Ir para o conteúdo Revista Arco Ir para o menu Revista Arco Ir para a busca no site Revista Arco Ir para o rodapé Revista Arco
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Cinco mulheres inspiradoras para a ciência na UFSM



A UFSM ocupa a décima posição entre as instituições com maior percentual de produção científica feminina, conforme levantamento feito pela Universidade de Leiden, na Holanda. No total, são 5671 cientistas mulheres, o equivalente a 50,5% do quadro. 

Apesar da paridade numérica na ciência em geral, o mesmo não ocorre na categoria Produtividade em Pesquisa (PQ), considerada a elite científica. Definida a partir de critérios do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a produtividade é atribuída com níveis 1 (1A, 1B, 1Ce 1D) e 2. Conforme levantamento feito em janeiro de 2020, o índice de mulheres com grau 1 de PQ chegou a 26,78%. São 26 mulheres contra 97 homens.

Em 2018, a Arco fez o mesmo levantamento e constatou que o percentual era de 28%. Pode-se observar que houve um decréscimo de pouco mais de 1%. Entretanto, ainda conforme os dados de 2018 do Sistema de Buscas de Bolsistas do CNPq, a UFSM tem numericamente mais pesquisadoras neste patamar de excelência – o total de bolsistas PQ nível 1 subiu de 19 para 26. Por outro lado, o total de homens pesquisadores com bolsa de produtividade PQ nível 1 também elevou-se: eram 67 e agora são 97. 

O principal destaque é a presença de duas mulheres entre as que obtiveram nível 1 A, o mais alto grau na hierarquia do CNPq: as professoras Cristina Wayne Nogueira, das Ciências Biológicas, e Silvia Gonzales Monteiro, da Medicina Veterinária.

Entre os pesquisadores 1B, estão três professoras: Cinthia Melazzo de Andrade, da Medicina Veterinária, Maria Rosa Chitolina e Sonia Zanini Cechin, ambas das Ciências Biológicas. O total de pesquisadoras nível PQ 1 ainda contempla seis professoras padrão 1C e 15 padrão 1D.

A seguir compartilhamos os perfis das cinco pesquisadoras 1A e 1B. Você pode acessar nossa matéria de 2018 com as 19 cientistas PQ 1.

 

 

CRISTINA WAYNE NOGUEIRA

Cristina foi a primeira pesquisadora a atingir o nível 1A de excelência de produtividade em pesquisa pela UFSM. Formada em Farmácia pela instituição, possui doutorado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Suas pesquisas perpassam a área da Bioquímica, com ênfase em Bioquímica Toxicológica. Em 2017, recebeu o Prêmio de Pesquisador Destaque UFSM e Prêmio Pesquisador Gaúcho Destaque em Ciências Biológicas.

LATTES

 

CINTHIA MELAZZO DE ANDRADE

A pesquisadora atua no Hospital Veterinário de Santa Maria e é também coordenadora do Programa de Residência em Medicina Veterinária. Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Uberlândia, mestrado em Medicina Veterinária pela UFSM e doutorado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela UFRGS. Bolsista produtividade 1B.

LATTES

 

 

MARIA ROSA CHITOLINA 

Formada em Biologia pela UFRGS, onde também realizou seu mestrado, concluiu doutorado pela Universidade Federal do Paraná e pós-doutorado no Albert Einstein College of Medicine, nos Estados Unidos. Atualmente, é professora da UFSM no Centro de Ciências Naturais e Exatas, com ênfase em Enzimologia. Nos últimos anos, realizou visitas de colaboração científica a algumas instituições internacionais, na Europa e na África. Bolsista produtividade 1B.

LATTES

 

 

SONIA ZANINI CECHIN

A pesquisadora, que atualmente está na direção do Centro de Ciências Naturais e Exatas da UFSM, possui graduação em Ciências Biológicas pela UFSM, mestrado e doutorado em Biociências (Zoologia) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Suas pesquisas têm ênfase em Herpetologia, que é o estudo de répteis e de anfíbios. Recebeu o prêmio Quarta Colônia de Desenvolvimento Regional. Bolsista produtividade 1B.

LATTES

 

 

SILVIA GONZALEZ MONTEIRO

Bolsista produtividade 1A, Silvia possui graduação em Medicina Veterinária pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, mestrado em Medicina Veterinária e doutorado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Atualmente, atua nos programas de pós-graduação em Medicina Veterinária Preventiva e Farmacologia da UFSM. Em 2017, Silvia recebeu o Prêmio Pesquisador Gaúcho pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul. Estuda controle biológico, protozoários, ectoparasitos e helmintos. 

LATTES

Fotografias: Rafael Happke e arquivo pessoal/redes sociais das pesquisadoras

Ilustração da capa: Pollyana Santoro, acadêmica de Desenho Industrial


Publicações Recentes