Ir para o conteúdo EDUCOM Ir para o menu EDUCOM Ir para a busca no site EDUCOM Ir para o rodapé EDUCOM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Iniciação Científica: o despertar para o conhecimento acadêmico



Programas de pesquisa auxiliam na graduação

Leticia Malinoski – m_alisouza@hotmail.com
Luíza Tavares – violetalu@hotmail.com

A Iniciação Científica (IC) coloca em contato os alunos com os grupos de pesquisa para proporcionar ao aluno, orientado por pesquisador e profissional experiente, a aprendizagem de técnicas e métodos científicos. Além disso, o programa de IC estimula o desenvolvimento do pensar científico o mais cedo possível durante o período de formação do aluno.

A Coordenadoria de Iniciação Científica fica no 7º andar da Reitoria
A Coordenadoria de Iniciação Científica fica no 7º andar da Reitoria

A Coordenadoria de Iniciação Científica (CIC) da UFSM foi criada em 2010, a partir de um projeto aprovado em 2009. A CIC é responsável pelos programas de Iniciação Científica e Tecnológica, é organizadora da Jornada Acadêmica Integrada (JAI) e da viagem da delegação da UFSM para a Sociedade Brasileira de Progresso da Ciência (SBPC). Há programas internos e externos: os internos utilizam recursos da própria universidade, já os externos são financiados com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), Jovens Talentos para a Ciência – Capes e Ciências sem Fronteiras – CNPq e Capes.

O aluno de Engenharia Elétrica, Rodrigo Krug, atua no Grupo de Eletrônica de Potência e Controle (Gepoc) desde 2009. Logo que ingressou no curso já procurou entrar em um projeto de Iniciação Científica, “Entrei em contato com a Iniciação Científica porque já conhecia o professor Hélio Leães Hey. Em conversas, o professor me apresentou os grupos de pesquisa da Engenharia Elétrica, assim, ingressei na pesquisa ainda nos primeiros dias de aula, mas só consegui bolsa a partir do segundo semestre.” Rodrigo foi bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e, devido ao ingresso na pesquisa, fez parte, também, do Programa Ciências sem Fronteiras e passou um ano na Universidade Concórdia, em Montreal, Canadá.

Da Coordenaria de Iniciação Científica, Alessandro Dal-Col Lúcio, diz que é totalmente favorável à inclusão dos alunos da graduação e do ensino médio nas atividades de iniciação científica o quanto antes, pois dá condições de atuação e de inserção precoce em grupos de pesquisa. Essa atividade, além de complementar a formação técnica e teórica do aluno, promove o trabalho em grupo, o comprometimento responsável no exercício de atividades e ações na área de pesquisa.

Mais informações sobre os programas estão disponíveis no site.

Programas de IC internos

Fipe – Fundo de Incentivo à Pesquisa: Programa de concessão de bolsas de iniciação científica e auxílio à pesquisa aos docentes e servidores da UFSM.

Fipe ARD (Enxoval): auxílio recém doutor para os servidores que obtiveram titulação de doutor em até cinco anos anteriores ao lançamento do edital.

Fipe Júnior: para os docentes que obtiveram titulação de doutor em até cinco anos anteriores ao lançamento do edital.

Fipe Sênior: para os docentes que obtiveram titulação de doutor a mais de cinco anos ao lançamento do edital.

FIT – Fundo de Incentivo à Inovação Tecnológica: Programa de concessão de bolsas de iniciação à inovação tecnológica (BIT) e auxílio a projetos de inovação tecnológica aos docentes e servidores da UFSM.

BIC-reuni – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica: Voltado para a iniciação à pesquisa de estudantes de graduação sob orientação de docentes contratados pelo Reuni (Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais).

Com financiamento externo

Pibic – Programa institucional de bolsas de Iniciação Científica (CNPq/UFSM): Vinculado ao CNPq, voltado para o desenvolvimento do pensamento científico e iniciação à pesquisa de estudantes de graduação.

Pibic AF – Ações Afirmativas: Destina bolsas de IC para alunos que ingressaram na universidade através do sistema de cotas.

Pibic EM: Vinculado ao CNPq, com objetivo de despertar a vocação científica e incentivar talentos potenciais entre estudantes do ensino médio ou tecnológico.

Pibit – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (CNPq/UFSM): Visa estimular estudantes do ensino técnico e superior ao desenvolvimento e transferência de novas tecnologias e inovação.

Probic – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Fapergs/UFSM): Voltado para o desenvolvimento do pensamento científico e iniciação à pesquisa de estudantes de graduação do ensino superior do RS.

Proic UFSM: Programa de Bolsas de Iniciação Científica e Auxílio à Pesquisa para os grupos de pesquisa que desenvolvem ações de pesquisa no âmbito do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM).

Pivic – Programa Institucional de Voluntário em Iniciação Científica: programa sem pagamento de bolsa, em que o aluno tem um amparo legal da universidade para o desenvolvimento da pesquisa.

Ciências Sem Fronteiras: concessão de bolsas CNPq e Capes. É um programa específico em que o aluno faz sua inscrição para fazer parte da graduação fora do país.
Jovens Talentos para a Ciência: O aluno conquista a bolsa depois de passar por uma seleção da Capes. Destinado a alunos do primeiro semestre da graduação.

Curiosidades:

A Coordenadoria de Iniciação Científica é repleta de fatos interessantes. Antes de o projeto ser aprovado em 2010, todos os programas de pesquisa estavam inseridos na Pró-Reitoria de Graduação, em uma coordenadoria de pesquisa.

Sobre os eventos que a CIC organiza, a viagem da delegação para a Sociedade Brasileira de Progresso da Ciência inclui quarenta alunos de IC, selecionados a partir da JAI anterior.

Apesar de estar na CIC, o Programa Ciências Sem Fronteiras não é propriamente para a pesquisa. É uma bolsa para que o aluno se mantenha no exterior, com praticamente custo zero, de 12 a 18 meses. Para ficar 18 meses, é necessário que o aluno esteja, também, estagiando.

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-802-1165

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes