Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Infraestrutura

1 – Laboratórios

Laboratório Corpus – Laboratório de Fontes de Estudo da Linguagem

Descrição
O CORPUS – Laboratório de Fontes de Estudo da Linguagem – reúne pesquisadores ligados a dois GRPesq: Linguagem, Sentido e Memória e Literatura e História, com o objetivo de disponibilizar acervos, incentivar o trabalho de recuperação de fontes e desenvolver uma dinâmica de seminários, exposição de material, reuniões de estudo e de trabalho; enfim, apresenta-se como um espaço propício à formação de jovens pesquisadores e de desenvolvimento de pesquisas na área de Letras e Linguística, através da temática história, língua e memória. O Laboratório conta hoje com seis (6) professores que atuam no Programa de Pós-Graduação (4) e na Graduação em Letras da UFSM (todos), bem como com profissionais de outras instituições conveniadas. Importa ressaltar que o Laboratório Corpus, em seus quatorze (14) anos de existência e pleno funcionamento, vem respondendo à necessidade de formação de novos pesquisadores.

Quando o Corpus foi fundado, foi criada também a rede de pesquisa que reúne professores das mais diferentes instituições de ensino superior do lado oeste dos estados da Região Sul que têm participado das diversas atividades promovidas pelo Laboratório, fazendo com que o avanço na reflexão sobre os fenômenos da linguagem, nesta região, tome forma através de projetos integrados e que novos pesquisadores sejam formados. Portanto, o Laboratório constitui-se como um espaço de estudo, reflexão e discussão acerca de língua e literatura nas peculiaridades que são próprias da região.

Os equipamentos de informática, o mobiliário e o acervo bibliográfico do referido Laboratório foram adquiridos através de recursos oriundos de editais do qual os integrantes participaram; o material de consumo é viabilizado pelo PPGLetras/UFSM e os recursos de custeio pelo aporte dos projetos de pesquisa de cada pesquisador envolvido. É através do Laboratório Corpusque muitos jovens pesquisadores e professores da rede de pesquisa têm acesso a um ambiente de estudos e de pesquisa, pois nele se institui uma cultura de pesquisa vinculada aos problemas que afetam a metade oeste da Região Sul, ou seja, os fenômenos de linguagem relacionados ao contexto de fronteira com os países vizinhos. Tais fenômenos podem ser elencados por questões do tipo: Que língua falamos? Qual é a história dos textos e dos escritores aqui instalados? Que instrumentos linguísticos são aqui elaborados? Qual é nossa identidade enquanto sujeitos que se representam e são representados na língua e na cultura regionalista? Como somos constituídos histórica, linguística e literariamente? O Corpus tem, na prática diária, desenvolvido e promovido a formação do pesquisador em Letras a partir da produção do conhecimento sobre tais questões que se relacionam a partir do eixo norteador da memória e da história na produção de instrumentos linguísticos.

O fortalecimento de uma cultura de pesquisa, no entanto, pressupõe uma inter-relação profissional mais consistente e o desenvolvimento de ações interdisciplinares mais frequentes, com novos instrumentos tecnológicos que possam proporcionar, principalmente via online, um maior compartilhamento dos arquivos aqui constituídos. O acervo do Laboratório Corpus é importante do ponto de vista da história regional fronteiriça, e a partir da sua digitalização, prevista para se efetivar nos próximos anos, será possível disponibilizá-lo aos pesquisadores interessados.

As ações do referido Laboratório são regidas pelos seguintes princípios: a) o sujeito pesquisador, ao construir o seu objeto, não o faz sem que ele esteja ideológica e historicamente constituído; b) o pesquisador apreende a complexidade das operações que estão em jogo na troca de sentidos através de um processo dialógico; c) o universo da pesquisa contemporânea sobre a linguagem é plural e interdisciplinar. A criação do LaboratórioCorpus – graças ao PROCAD/CAPES com a UNICAMP – marco fundador de sua história, foi necessária para oficializar e consolidar as atividades que já vinham sendo desenvolvidas individualmente ou com outros pesquisadores em diferentes projetos.

Outro dado interessante a destacar diz respeito aos projetos integrados entre: o Laboratório Corpus e o Laboratório PALADIS da UNESP de São José do Rio Preto; o Laboratório Corpus e o Labeurb (UNICAMP); o Laboratório Corpus e o LAS (UFF) e o EL@DIS (USP-Ribeirão Preto), entre outros. Atualmente, o Laboratório Corpus passa por uma nova e importante fase potencialmente promissora no que diz respeito a seu acervo, no tocante a aspectos quantitativos e qualitativos do arquivo. Tal acervo constitui-se de doações pessoais e institucionais, tendo sido também incrementado através de compras em livrarias-sebos especializadas, mediante um minucioso trabalho de levantamento de dados, o que demanda um fundamental trabalho em equipe. Infelizmente, esse acervo está disponível apenas na sala do Laboratório, o que requer o deslocamento até a UFSM das pessoas interessadas em consultá-lo. Dada sua importância histórica e de memória cultural, pesquisadores, estudiosos e acadêmicos em formação doutoral têm nos solicitado cada vez mais sua disponibilização. Assim, estão programadas, para os próximos dois anos, sua completa digitalização e disponibilização on line através da página web do Laboratório a fim de podermos compartilhá-lo de modo mais amplo. Esse é um processo que requer tempo, preparo, formação e interesse de pesquisa e, acima de tudo, preparação técnica especializada em maquinário personalizado e apropriado para tal fim. Cabe destacar ainda a criação dos seguintes grupos de trabalho: a) Grupo no Programa de Educação Tutorial (MEC) para o Curso de Letras, vinculado ao LaboratórioCorpus, que vem desenvolvendo ações de extensão, ensino e pesquisa, que conta atualmente com 16 alunos (sendo 12 bolsistas) e 6 professores do curso; b) . Grupo PET Conexões de Saberes – LabCorpus/Letras, que se constituiu no entremeio que estabeleceu relações entre um Programa do MEC, coordenado na UFSM pela Pró-Reitoria de Extensão, e o trabalho desenvolvido no interior do Laboratório de Estudo da Linguagem – Corpus. No estágio atual, a maioria dos alunos petianos está desenvolvendo trabalhos com as linhas de pesquisa em desenvolvimento no Curso de Letras da UFSM, realizando leituras (resumos e resenhas de obras) e participando de reuniões de pesquisa e/ou grupos de estudos. Além disso, organizam palestras, seminários, minicursos e atividades artístico-culturais.
Convênios e Acordos (publicação e eventos)

Acordo de Cooperação Acadêmica e Científica entre o Laboratório Corpus e o Laboratório de Estudos Urbanos – Labeurb/UNICAMP (também aprovado pelo PPGL, direção do CAL e Conselho Universitário) com as seguintes ações:
a) dois seminários online com o tema “O urbano e as redes sociais”;
b) aula Inaugural das atividades do Laboratório Corpus proferida pela Prof.ª Eni Orlandi, em 2012.
c) Projeto ENDICI – LABEURB/UNICAMP, que tem por objetivo dar continuidade à construção da Enciclopédia Discursiva da Cidade (ENDICI), uma enciclopédia digital on line elaborada com base no dispositivo teórico da Análise de Discurso. A ENDICI é atualmente coordenada e organizada por Eni Orlandi (UNICAMP/UNIVAS) e José Horta Nunes (LABEURB/NUDECRI/UNICAMP) e tem sede no Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade da Unicamp (LABEURB/NUDECRI/UNICAMP), com apoio da FAPESP, em parceria com o Laboratório Corpus/PPGL, UFSM.

Acordo de cooperação em rede entre três laboratórios de pesquisa: LaboratórioCorpus (UFSM), LAS (Laboratório Arquivos do Sujeito – UFF) e o ELADIS (Laboratório Discursivo: sujeito, rede eletrônica e sentidos em movimentos – USP/RP). Ações:
a) I Jornada Enlace entre Laboratórios – realizada na Universidade Federal Fluminense em agosto de 2012;
b) publicação (online e versão impressa) do Caderno de Resumos (expandidos) com todos os trabalhos apresentados nessa jornada;
c) fórum de discussão online sobre teses e dissertações em andamento entre os participantes dos três laboratórios.

Acordo de Cooperação Científica Internacional entre o Laboratório Corpus e o Institut de Formation de Maîtres, a Faculté de Lettres da Université de Franche-Comté, na França (assinada pelo Colegiado do PPGL, pelo DLCL e Direção de Centro e aprovada em reunião do Conselho Universitário). O acordo se concretiza em ações desenvolvidas a partir de 2011, sendo as seguintes referentes ao ano de 2012:
a) a Prof.ª Amanda Scherer atuou como Professora Visitante, de 03 de abril a 07 de junho de 2012, junto ao Centre de Recherches Intedisciplinaires et Transculturelles (C.R.I.T. – EA3224) da U.F.R. Sciences de l’Homme et de la Société, Faculté de Lettres da Université de Franche-Comté, na França;
b) estágio doutoral (PDSE/CAPES) de Juciele Pereira Dias – 2011/2012;
c) leitorado de Português de ex-doutoranda do PPGL, Rejane Arce Vargas, na Faculté de Lettres. A discente também participou de estágio PDEE/CAPES, em 2010, na mesma instituição;
d) organização conjunta com o Laboratório Corpus da Journée d’Etudes Transferts épistémologiques et conceptuels – no dia 10 de maio de 2012 – por vídeo-conferência e com a participação de Juciele Pereira Dias (no Brasil) e, na França, da Prof.ª Amanda Scherer, como conferencista, e da ex-acadêmica Rejane Arce Vargas, com apresentação de comunicação;
e) duas conferências online: Cours Pratiques sur l’Interdisciplinaires et Transculturelles (CRIT/Besançon França) et L’Histoire des Idées Linguistiques et Histoire Disciplinaire (Laboratório Corpus/PPGL);
f) publicação conjunta em 2013 na Revista Cahiers Internationaux de Symbolisme doCentre Interdisciplinaires d’Etudes Phisophiques (CIEPHUM) da Universidade de Mons (Bélgica) resultante da Journée d’Etudes de 2011.

Tratativas iniciais para estabelecimento de Acordo de Cooperação com o ITM-CNRS-ENS, em Paris, através de contato com Irène Fenoglio, o que já desencadeou as seguintes ações conjuntas:
a) conferência presencial de Irène Fenoglio em 12 de novembro de 2012, no âmbito do XIX Seminário Corpus;
b) reunião de trabalho da Prof.ª Irène Fenoglio com os integrantes do LaboratórioCorpus;
c) estágio doutoral (PDSE/CAPES) de Caroline Mallmann Schneiders no I semestre de 2013.
d) tradução da conferência da Prof.ª Irène Fenoglio proferida no LaboratórioCorpus/PPGL em novembro de 2012 a ser publicada na Série Cogitare pelo PPGL Editores/UFSM em 2013;
e) participação da Prof.ª Amanda Scherer no IV Congrès Mondial de Linguistique Française que acontecerá em Berlin (Alemanha) em julho de 2014. A Prof.ª Amanda será a presidente do Comité Thématique: Linguistique du texte. Sémiotique. Stylistique e a Prof.ª Irène Fenoglio, a coordenadora de tal comitê.

Editais contemplados
Edital Pró-Revistas 2011-2012: uma bolsa de 06 meses no valor mensal de R$ 300,00; uma impressora e um computador no valor de R$ 3.316,00 (disponíveis); e serviços gráficos no valor R$ 5.844,00. Total geral: R$ 11.000,00.
Edital Extensão – FIEX/2012: duas bolsas no valor mensal de R$ 300,00; hospedagem e alimentação, gráfica, almoxarifado no valor de R$ 146,62, participação de aluno em eventos, passagens. Total geral: R$ 6.800,00.
Edital Pró-Equipamento/Edital CAPES – 2011/2012: um servidor marca DELL Modelo S1 valor 57.000,00 (disponível), que tem a função de repositório/hospedagem para todos os artefatos de multimídia (imagem, som, grafismo, arquivo de busca, etc) de formato privativo e também para uso comunitário. Tal servidor reproduz, localiza, qualifica – através de sua performance em resolução – fotos, gravuras, imagens antigas, objetos em terceira dimensão, de forma automática e com autonomia necessária, enquanto operação empreendedora que é, com interfaces USB e em rede, e memória compatível para a demanda.Total geral: R$ 57. 000,00.
Edital FAPERGS 02/2011/2013 – Programa Pesquisador Gaúcho – PqG (Projeto submetido “Lingüística no Sul: estudos das ideias e organização da memória” – Parte III): despesas de custeio no valor de R$ 2.600,00 (diárias e passagens aéreas), despesas de capital no valor de R$ 19.050,00 (informática e compra de livros e mapas antigos). Total geral: R$ 21. 650,00.
Edital PNPD CAPES 2011/2014: duas bolsas de pós-doutorado no valor de R$ 3.300,00 cada, por um período de 3 anos (totalizando R$ 248.000,00 no período; despesas de custeio R$ 72.000,00. Total disponível: R$ 320.000,00.
Edital FAPERGS/CAPES –DOCFIX 2012/2015: uma bolsa de pós-doutorado no valor de R$ 6.000,00.
Editais de Iniciação Científica: PIBIC/CNPq – 3 bolsas; FAPERGS/RS 3 bolsas.
Edital Grupo PET/Letras: Recursos de custeio: R$ 25.920,00; Bolsas PET/ CAPES – 12 bolsas (Coordenação da Prof.ª Verli Petri).
Edital Conexões de Saberes – PRE/MEC: recursos de capital: R$ 3.300,00, recursos de custeio: R$ 5.000,00.

Labler – Laboratório de Pesquisa e Ensino de Leitura e Redação

Descrição
Concebido e coordenado pela Prof.ª Désirée Motta-Roth, o Laboratório de Pesquisa e Ensino de Leitura e Redação (LabLeR) foi criado em dezembro de 1996 com apoio financeiro da FAPERGS via edital 96/12 (processo n°. 97/01585). Vinculado ao Departamento de Letras Estrangeiras Modernas, do Centro de Artes e Letras da UFSM, teve como base o trabalho originalmente desenvolvido pelo GT de Leitura e Redação do DLEM entre os anos de 1995 e 1997, quando foram realizados seminários e oficinas em aprendizagem de línguas, leitura e redação para alunos e professores da UFSM e outras instituições.
Atualmente o Labler está localizado no prédio 16 (Centro de Educação) do campus da Universidade Federal de Santa Maria e desde 1998 está ligado ao Grupo de Pesquisa/CNPq Linguagem como prática social, constituindo-se num espaço de investigação e uma opção de formação complementar para que alunos do curso de Graduação em Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFSM possam vivenciar na prática a indissociabilidade entre pesquisa, ensino e extensão na área de Linguística Aplicada.


O laboratório disponibiliza a todos os alunos e egressos dos cursos de graduação e pós-graduação em Letras e áreas afins, bem como a professores da rede escolar e universitária, a possibilidade de conscientização acerca das práticas discursivas contemporâneas, com especial atenção aos processos de leitura, escrita e multiletramentos, ensino e aprendizagem de línguas, elaboração de material didático, avaliação e intervenção sobre a prática pedagógica.
O objetivo do Labler é a formação inicial e continuada de linguistas aplicados por meio da reflexão teórica, da pesquisa e da publicação científicas. Para tanto, congrega inúmeros projetos desenvolvidos por alunos de Graduação e Pós-Graduação e orientados pelas professoras Désirée Motta-Roth, Graciela Rabuske Hendges, Luciane Kirchhof Ticks, Cristiane Fuzer e Sara Scotta Cabral (docentes do PPGL) e pelas professoras Roséli Gonçalves do Nascimento, Patrícia Marcuzzo (professoras da Graduação). Esses projetos têm contribuído decisivamente para a melhoria da qualidade de ensino dos cursos de graduação e pós-graduação em todas as áreas do saber da UFSM. Um dos impulsos mais significativos para a solidificação do LABLER foi o desenvolvimento, junto com a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFSM, do programa Laboratório de Linguagens, com o objetivo de inserir alunos de Letras em situação de investigação teórica e de ensino, ao mesmo tempo em que fornecia ensino de línguas inteiramente grátis a alunos carentes da UFSM. Assim, no ano de 1998 e no primeiro semestre de 1999, os acadêmicos de Letras participaram de um processo coletivo de construção de conhecimento através de leituras (de livros comprados pelo projeto e de material extraído da Internet), discussões, observação de aula, elaboração de planos de aula e material didático, experimentação com metodologias de ensino de línguas inovadoras, mediadas por computador. Além disso, apresentaram trabalhos sob forma de comunicações e pôsteres em congressos, e publicaram artigos. No mesmo período, em torno de 1500 alunos de toda a UFSM e da comunidade em geral tiveram a oportunidade de participar de 13 cursos diferentes de alta qualidade teórica e prática, em que aprenderam a estabelecer comunicação oral e prática, ler e escrever textos acadêmicos (redação acadêmica, leitura acadêmica), comunicar-se e fazer pesquisa na Internet, usando línguas estrangeiras (alemão, espanhol, francês, inglês, italiano) e português.


No sentido de contribuir para a formação continuada de professores da rede pública no que se refere ao ensino de leitura em línguas estrangeiras na escola secundária, em 1998 foi produzido o livro Leitura em Língua estrangeira na Escola: Teoria e Prática, publicado e distribuído gratuitamente pela COPERVES/PROGRAD/UFSM às 500 escolas da região de abrangência do PEIES/UFSM. Posteriormente (julho de 1999), ainda visando a essa formação continuada, foi elaborado pela equipe do LABLER o software Surfando na Web (distribuído nas escolas integrantes do programa PEIES) para ensinar professores sem experiência na área a navegar na Internet, com o fim de colher material para suas aulas.
Desde 1997, o Labler colabora com a formação continuada dos professores da rede pública do estado do Rio Grande do Sul, oferecendo oficinas práticas e minicursos teóricos na área de Letras/Ensino de Línguas no Programa PEIES; seminários e encontros regionais dentro do Grupo de Pesquisa CNPq “Linguagem como Prática Social”, liderado pela coordenadora do presente projeto; Grupos de Estudo e de Produção de Material Didático de Ensino de Línguas.


Ao longo dos quinze anos de existência desse espaço onde a interação dinâmica entre ensino, pesquisa e extensão tem sido marco distintivo, um número considerável de professores em pré-serviço teve um espaço qualificado para a inserção em atividades docentes com o devido acompanhamento e reflexão sistemática. O Labler constitui-se, portanto, num espaço formativo cujos efeitos se fazem sentir na educação básica e no ensino universitário, visto que vários egressos do Laboratório encontram-se em atuação no sistema de Ensino Básico, e em instituições formadoras de professores, tais como Unijuí, Unisc, UCS, Fevale, Urcamp, UFPEL.

Pesquisas Desenvolvidas
As pesquisas desenvolvidas no Labler, na área de Linguística Aplicada, concentram-se na análise de práticas discursivas em contextos específicos, teoria e análise crítica de gêneros discursivos, produção textual, leitura e multiletramentos, ensino e aprendizagem de línguas (inglês e português), formação de professores. São elas:
2011 – Atual Linguagem no Contexto Social: Representações Sociais, Identidade e Multiletramento
2011 – Atual Análise crítica de gêneros discursivos em práticas sociais de popularização da ciência
1997 – Atual LABLER – Laboratório de Pesquisa e Ensino de Leitura e Redação – UFSM
1993 – Atual Redação Acadêmica: processos e produtos da aprendizagem
2012 – Atual Atividades Colaborativo-Educacionais em Contextos Escolares (ACECE)
2010 – 2012 Representações Sociais no Contexto Escolar
2012 – 2016 Análise crítica de gêneros e implicações para os multiletramentos
2010 – 2012 Análise crítica de gêneros multimodais e hipertextuais: aspectos teóricos e metodológicos
2010 – 2012 Mapeando a evolução do gênero resumo acadêmico (abstract) em diferentes contextos disciplinares: questões de multiletramento
2012 – Atual O contexto de produção em notícias de popularização da ciência publicadas em inglês

Eventos realizados em 2012
III Jornada de Popularização da Ciência. UFSM/UNISINOS/UNIFRA. 5 de junho de 2012. – evento regional.
VI Mostra de trabalhos em Andamento. LABLER-LABPORT/UFSM. 25 a 26 de junho de 2012 – evento local.
2ª Jornada de Multiletramentos e II Workshop do SAL-Brasil. LABLER-LABPORT/UFSM. 23 a 25 de setembro de 2012 – evento internacional.
3º Seminário Diálogos Teóricos INdisciplinares. LABLER-PPGL/UFSM. 2012 – evento local.

Editais Contemplados
Editais que contribuíram para a estruturação do laboratório
Edital FAPERGS 96/12 (processo n°. 97/01585)
Edital Nº 027/2012 PROBIC/FAPERGS/UFSM
Edital Nº 020/2011 PIBIC-EM/CNPq/UFSM
Edital Nº 025 /2012 PIBIC/CNPq/UFSM
Edital PRPGP/UFSM 015 /2012 – Auxílio à pesquisa de recém-doutores (“FIPE ARD – Enxoval”)
Edital PRPGP/UFSM 016/2012 FIPE Júnior – Programa de Bolsas de Iniciação Científica ou Auxílio à Pesquisa
Programa FIEX – Edital N. 01, de 10 de janeiro de 2012
Edital FAPERGS 05/2012 – Auxílio para organização de eventos – AOE

Laboratório Entrelínguas – Centro de Estudos sobre Práticas Linguísticas e Culturais

Descrição
O Laboratório Entrelínguas foi fundado em 2008 e tem por objetivo desenvolver projetos de Ensino, Pesquisa e Extensão. Suas atividades de Ensino e Extensão estão voltadas para estudantes de intercâmbio, recebendo alunos, sobretudo, hispânicos, para cursos de PLE – Português Língua Estrangeira e estudantes brasileiros que pretendem fazer intercâmbio para E/LE – Espanhol Língua Estrangeira. Desenvolve projetos de ensino e extensão (PROLICEN e FIEX). Também é posto aplicador do CELPE-Bras (Certificado de Proficiência Brasileiro de Português) e do CELU (Certificado Español Lengua y Uso). Em relação à pesquisa, desenvolvem-se projetos de Iniciação Científica, de Mestrado e de Doutorado, no que tange às temáticas de Línguas de Fronteira e Política Linguística.

Pesquisas desenvolvidas:
Projeto PIBIC/CNPQ – “As Fronteiras nas Línguas e pelas Línguas”, com envolvimento de alunos de graduação e pós-graduação. Projeto PROLICEN – “Fronteiras Culturais: Práticas escolares e Comunitárias”, realizado com bolsista em escola de Ensino Fundamental e contando com a participação de alunos de graduação, pós-graduação, estudantes do ensino fundamental e professores da rede pública de ensino.

Convênios e acordos
Projeto Mobilidade Mercosul (PMM/CAPES/Comunidade Europeia): “Identidad Plurilíngue, Operatividad Bilíngue”. No ano de 2012, no 1º semestre, recebeu o professor Alejandro Raiter, da Universidad de Buenos Aires, para seminário na UFSM. No âmbito desse projeto foi desenvolvida parte das atividades de panorama do Ensino de Espanhol (E/LE) e Português (PLE) no Rio Grande do Sul, com participação de bolsistas financiados pelo PMM, envolvendo alunos de graduação e pós-graduação, no 2º semestre de 2012.

Eventos promovidos
“Seminário de Formação Continuada dos Professores da Escola Intercultural de Fronteira”, realizado em 2 etapas (Santa Maria e São Borja) envolvendo professores das escolas participantes do Programa Escolas de Fronteira, de Itaqui e São Borja, com participação de professores da UFSM, FURG e UFPEL e de alunos de graduação e pós-graduação. O Seminário foi realizado em outubro e Novembro de 2012.

Editais contemplados
a) PROLICEN, PIBIC/CNPq.
b) recurso orçamentário da Secretaria de Educação Básica para a UFSM, que financiou o “Seminário das Escolas Interculturais de Fronteira”.

Laboratório LabPort – Laboratório de Língua Portuguesa
Descrição
O Laboratório de Língua Portuguesa – LabPort foi criado pela Prof.ª Nina Célia Almeida de Barros, pela Prof.ª Nara Augustin Gehrke e pela Prof.ª Sílvia Helena Lovato do Nascimento em 2003. Implantado para desenvolver atividades de ensino, pesquisa e extensão, tinha como objetivo principal “elaborar propostas para atividades a partir de reflexão sobre questões relevantes de leitura, gramática e produção de textos em língua portuguesa”. Desativado entre os anos de 2009 e 2010, voltou a funcionar em 2012, dessa vez com a equipe formada pela Prof.ª Sara Regina Scotta Cabral (coordenadora), e pelos professores Cristiane Fuzer e Marcos Gustavo Richter (docentes do PPGL); Maria Eulália Albuquerque, Nara Augustin Gehrke e Tatiana Keller (docentes da Graduação), e Vítor Hugo Chaves Costa (URCAMP).


Hoje o LabPort é um espaço de pesquisa e ensino que integra ações em prol do trabalho com a língua portuguesa. O Laboratório atende as necessidades de um público bem heterogêneo: acadêmicos da UFSM e de outras universidades de Santa Maria, COPERVES, mestrandos, doutorandos, professores universitários, profissionais envolvidos com a publicação de material didático ou de pesquisa, pesquisadores em geral.
O LabPort prevê a ancoragem em quatro projetos/atividades já em andamento na Universidade Federal de Santa Maria: Ateliê de Textos, Revisores de Textos, Núcleo de Estudos em Língua Portuguesa e Revista Linguagens e Cidadania (L&C).


O Núcleo de Estudos em Língua Portuguesa (NELP), também coordenado pela Profª Sara Cabral, é uma iniciativa dos professores de língua portuguesa do Departamento de Letras Vernáculas (Curso de Letras, do Centro de Artes e Letras) e está voltado para os estudos em nível de graduação e de pós-graduação. Caracteriza-se por ser constituído de um grupo de pesquisadores cujos interesses estão voltados para o desenvolvimento e a aplicação da Gramática Sistêmico-Funcional na Região Sul do país.


A Revista Linguagens e Cidadania (ISSN 1516-8492) é uma publicação eletrônica de periodicidade anual concernente à contribuição dos estudos das linguagens para a construção das bases para a participação de professores, pesquisadores e demais profissionais da área de Letras na vida social e política do país. Os textos publicados abrangem, pois, temáticas tais como desenvolvimento das linguagens e suas práticas sociais, linguagens e movimentos sociais, linguagens e inclusão social, discurso e políticas de emancipação e afirmação. É coordenada pelo Prof. Marcos Gustavo Richter e tem a colaboração das professoras Cristiane Fuzer, Sara Cabral e Eni de Paiva Celidônio.

Pesquisas desenvolvidas
– Gramática Sistêmico-Funcional da Língua Portuguesa para Análise das Representações Sociais – Prof.ª Cristiane Fuzer e equipe
– Avaliatividade e Discurso – Prof.ª Sara Cabral e equipe

Convênios e acordos
O Projeto LabPort – Laboratório de Português – mantém vínculo com um Grupo de Pesquisa de caráter interinstitucional, registrado no CNPq como SAL- Sistêmica através das Línguas. É coordenado, na América Latina, pela Prof.ª Leila Barbara, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, e internacionalmente por Christian Matthiessen, da Polytecnic University of Hong Kong. O grupo também envolve pesquisadores da Argentina e do México, além de brasileiros do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Mato Grosso e Pernambuco. Esse Grupo, do qual fazem parte as professoras Cristiane Fuzer e Sara Cabral, da UFSM, pretende fazer a descrição do sistema linguístico do português e compará-lo com outras línguas. Esse fator multiplica a área de abrangência do projeto, que não se restringirá apenas à UFSM e propiciará trocas valiosas da comunidade acadêmica com todos os outros participantes do Projeto SAL no Brasil e no exterior.

Eventos promovidos
II Jornada de Multiletramento e II Encontro do Projeto SAL (Systemics across Languages) – agosto de 2012.

Editais contemplados
– Pibic/CNPQ (2010-2012)
– Pibic/CNPQ- (2011)
– Probic/FAPERGS (2010 e 2012)
– Fipe Jr – UFSM (2010-2012)


2 – Biblioteca
O PPGL possui hoje aproximadamente 22.000 livros. Também mantém, graças à política de divulgação de suas publicações, um forte intercâmbio com revistas nacionais e estrangeiras, fazendo com que seu acervo seja atualizado mensalmente. Atualmente, essas publicações estão à disposição de professores e alunos na Biblioteca Integrada do Centro de Educação e Letras e serão integradas ao acervo da futura Biblioteca das Humanidades. Tal biblioteca, pensada e projetada em 2008/2009, quando da abertura de Edital de MCT/FINEP/CT-INFRA – PROINFRA, no montante de cinco milhões de reais (R$ 5.000.000,00), aprovado na sua integralidade no início de 2009, encontra-se em construção. Trata-se de um prédio de quatro andares que abrigará os acervos bibliográficos dos Programas de Educação, História, Ciências Sociais, Filosofia e Letras da UFSM e terá salas de estudos individuais para os acadêmicos e pesquisadores dos referidos programas, além de um andar inteiramente destinado à memória histórica e cultural da região.

3 – Recursos de informática
Secretaria:
Está equipada com quatro computadores, uma máquina fotocopiadora laser, duas impressoras multifuncionais laser, com fax, scanner e copiadora, e quatro pontos de rede.

Sala da Coordenação:
Conta com três computadores, uma impressora laser colorida e três pontos de rede de internet.

Mini-auditório:
Conta com notebook, datashow e dois computadores ligados à internet. A sala é climatizada (aparelhos split) e tem acomodação para 45 pessoas. A utilização é basicamente para a realização de defesas, exames de qualificação, seminários de pesquisa e reuniões do PPGL.

Salas de aula:
As salas tem capacidade para 20 alunos e são equipadas com notebooks, datashows, conexão em rede e são climatizadas (aparelhos split).

4 – Outras informações
As instalações do PPGL estão localizadas no prédio da Educação, Biologia e Letras, Campus da UFSM, bairro Camobi, Santa Maria, RS. Conta com sete salas assim distribuídas: secretaria, apoio administrativo, coordenação, duas salas de aula, o mini-auditório e o Laboratório Corpus. A secretaria e o apoio administrativo contam com dois funcionários técnico-administrativos (um acadêmico e outro administrativo).