Ir para o conteúdo Revista Arco Ir para o menu Revista Arco Ir para a busca no site Revista Arco Ir para o rodapé Revista Arco
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

21 murais da UFSM



Uma das características mais evidentes da UFSM é a sua variedade artística. Desde o arco, na entrada do campus, até os fundos da Universidade, esculturas e murais marcam a paisagem. Para valorizá-los, de 22 a 26 de outubro, a Pró-Reitoria de Extensão (PRE) realizou exposição no hall da Reitoria, apresentando fotografias antigas e atuais das obras.

 

Além do evento, que marcou o começo da catalogação dos murais e esculturas da Instituição, a Coordenadoria de Cultura e Eventos da UFSM realizará a restauração das obras, para que o acervo seja preservado. Vera Vianna, que coordena o setor, conta que o trabalho deve iniciar em novembro com a pintura Imembuí, que estampa o salão de mesmo nome localizado no segundo andar do prédio da Reitoria. A restauração será feita pela artista plástica Marília Chartune e por Flamarion Trevisan, filho de Eduardo Trevisan, criador da obra.

 

Futuramente serão criados murais nos demais campi da UFSM para promover a democratização do acesso à arte e à cultura – uma iniciativa do Gabinete do Reitor em parceria com a PRE. “Pretendemos realizar, na forma de chamada interna, dirigida aos docentes do Departamento de Artes Visuais, com execução prevista para 2019”, destaca Vera. Em novembro, a PRE realizará uma nova exposição, desta vez na Biblioteca Central Manoel Marques de Souza.

 

A revista Arco preparou uma lista com os murais que fizeram parte da exposição. Confira:

 

1) A CONQUISTA ESPACIAL

A obra é a mais antiga da nossa lista. Localizada no hall do Planetário da UFSM, foi pintada em 1971 – ano de inauguração do prédio – pelo artista Eduardo Trevisan, também autor das obras A lenda de Imembuí e A história do papel, da escrita e do livro.

 

2) MESTRES E NÓS 

Djalmira de Freitas Rosa produziu o mural, no ano de 1972, na sala 1228 do Centro de Artes e Letra (CAL). Desde 2005, o espaço abriga o Laboratório de Pesquisa em Arte Contemporânea, Tecnologia e Mídias Digitais (Labart).

 

3) A HISTÓRIA DO PAPEL, DA ESCRITA E DO LIVRO 

Criada por Eduardo Trevisan, essa obra de 1972 está localizada no hall da Biblioteca Central. O mural é do mesmo ano em que a Biblioteca foi transferida do prédio da Antiga Reitoria para o atual, no campus Camobi.

 

4) FILOSOFIA E ARTE 

O mural foi feito por Cláudio Carriconde, em 1973, no hall do Centro de Artes e Letras. Além de assinar a obra, o autor dá nome à sala de exposição do CAL, também localizada no hall do prédio 40.

 

5) A EVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA 

Eduardo Trevisan utilizou o hall do Centro de Tecnologia (CT) como pano de fundo para o mural, criado em 1973.

 

6) TÍTULO DESCONHECIDO 

A obra, cujo nome não foi encontrado, é de autoria da artista Margarete Costa. Também feito no ano de 1973 e localizado no CT, o mural está no segundo andar do prédio 7 do campus Camobi.

 

7) A LENDA DE IMEMBUÍ 

Localizado no Salão Imembuí, no segundo andar da Reitoria, o mural representa a lenda que conta a história de Santa Maria. Eduardo Trevisan pintou a obra em 1976.

 

8) AUWE 

Desde 1983, esse mural pode ser encontrado no hall do prédio da Antiga Reitoria, na rua Floriano Peixoto. A autoria é do artista plástico Silvestre Peciar.

 

9) QUINHENTOS ANOS DA INVASÃO DA AMÉRICA 

Uma das pinturas mais conhecidas da UFSM é a que estampa a fachada do Teatro Caixa Preta, no CAL. A obra foi feita por Juan Amoretti no ano de 1992.

 

10) O MUNDO DESDE AS TABAS PRIMITIVAS INDÍGENAS, AS NAVEGAÇÕES, CONSTRUÇÕES, ATÉ AS NAVES ESPACIAIS 

No Colégio Técnico Industrial de Santa Maria (CTISM), logo na entrada da UFSM, está essa pintura, de 1992. Restaurado em 2017, o mural também é de autoria de Juan Amoretti.

 

11) PIETÁ COM ÍCARO 

Alphonsus Benetti é o autor da obra que estampa o hall do Centro de Ciências Naturais e Exatas (CCNE), no prédio 13 da Universidade. O mural é de 1997.

 

12) A ÁRVORE DA VIDA 

O mural fica na sala de reuniões da Reitoria, no campus sede da UFSM. A obra foi executada, em 1998, pelos artistas Juan Amoretti, Allamir Moreira, Catia Kunde e Marcelo Barcelos.

 

13) O CORPO HUMANO

O painel que ilustra a fachada do Hospital Universitário de Santa Maria é um dos mais extensos da Instituição. O autor é Juan Amoretti, que o pintou em 1998.

 

14) MACUNAÍMA E A CULTURA INDÍGENA 

A pintura estampa o dia a dia de milhares de estudantes que almoçam no Restaurante Universitário I da UFSM, desde 2007. O mural, que fica no hall do prédio, foi criado por Marcos Cichelero com participação de Macario.

 

15) TÍTULO DESCONHECIDO 

Essa obra da lista está localizada no Restaurante Universitário II. Rafael Itaqui pintou o mural em 2010.

 

16) TESTEMUNHAS DO SILÊNCIO

Quem pintou a obra de 2011 foram os artistas Jonathas Sontellano de Freitas, Camila Zappe Pereira e Marcos Souto. O painel pode ser visto no térreo do Centro de Educação (CE), prédio 16A.

 

17) COLORBLOCKS#1 

Também localizado no térreo do Centro de Educação, esse mural é assinado por Daniel Signor e foi inaugurado em 2011.

 

18) TÍTULO DESCONHECIDO 

Com artista e título desconhecidos, esta talvez seja a obra mais misteriosa da nossa lista. O mural de 2011 pode ser visto por quem visita o hall do Centro de Educação, no prédio 16.

 

19) O CAVALEIRO 

Daniel Signor pintou a imagem no bloco 15 da Casa do Estudante Universitário (CEU), prédio 32. O Cavaleiro é do ano de 2011.

 

20) TEMPOS TEMEROSOS

No terceiro andar do prédio 16B, do Centro de Educação, está o mural pintado em 2016. O autor é Polin Moreira.

 

21) FORTALECENDO O QUE NOS PERTENCE 

A última obra da nossa lista é também a mais recente. Pintado em 2018, no prédio da Biblioteca Setorial do Centro de Ciências Sociais e Humanas, o painel, que representa a força feminina, é de autoria de Andressa Cherubini e Douglas Medeiros.

 

Confira no mapa abaixo a localização dos 21 murais apresentados na lista da Arco:

 

Reportagem: Paulo César Ferraz, acadêmico de Jornalismo

Edição: Andressa Motter, acadêmica de Jornalismo

Fotografia: Marcos Machado Paulo


Publicações Recentes