Ir para o conteúdo PET Agronomia Ir para o menu PET Agronomia Ir para a busca no site PET Agronomia Ir para o rodapé PET Agronomia
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Os benefícios da adubação orgânica



O desenvolvimento adequado de uma planta depende de vários fatores, como disponibilidade hídrica, fluxo luminoso e nutrientes acima do nível crítico. Para que o vegetal possa crescer e se desenvolver, ele retira do solo micro e macronutrientes, conforme sua necessidade. O ciclo natural é encerrado quando a planta morre e, ao ser decomposta, os nutrientes retornam ao solo. Em áreas de produção, uma lavoura ou pastagem, por exemplo, parte dos nutrientes é exportada, ou seja, vai embora da área juntamente com a produção, seja na forma de grãos, frutas, hortifrutis, carne ou madeira. Nesses casos, apenas parte dos elementos são devolvidos ao sistema e, ao longo do tempo, causam empobrecimento parcial do solo se não houver reposição dos nutrientes por meio da adubação.

Imagem 1: Ilustração mostrando os principais aspectos do crescimento ideal de uma planta.

 

Fonte: Wendt, Menikey (2021)

A adubação é uma prática agrícola que consiste na aplicação de adubos ou fertilizantes no solo, buscando incrementar a fertilidade química e suprir a carência nutricional. Sendo assim, com o passar dos anos as pesquisas induziram melhores padrões técnicos para uso conjunto entre os insumos industrializados com formas alternativas de adubação, como a orgânica. A adubação orgânica é uma técnica muito usada na agricultura, em todos os arranjos e tamanhos de unidades de produção.

Os fertilizantes orgânicos são provenientes de compostos oriundos da decomposição da matéria de origem animal ou vegetal. É comum que pessoas produzam o próprio adubo em suas casas através do descarte consciente de restos de alimentos, por exemplo, para fertilizar flores, folhagens ou até mesmo pequenas plantações de hortaliças. É importante destacar que a adubação orgânica é uma grande aliada da agricultura familiar e auxilia na independência de insumos externos, como relata o artigo “A prática da compostagem para a adubação orgânica pelos agricultores familiares de Santa Rosa/RS” publicado na Revista Eletrônica do Curso de Direito — Universidade Federal de Santa Maria. Os dados apresentados nesta publicação perfazem 283 produtores da região central do RS e revelou que cerca de 75% dos agricultores utilizam a adubação orgânica com o objetivo de diminuir os aditivos químicos usados na produção.

A prática de adubação orgânica associada ao uso de fertilizantes industrializados visando balancear a recomendação tem se tornado cada vez mais comum, mas é bom lembrar que é indispensável a consulta de um técnico para recomendação da quantidade e modo de aplicação. Seguir a recomendação técnica significa minimizar os problemas associados ao excesso de fertilizantes, como por exemplo o processo de contaminação do solo e rios que pode acontecer ao longo dos anos.

Apesar de os adubos orgânicos apresentarem diversos benefícios, se usados de forma errônea podem acarretar malefícios, entre os quais destacam-se: a acidificação do solo, a poluição do ar, a eutrofização dos corpos hídricos e o aumento da emissão de gases de efeito estufa. No Brasil, já existem empresas produtoras de adubo orgânico em larga escala, como podemos observar nas imagens 2 e 3.

Imagem 2 e 3: Descarregamento de adubo orgânico.

 

Fonte: Wendt, Lawrence (2021)

O artigo “adubação orgânica” publicado pela Agência Embrapa de Informação Tecnológica (Ageitec) destaca que a adubação orgânica traz diversos benefícios para o solo em sua forma física e biológica, como por exemplo: o aumento da taxa de infiltração e retenção da água, maior disponibilidade de nutrientes, estímulo da atividade biológica do solo, redução da diferença de temperatura entre os períodos noturnos e diurnos, maior agregação de partículas, melhora na aeração, entre outros. Os adubos orgânicos possuem diversos benefícios e se usados adequadamente, seguindo as recomendações técnicas, possuem grandes potenciais de melhora na produtividade de diversas culturas.

Referências:

SANTIAGO, A. D.; ROSSETTO, R. Agência Embrapa de Informação Tecnológica (ageitec). Adubação orgânica. Brasília/DF. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cana-de-acucar/arvore/CONTAG01_37_711200516717.html. Acesso em: 29 de abril de 2021.

MORAIS, L. Adubação orgânica. Revista ecológico. Belo Horizonte/MG, 09 de outubro de 2019. Edição 112. Disponível em: http://revistaecologico.com.br/revista/edicoes-anteriores/edicao-112/adubacao-organica/. Acesso em: 29 de abril de 2021.

KONZEN, E. A.; ALVARENGA, R. C. Adubação orgânica. Embrapa. Brasília/DF. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/AG01_48_168200511159.html. Acesso em: 04 de maio de 2021.

FERREIRA, A. G.; BORBA, S. N. de S.; WIZNIEWSKY, J. G. A prática da compostagem para a adubação orgânica pelos agricultores familiares de Santa Rosa/RS. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM. Santa Maria/RS. Disponível em: https://docs.google.com/viewerng/viewer?url=https://periodicos.ufsm.br/revistadireito/article/viewFile/8275/4991. Acesso em: 06 de maio de 2021.

Autora:

Menikey Walmarath Wendt, acadêmica do 4º semestre de Agronomia e bolsista do grupo Pet Agronomia — Universidade Federal de Santa Maria.

Texto publicado em: https://maissoja.com.br/os-beneficios-da-adubacao-organica/#:~:text=O%20artigo%20%E2%80%9Caduba%C3%A7%C3%A3o%20org%C3%A2nica%E2%80%9D%20publicado,disponibilidade%20de%20nutrientes%2C%20est%C3%ADmulo%20da

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-779-902

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes