Ir para o conteúdo PPGLETRAS Ir para o menu PPGLETRAS Ir para a busca no site PPGLETRAS Ir para o rodapé PPGLETRAS
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projetos de Pesquisa

Estudos Linguísticos

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Verli Fátima Petri da Silveira

O presente projeto visa contribuir com a reflexão acerca da constituição/instituição de sentidos capazes de revelar o imaginário sobre o sujeito, a língua e a história, via instrumentos lingüísticos. Os dicionários e as gramáticas, nessa pesquisa, são tomados como importantes instrumentos lingüísticos, a partir dos quais pode-se resgatar traços da História das Idéias Lingüísticas no/do Brasil, revelando através de uma análise do discurso, características próprias do sujeito que é falante da língua, é o cientista, é o produtor de discursos sobre a língua; estamos nos referindo então a um sujeito que representa e é representado na e pela língua; um sujeito que conta sua história e vive sua cultura, estabelecendo relações com a produção/circulação dos sentidos, através dos tempos. Nosso recorte estabelece como lugar fundacional as publicações de dicionários/vocabulários/glossários e gramáticas produzidos no Brasil do século XIX. Tais publicações manifestam seu objetivo de reunir designações e descrições próprias da Língua Portuguesa Brasileira, bem como estabelecer regras do “bom uso da língua”. Este é o ponto de partida, mas não significa que faremos uma pesquisa cronológica ou linear, nos interessa ver também como se dá o processo de manutenção/atualização da língua nestes instrumentos lingüísticos, em diferentes momentos da discursivização do saber sobre a língua. Estabeleceremos as devidas relações entre os verbetes e as definições oriundas desses dicionários, buscando explicitar as aproximações/os distanciamentos, as reiterações/as alterações de sentidos, bem como o funcionamento do diferente no interior do mesmo. Nossa perspectiva teórico-metodológica segue os pressupostos da Análise de Discurso (AD), tal como foi concebida por Michel Pêcheux e como vem sendo desenvolvida no Brasil nas últimas décadas.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Amanda Eloina Scherer

Ele se caracteriza pelo estudo interpretativo de instrumentos lingüísticos que descrevem a história da língua falada/escrita no Brasil procurando traçar uma memória discursiva dos mesmos e entender, por conseguinte, como eles engendram um imaginário sobre a língua. Como sabemos os homens não se contentam apenas em falar as línguas, eles sonham com elas e estes sonhos tomam formas diversas na procura de uma quimera, de uma língua de origem, mítica. Por sua vez a quimera alimenta a criação utópica de uma língua perfeita, uma expressão pura do pensamento e da cultura de uma comunidade, da possibilidade de pensarmos em uma língua nacional, como instância homogênea do falar e do escrever. A partir dessa representação são inúmeras as ficções que se criam sobre e na língua situando-as em tempos e espaços enunciativos diferentes. Fantasmas ou imaginários constituídos que nos ajudam a entender como o sujeito se faz pela/na língua e como esta o ajuda a constituir-se como sujeito na história da língua. Estamos querendo pensar essa questão no sul do país, mais especificamente, no quadro da formação em Letras procurando entender a historicização da língua portuguesa na região e sua relação com as línguas que aqui estão postas, seus diversos movimentos e deslocamentos sofridos ao longo dos tempos, até a caracterização de uma língua dita regional, passando pelas políticas de línguas ao longo da história.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Graciela Rabuske Hendges

O objetivo geral do presente projeto é desenvolver estudos da linguagem em uso sob a perspectiva da Análise Crítica do Discurso Multimodal – abarcada pela Análise Crítica de Gênero – com implicações para a pedagogia dos multiletramentos. As pesquisas dos subprojetos (de iniciação cientifica – IC; de conclusão de curso de graduação – Trabalho Final de Graduação – TFG; de mestrado e de doutorado) vinculados ao presente projeto guarda-chuva deverão gerar produtos na forma de conhecimento (conceitos e princípios teóricos e metodológicos) sobre análise crítica da multimodalidade de gêneros discursivos e produzir aplicações pedagógicas para o desenvolvimento dos multiletramentos, em particular nos âmbitos escolar e acadêmico.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Patricia Marcuzzo

O presente projeto de pesquisa busca mapear um sistema de gêneros formado por testes de inglês como língua estrangeira-adicional. Estão previstos, neste estudo, o mapeamento dos seguintes testes: Teste de Suficiência em Leitura em Língua Estrangeira (TESLLE) da UFSM, TOEFL (Test of English as a Foreign Language) nas versões iBT (Internet Based Test) e ITP (Institutional Testing Program) e o teste do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) da área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias-Língua Inglesa. As perguntas de pesquisa que norteiam o projeto são: como esses gêneros se relacionam? Como esses gêneros estão estruturados? Quais são os aspectos definidores desses gêneros? Quais são as perspectivas de linguagem e ensino de inglês que subjazem tais testagens? Quais são os tipos, os enfoques e a estrutura das questões que compõem esses testes?

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Eliana Rosa Sturza

A complexidade e diversidade das línguas na conjuntura glotopolítica contemporânea tem instigado um conjunto de pesquisas acadêmicas a respeito das relações das línguas com os falantes bem como as línguas significam nas relações de poder entre as próprias línguas. Entre estes modos de se relacionar revelam-se ideologias linguísticas de diferentes instituições como academias de línguas, escolas, institutos, grupos mediáticos entre outros. Considera-se ainda as situações das línguas em diferentes espaços de circulação como as fronteiras e as zonas de imigração.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Cristiane Fuzer

O projeto objetiva investigar instanciações de gêneros de texto em contextos de ensino e aprendizagem, visando à descrição e análise de propósitos sociocomunicativos, estrutura esquemática de gênero e características linguísticas. As pesquisas vinculadas a este projeto culminarão na sistematização de subsídios linguísticos para o ensino de língua portuguesa na perspectiva da Pedagogia Reading to Learn (ROSE e MARTIN, 2012), que se utiliza de princípios da Linguística Sistêmico-Funcional de Halliday (1989, 1994, 1994, 2004, 2014). O projeto abarcará subprojetos que focalizem: a) um gênero específico (de uma esfera social) ou uma família de gêneros de determinada área do conhecimento (de uma disciplina do currículo escolar, de uma prática profissional, acadêmica ou institucional); b) um ou dois sistemas semântico-discursivos mais relevante(s) para a instanciação do(s) gênero(s) de texto em estudo.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Taís da Silva Martins

Neste projeto, dedicamo-nos ao estudo do conceito de língua, tendo como perspectiva teórico-metodológica a Análise de Discurso em sua articulação com a História das Ideias Linguísticas. Para a reflexão sobre o conceito, pautamo-nos em processos discursivos diferenciados que se voltam essencialmente à história e à memória da constituição e do funcionamento da língua no espaço de enunciação brasileiro e/ou à constituição e circulação de um saber sobre ela. Interessa-nos, dentro da abrangência temática proposta, trabalhar com materialidades que ensejam a reflexão sobre a língua em diferentes estatutos políticos assumidos em relação à história, ao saber, ao Estado, à nação, ao sujeito, sejam tais materialidades de ordem institucional, pedagógica, científica, de divulgação científica, ou provenientes de outra matriz discursiva produtiva para a pesquisa em foco. O presente projeto articula-se com os propósitos da Linha de Pesquisa Língua, Sujeito e História, do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFSM, bem como com os do Grupo de Pesquisa Linguagem, Sentido e Memória (CNPq). Também, vincula-se aos trabalhos desenvolvidos no Laboratório Corpus – Laboratório de Fontes de Estudos da Linguagem (PPGL/UFSM), os quais tratam, prioritariamente, de questões voltadas à Análise de Discurso em sua articulação com a História das Ideias Linguísticas. O projeto caracteriza-se como “guarda-chuva”, assim entendido enquanto projeto que abriga ou se ramifica em subprojetos, desenvolvidos em parceria ou articulados ao projeto principal pelo diálogo profícuo e o interesse comum que assumem frente à teoria, ao método e ao objeto adotados. Considerando essa sua especificidade, a proposta central do projeto parte do pressuposto de que língua é um conceito nuclear à constituição das teorias no campo das Ciências da Linguagem e, portanto, essencial à pesquisa científica da área e à formação profissional de sujeitos professores/pesquisadores.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Sara Regina Scotta Cabral

O projeto MÍDIA, POLÍTICA E GRAMÁTICA SISTÊMICO-FUNCIONAL – FASE II está organizado para responder às demandas de pesquisa nos níveis de graduação e pós-graduação em Letras. Abrigado no Departamento de Letras Vernáculas, articula-se também aos propósitos da Linha de Pesquisa Linguagem no Contexto Social e do GRPesq Linguagem como Prática Social, do Programa de Pós-Graduação em Letras, da UFSM, e está ligado ao projeto guarda-chuva Núcleo de Estudos em Língua Portuguesa (NELP) – Fase II (Projeto nº 044631). Situa-se na área de estudos da linguagem com uma abordagem sistêmico-funcional, ancorada nos estudos de Halliday (1985, 1994, 2004) e Halliday & Matthiessen (1999, 2004; 2014), Matthiessen & Halliday (2009), além dos de seus seguidores (MARTIN, 2000; MARTIN & WHITE, 2005; MARTIN & ROSE, 2007; MARTIN, MATTHIESSEN & PAINTER, 2003; ROSE E MARTIN, 2012; THOMPSON, 2004; EGGINS, 2005).

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Luciane Kirchhof Ticks

Projeto de Pesquisa e formação continuada de professores.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Larissa Montagner Cervo

Este projeto vincula-se às pesquisas desenvolvidas pelo Grupo de Pesquisa Linguagem, Sentido e Memória (CNPq) e aos demais estudos relacionados ao Laboratório Corpus – Laboratório de Fontes de Estudos da Linguagem (PPGL/UFSM), os quais tratam, prioritariamente, de questões voltadas à Análise de Discurso e/ou à relação da Análise de Discurso com a História das Ideias Linguísticas. O projeto caracteriza-se como “guarda-chuva”, assim entendido enquanto projeto que abriga ou se ramifica em subprojetos, desenvolvidos em parceria ou articulados ao projeto principal pelo diálogo profícuo e o interesse comum que assumem frente à teoria, ao método e ao objeto adotados. Considerando essa sua especificidade, interessam-nos pesquisas voltadas a políticas públicas que envolvem língua(s) e a discursos e práticas a elas relacionados, com vistas à observação do funcionamento do político na/pela linguagem e da compreensão de como tais discursos são produzidos e circulam afetando sujeitos e práticas sociais, o que também é uma forma de refletirmos sobre a língua em sua historicidade constitutiva. Nesse sentido, o projeto nesta segunda fase assenta sua contribuição na compreensão de fenômenos histórico-sociais relacionados à linguagem e à constituição de sujeito e sentido, a partir da observação de como o sentido se divide em diferentes direções, assumindo muitas vezes um caráter normativo ou arbitrário, constituindo versões da/pela história, e de como dizeres e práticas se vinculam a esses discursos ou são por ele afetados a partir ou com base em processos de repetição, de paráfrase, de deslocamento ou de metáfora.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Evellyne Patricia Figueiredo de Sousa Costa

O projeto de pesquisa Português Antigo do Rio Grande do Sul: língua e história pretende dar conta do estudo de registros escritos representativos do português do Rio Grande do Sul. Este projeto conta com 40 edições diplomáticas de cartas manuscritas produzidas no estado nos séc. XIX e XX disponibilizadas pelo projeto Português Histórico do Rio Grande do Sul (PHRS). O presente projeto busca descrever e analisar documentos antigos produzidos no Rio Grande do Sul nos séc. IXI e XX; discutir questões linguísticas recorrentes no corpus; promover o resgate da história e memória cultural do estado do Rio Grande do Sul e contrastar os resultados obtidos com a caracterização do português antigo de outras regiões do Brasil.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Francieli Matzenbacher Pinton

Este projeto como objetivo principal descrever e analisar os sistemas de atividade e conjuntos de gêneros que constituem as práticas de letramento(s) nas diferentes comunidades disciplinares da Educação Básica, com vistas à produção de material didático para o ensino e a aprendizagem da leitura e da escrita.

Coordenador: Prof. Dr. Gil Roberto Costa Negreiros 

Este projeto tem como tema geral os gêneros orais em língua portuguesa, aqui entendidos como instrumentos a serviço de ações linguístico-discursivas. Neste sentido, a função social caracteriza os gêneros, mesmo que nem sempre sejam explicitamente definidas.
Trata-se de um projeto integrado (também conhecido, nos meios acadêmicos, sob a denominação de projeto “guarda-chuva”) que se enquadra na área do conhecimento da Linguística, especificamente na sub-área Teoria e Análise linguística .
Vinculado ao Departamento de Letras Vernáculas e ao Programa de Pós-Graduação em Letras, ambos setores acadêmicos da Universidade Federal de Santa Maria, o projeto está diretamente relacionado à linha de pesquisa Linguagem no Contexto Social e ao GRPesq/CNPq GOE .
É certo afirmar, como já postula Marcuschi (1997), que é fundamental o trabalho com oralidade nas aulas de língua materna. Contudo, esse tópico amiúde tem sido deixado de lado pela comunidade escolar, em virtude do foco que ainda é dado às aulas de português, cuja função precípua, acredita-se, seja apenas ensinar a escrever e a escrever bem, apesar das muitas contribuições das ciências da linguagem (como a Análise da Conversação, a Análise do Discurso, a Linguística Textual e a Sociolinguística Interacional).
Nesse sentido, o projeto norteia, nos níveis de graduação e pós-graduação, pesquisas que visem (1) reflexões sobre práticas sociais vinculadas a gêneros orais; (2) realizações de intervenções na realidade social dos espaços investigados, principalmente quando relacionadas a esferas educacionais e (3) criação de alternativas linguístico-educacionais para o ensino de gêneros orais públicos. Dessa forma, a ação de intervenção social torna-se, para o pesquisador, fonte de conhecimento científico sobre o objeto. As teorias de apoio ao trabalho de intervenção estão vinculadas, teoricamente, à Análise Crítica do Discurso e a à teoria dos gêneros textuais/discursivos.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Tatiana Keller

O projeto que ora se apresenta caracteriza-se como uma pesquisa de campo, uma vez que prevê a coleta e transcrição de manuscritos, e também qualitativa, pois se pretende analisar dados referentes à grafia utilizada na época da redação dos textos a fim de se construir a história linguística e social do Rio Grande do Sul dos séculos XIX e XX. Documentos escritos auxiliam a preservação da memória e da cultura de um povo e possibilitam que se tenha acesso a formas linguísticas de sincronias pretéritas, as quais, se comparadas a estados modernos de língua, podem apresentar indícios de variação ou de mudança e de maior ou menor grau de proximidade com a escrita. Estudiosos como Poggio (2002) e Monaretto (2005), por exemplo, chamam a atenção para a importância das fontes escritas para a explicação de fenômenos que perduram até os dias atuais. Esse posicionamento é justificado pela atuação do princípio do uniformitarismo, segundo o qual mudanças ocorridas no passado podem vir a acontecer no presente (LABOV, 1972). Labov (1994) aponta como ponto forte da linguística histórica sua capacidade de acompanhar mudanças linguísticas ao longo do tempo, mas também menciona que seu ponto fraco é o fato de que os documentos de que se dispõe para análise sobreviveram por acaso. Mattos e Silva (1991) já fazia referência a essa dificuldade dizendo que, ao lidar com dados de sincronias passadas, o pesquisador fica limitado apenas aos documentos escritos que resistiram ao tempo e a acidentes históricos, uma vez que não é mais possível contar com a ajuda de falantes nativos daquela variedade. Telles (2008) atenta para o fato de que um texto, além de seu caráter primordialmente comunicativo, pode revelar muito sobre as características de uma língua, sobretudo, se estivermos lidando com dados de sincronias passadas que são acessíveis apenas por intermédio de documentação escrita. Dessa forma, a Filologia e a Crítica Textual constituem-se como áreas relevantes para os estudos linguísticos, uma vez que fornecem valioso material para investigação. Para tanto, é necessário realizar a edição do texto. A edição diz respeito aos processos de reprodução de um texto e, segundo Cambraia (2005), seus tipos fundamentais dividem-se em: monotestemunhais, quando a edição é baseada apenas em um testemunho de um texto, e politestemunhais, em que a edição é baseada no cotejo de dois ou mais testemunhos de um mesmo texto. As edições monotestemunhais diferenciam-se entre si pelo grau de mediação que o crítico textual (ou editor) exerce na fixação do texto, quais sejam: fac-similar, diplomática, paleográfica e interpretativa. Neste projeto, utilizamos os dois primeiros tipos de edição, assim definidas: fac-similar, a imagem de um testemunho é reproduzida através de meios mecânicos (fotografia, xerografia, etc.) e diplomática, que se limita a uma transcrição conservadora de todos os elementos presentes no modelo (sinais abreviativos e de pontuação, paragrafação, translineação, separação vocabular, etc.). A partir da coleta de manuscritos, de diversas tipologias, redigidos nos séculos XIX e XX no Rio Grande do Sul serão selecionados e analisados aspectos linguísticos e sociais dos documentos que possam auxiliar na descrição da língua usada nesse período histórico.

Estudos Literários

Coordenador: Prof. Dr. Anselmo Peres Alós

Já foi constatado que a recorrência do corpo e sua respectiva problematização são tópicos recorrentes na literatura latino-americana contemporânea (XAVIER, 2007; STEVENS e SWAIN, 2008; FIGUEIREDO, 2009; BRANDÃO, MARTINS e WOJSKI, 2011). Da maneira semelhante, a presença de uma dominante autoficcional configura-se quase como um consenso na crítica que se ocupa dos escritores contemporâneos pós-1980 (ARFUCH, 2010; KLINGER, 2007; LADAGGA, 2007; CETELI, 2007; HIDALGO, 2013). O ponto fulcral da autoficção é a problematização entre a escrita e a experiência. Eu acrescentaria: a problematização da experiência de um sujeito social que escreve sobre si mesmo, sem a ingenuidade de considerar a existência de uma relação termo-a-termo entre linguagem e mundo, mesmo quando a linguagem é mobilizada para produzir sentido sobre o próprio sujeito em questão. A pergunta norteadora que guiou a elaboração dessa proposta de investigação, entretanto, é apenas tangenciada por essas duas vertentes de interpretação da literatura contemporânea latino-americana: a constante presença do corpo (e a consequente problematização do seu status ontológico) é apenas uma recorrência temática, ou estaria ligada a processos metafóricos e alegóricos que apontam para uma discussão para além da corporeidade humana, envolvendo o corpo da nação? Os sete romances que constituem o corpus desse projeto foram selecionados a partir de um amplo conjunto de narrativas latino-americanas que tematizam, discutem e problematizam a constituição das masculinidades fora do eixo heteronormativo. Da mesma maneira, esses sete romances articulam, a partir da enunciação narrativa, diferentes abordagens para a problematização do corpo desejante no corpo nacional no contexto latino-americano: o corpo guerrilheiro; o corpo torturado; o corpo contaminado; o corpo transgênero; o corpo ascético e o corpo hedonista. Mais do que isso, constante em todas as narrativas é a urdidura que confronta, simultaneamente, uma micropolítica do desejo, relacionada ao exercício ascético com a construção do si mesmo através da dicção literária (não raro extrapolando os limites entre ficção e biografia), e uma preocupação com os compromissos do discurso literário com a vida política e social de seus respectivos países de origem. Talvez justamente em função dessa confluência, pode-se perceber, nesse conjunto de narrativas literárias que constituem o corpus, um forte componente que articula uma economia política dos corpos que, na contramão do quem sendo afirmado por vários críticos contemporâneos, não é meramente hedonista, ensimesmada ou autoficcional. Por trás do aparente viés autoficcional de suas obras, os escritores aqui investigados articulam uma pertinente relação entre a violência colonial do poder que o Estado exerce sobre os corpos dos sujeitos, ao mesmo tempo em que aponta as fraturas, suturas e cicatrizes constitutivas do corpo político do próprio Estado. Ademais dos elementos já mencionados, outro argumento que torna o recorte constitutivo do corpus representativo da literatura latino-americana como um todo é a presença de textos oriundos das diferentes macrorregiões denominadas por Ángel Rama de comarcas literárias: comarca platina (Herbert Daniel, Pablo Pérez), comarca andina (Jaime Bayly, Pedro Lemebel), comarca caribenha (Reinaldo Arenas) e comarca amazônica (Fernando Vallejo), abarcando não apenas sete diferentes tradições literárias nacionais, mas também alguns deslocamentos problematizantes de interesse para a investigação. É o caso, por exemplo, de Mario Bellatin (mexicano de nascimento, mas filho de peruanos), de Reinaldo Arenas (cubano que se refugia nos Estados Unidos), e de Fernando Vallejo (que, pouco após adotar a nacionalidade mexicana, renuncia à colombiana).

Coordenador: Prof. Dr. Lawrence Flores Pereira

Engloba o estudo da literatura européia (drama, poesia, narrativas) entre os século 16 e 17, incluindo em particular o estudo e a prática de tradução de textos dramáticos e poéticos.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Rosani Úrsula Ketzer Umbach

Este projeto tem como foco as figurações da memória em histórias de vida, sobretudo nas narrativas que retomam experiências pessoais e coletivas em períodos históricos de crise, desde as guerras mundiais no conturbado século XX até a contemporaneidade. Especificamente, pretende-se verificar de que forma e com qual função se configuram as memórias em narrativas biográficas e autobiográficas, em histórias de vida envolvendo experiências com preconceito, repressão e perseguição no contexto histórico, político e sociocultural, levando-se em consideração perspectivas teóricas contemporâneas acerca da organização de experiências por meio da rememoração em narrativas literárias e culturais.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Vera Lucia Lenz Vianna da Silva

O projeto analisa as ‘novas’ linguagens e metáforas empregadas sobre o sujeito e o mundo que caracterizam nosso tempo e que influenciam o espectro de decisões éticas e políticas através do cenário literário. Ao representar o processo histórico, as relações conflitantes de poder, entre outros aspectos, a literatura coloca o leitor frente à formas de sentido e valor, concedendo visibilidade ao alheio, ao próprio, ao local e ao distante. O projeto intitulado Literatura e Comparatismo: outras vozes, outras metáforas – Fase II – trata de investigar as relações de similaridade e divergência entre sistemas literários, cuja temática ilumine temáticas referentes às travessias sociais, à identidade cultural, aos sentidos, às nossas letras e às letras dos ‘outros’, entre outras tópicos, como forma de investigar as relações de poder e dominação que caracterizam o mapa das relações sociais ao longo do processo histórico.

Coordenador: Prof. Dr. Dionei Mathias

Este projeto desenvolve e acolhe pesquisas com foco em representações de processos de narração de identidade no universo ficcional, procurando refletir sobre as mais diversas formas de concretizar e narrar a percepção do si.

Coordenador: Prof. Dr. Marcus De Martini

O projeto busca fomentar os estudos retórico-poéticos que caracterizaram as literaturas ditas “clássicas”, mas também, em em alguns casos, “pós-clássicas”, evitando análises anacrônicas que, às vezes, caracterizam-se por abordar textos do passado a partir da aplicação de noções estranhas ao período, na esteira do que preconizam os preceitos críticos de João Adolfo Hansen, Alcir Pécora, Ivan Teixeira, dentre outros críticos literários que vêm trazendo novas metodologias de estudo para os textos da época, especialmente luso-brasileiros.

Coordenador: Prof. Dr. Gérson Luís Werlang

Este projeto de pesquisa propõe-se a analisar as relações múltiplas existentes entre Música e Literatura. Estes estudos podem acontecer a partir de diferentes abordagens: estudos da música na literatura; estudos da literatura na música; e, finalmente, os chamados estudos músico-literários. A presente pesquisa pretende avançar o estado da arte destes estudos.

Coordenador: Prof. Dr. Enéias Farias Tavares

O Objetivo deste projeto é mapear especificamente no século dezenove e nos contextos inglês, alemão e francês, a forma como a discussão interartes fomentou a obra de artistas, críticos, poetas e pensadores no que concernia à aproximação das artes literárias das visuais, e dessas das cênicas, além da percepção de como essa discussão caracteriza a produção do romance decadentista fin de siècle. Nessa passagem, são as obras de William Blake, Friedrich Nietzsche – e dos trágicos gregos a partir das idéias deste –, e dos romances de Huysmans e Wilde que serão priorizados, além dos temas pictóricos centrais ao período, a saber o Laocoonte, Salomé e Édipo e a Esfinge.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Raquel Trentin Oliveira

A proposta de pesquisa Perspectivas em jogo na leitura da literatura portuguesa contemporânea tem como foco principal a exegese da narrativa portuguesa contemporânea – sobretudo aquela que se convencionou chamar de pós-modernista, produzida a partir da década de 60 – sem, no entanto, descartar o interesse também pela narrativa produzida no início do século XX e ainda no XIX em Portugal. O projeto estabelece como objetivos específicos: 1) Ampliar e atualizar a reflexão teórica sobre a narrativa, em diálogo com o campo da narratologia pós-clássica, para mais bem compreender os dispositivos envolvidos no seu processo de recepção. 2. Refletir analítica e teoricamente sobre a configuração das categorias narrativas na ficção portuguesa. 3. Examinar os processos de figuração da intriga, do narrador, da personagem, do espaço e do tempo na narrativa ficcional portuguesa. 4. Compreender e explicar as perspectivas (cognitivas, afetivas, morais, ideológicas) em jogo na configuração da narrativa e refletir sobre o papel do autor, do narrador, da personagem e do leitor nesse jogo. 5. Refletir analiticamente sobre a forma como a narrativa ficcional – especialmente a narrativa portuguesa – reflete e refrata tensões históricas e ideológicas do mundo extraliterário. 6. Desenvolver o gosto pela leitura literária e refletir sobre o potencial ético da narrativa ficcional na medida em que põe o leitor em confronto com suas próprias emoções e valores. 7. Associado ao último objetivo, valorizar o ensino da literatura como um modo de confrontar e expandir as perspectivas dos leitores sobre suas existências e o mundo social.

Coordenador: Prof. Dr. André Soares Vieira

Esta pesquisa tem por objetivo geral analisar algumas das formas da literatura que se valem de procedimentos de apresentação e linguagem oriundos de outros campos artísticos, sobretudo o pictural, na criação de um gênero literário híbrido, a meio caminho entre o verbal e o pictural. Trata-se assim da criação de um espaço de reflexão que possibilite um estudo aprofundado do fenômeno da hibridização que aproxima literatura e pintura. Este diálogo torna-se visível quando as duas artes dividem o mesmo espaço. Por exemplo, quando as ilustrações acompanham um texto, ou quando signos linguísticos aparecem em uma obra plástica. Como resultado, teremos uma tensão que pode designar um ponto de encontro, até mesmo de fusão, mas que ao cabo leva novamente à diferença irredutível entre o visível e o legível. E é justamente por esta distância sempre mantida que literatura e pintura podem oferecer ricas fontes de inspiração uma à outra.

Coordenador: Prof. Dr. André Soares Vieira

Esta pesquisa tem por objetivo criar um espaço de reflexão sobre as relações da literatura com as outras artes em termos não somente de influência recíproca, mas sobretudo no que respeita aos efeitos destas simbioses no âmbito dos estudos sobre a intermidialidade. São igualmente aqui privilegiadas as análises que digam respeito às relações intermidiáticas envolvendo a literatura, o cinema, a crítica literária/cinematográfica/teatral/artística, bem como as adaptações de romances para o cinema, e seu percurso inverso, do cinema ao romance. No confronto das palavras com as imagens, do romance frente à visualidade moderna, em suas relações não apenas com outros gêneros, mas sobretudo com outros modos de expressão e meios de informação, mapeia-se a necessidade de uma pesquisa mais ampla sobre o fazer artístico, sua mediação e recepção. 

Coordenador: Prof. Dr. Pedro Brum Santos

A etapa da pesquisa objetiva identificar e caracterizar os motivos encontrados na linha de representação de identidade social, de modo a conduzir o trabalho a ponderações teóricas do campo da narratologia bem como de seus efeitos operatórios em obras de ficção, memória, história e crítica literária com o fito de incentivar e produzir ensaística e outros produtos acadêmicos.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Luciana Ferrari Montemezzo

O presente projeto visa a estudar e analisar obras literárias produzidas em Espanhol e suas respectivas traduções para o Português do Brasil, buscando compreender os processos de trocas culturais que motivaram a existência de textos traduzidos, bem como as repercussões destes textos na cultura brasileira, tendo em vista os contextos históricos envolvidos no processo tradutório. Para tanto, fundamenta-se nas proposições de García Yebra (1981), Carvalhal (1993, 2003), Benjamin (2001) e Berman (2001), entre outros autores.

Coordenador: Prof. Dr. Lizandro Carlos Calegari

O objetivo geral do projeto consiste em estudar a literatura de testemunho sobre a Shoah no Brasil, atentando para a sua relação com o trauma, a memória e a identidade de vítimas de processos históricos violentos. Dentre o s livros que constituem o corpus da pesquisa, estão Quero viver… memórias de um ex-morto (1972), de Joseph Nichthauser; …E o mundo silenciou (1972), de Bem Abraham, Pesadelos, como é que eu escapei dos fornos de Auschwitz e de Dachau (memórias) (1976), de Konrad Charmatz, Rumo à vida (1979), de Olga Papadopol, Os lobos (1983), de Alexandre Storch, Lembranças enevoadas (1984), de Sonia Rosenblatt, e A vida e a luta de uma sobrevivente do Holocausto (2005), de Sabina Kustin. Com esse estudo, procuram-se avaliar os limites entre realidade e ficção, as relações entre trauma e memória, bem como a importância dos relatos testemunhais tanto para uma possível reparação do trauma quanto para uma consequente revisão dos processos de formação da identidade pessoal e coletiva. Interessa, também, o estudo que contempla as relações entre trauma e forma narrativa. A hipótese de trabalho é de que, em virtude do impacto da violência na constituição subjetiva das testemunhas, surgiram relatos que visam, por um lado, a criticar o discurso oficial, por outro, a contribuir para a amenização da dor do trauma dessas vítimas. Assim, esse projeto busca chamar a atenção para (a) a necessidade de não se ignorar o passado traumático de indivíduos ou de grupos que sofrerem violência sistemática, (b) a importância da narração para a amenização da dor de certos traumas, e (c) o papel dos testemunhos para a compreensão de determinados problemas sociais. Dentre alguns estudiosos que embasam a pesquisa, estão Cathy Caruth, Dori Laub, Hannah Arendt, Márcio Seligmann-Silva, Regina Igel, Sandor Ferenczi, Shoshana Felman, Sigmund Freud, Theodor Adorno e Walter Benjamin.

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Renata Farias de Felippe

Projeto de pesquisa em fase inicial. Complementa o projeto anterior, “Romance, um monstro de muitas patas”, que será finalizado neste ano.