Editoras DaCasa/ Palmarinca); “Mais Educação, menos violência” (UNESCO) e “Bullying: o pesadelo da escola” (Editora Dom Quixote) . 

Web site – www.rolim.com.br

Twitter-  http://twitter.com/RolimMarcos

Facebook –  https://www.facebook.com/rolimmarcos