Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

RU da UFSM-FW reduz 63,4% de desperdício em 2017

DSC 0015O Restaurante Universitário (RU) da UFSM-FW economizou 4.179 refeições do ano de 2016 para 2017 tendo uma economia de R$ 37.612,00 e isso só foi possível com dois passos: o sistema de agendamento e cancelamento das refeições e a gestão administrativa do restaurante.

O sistema consiste no agendamento prévio das refeições consumidas nos RUs. Isto auxilia o restaurante a trabalhar com métricas exatas, buscando melhor aproveitamento do que é produzido.

Na UFSM, o agendamento surgiu em 2011 na sede e no campus de Frederico Westphalen, a obrigatoriedade do agendamento foi implementada em 2016. Apesar das diferenças, todos os campi enfrentam dificuldades na organização e no agendamento das refeições.

Para o professor Clayton Hillig, Pró-Reitor de Assuntos Estudantis, a sede da universidade ainda perde muito em relação ao Campus de FW “temos uma adesão pequena, já Frederico ela é maciça e isto está proporcionando uma queda imensa no desperdício. Embora ainda tenha uma dificuldade com a questão do cancelamento das pessoas que não comparecem”, afirmou o Pró-Reitor, indicando o dado de desperdício da UFSM sede que foi de mais de 1 milhão de reais.

O cancelamento é a grande questão de enfrentamento, pois é um trabalho de conscientização que passa pelo Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) e pelo Núcleo de Apoio em Saúde (NAS). Para a assistente social do Campus, Graciela Ló Nunes, tanto servidores quanto alunos, “devem sensibilizar-se com a questão do agendamento e evitar o desperdício (alimentação e dinheiro público), e prevenir que não falte alimentação”, enfatiza Graciela.

Caroline Dourado, nutricionista do RU da UFSM-FW, diz que a principal vantagem do sistema de agendamento é a organização, “porque evita desperdício de alimento e verba pública. A partir do agendamento dos usuários é possível programar a produção da refeição e também, ter um controle dos faltantes, caso haja o cancelamento”, salienta Dourado. Após a contabilização dos agendamentos é que são preparadas as refeições, controlando as quantidades e proporcionando a diminuição de excedente.

A gestão dos agendamentos é um dos pontos principais para o bom andamento do sistema, e foi assim que Caroline reduziu o desperdício do RU de Frederico Westphalen. Segundo ela, o grande problema é o cancelamento, “pois existe um grande número de estudantes que simplesmente não vai e não cancela sua refeição no sistema. É possível que se faça uma média de faltantes e se reduza a previsão de refeições, mas corre-se o risco de faltar alimento” destacou a nutricionista. O correto é que a previsão seja exatamente o que está agendado. Só assim é possível diminuir ainda mais o desperdício tanto de alimento quanto de recursos públicos.

Para o pró-reitor Clayton Hillig, medidas futuras poderão ser tomadas para evitar o não comparecimento nas refeições. Uma das ideias é “um serviço de troca de agendamento. Para aqueles estudantes que não conseguirem cancelar até a hora da refeição, será possível passar o agendamento para quem não o fez” afirmou Hillig.

As opiniões dos estudantes divergem em alguns aspectos a respeito do sistema. Para Isadora Flores, estudante de jornalismo o agendamento é bom, pois ele garante a refeição, “se eu não agendar fico naquela ansiedade de pegar ticket”, afirma a universitária. Já para Pâmela Francelino, do curso de Relações Públicas, o sistema é falho, “porque às vezes o servidor não funciona e não computa o agendamento ou o cancelamento e você é prejudicado mesmo que cumpra as orientações”.

Ambas acreditam que uma alternativa para otimizar os agendamentos e os cancelamentos, seria criar um aplicativo apenas para o Restaurante Universitário.

Alunos com o Benefício Socioeconômico (BSE) não são isentos do agendamento e cancelamento, são isentos apenas do pagamento da refeição. Apesar disso, a Universidade paga por essa refeição de forma integral. Graciela Ló Nunes afirma que “é importante ressaltar que todos os nossos alunos tem a ajuda da assistência estudantil, pois uma refeição normal custa R$ 9,68 para a Universidade”. Dessa forma, o cancelamento evita o prejuízo de recursos públicos investidos em refeições não realizadas.

A conscientização dos usuários do RU é de extrema importância, pois uma refeição agendada e não consumida é considerada o cessamento do direito do outro consumir. Evita-se, assim, o desperdício de alimento e de recursos financeiros.

Reportagem e foto: Ariel Stival