Ir para o conteúdo CAL Ir para o menu CAL Ir para a busca no site CAL Ir para o rodapé CAL
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

37º Festival Internacional de Inverno da UFSM • Professores

 

Monte Belknap (Violino)

Violinista, Monte Belknap é celebrado como um músico de classe mundial e mestre-professor. Sua sonoridade característica, profunda e cantante e seu virtuosismo formidável cativaram o público em todo o mundo por mais de três décadas. Após uma apresentação do Concerto para Violino de Barber, Ed Reichel do Deseret News declarou: “Belknap capturou a eloquência da música com seu toque exuberante que envolveu o lirismo completamente”. Monte faz parte do corpo docente da Brigham Young University, onde leciona há 20 anos. Ele também leciona em vários festivais, incluindo o Music Institute e Summerfest da BYU, o Study Music Abroad na Itália com a University of Georgia-Hugh Hodgson School of Music, o Lutheran Summer Music Academy and Festival em Valparaiso, Indiana, e no Oracle Chamber Music Festival em Oracle, Arizona. Belknap foi spalla das Orquestras Sinfônica e de Câmara de Illinois, e é o solista de violino em destaque no filme de 2021, “Lamb of God”.


Gabriel Marin (Viola)

Natural de Piracicaba, é violista do Quarteto Carlos Gomes e da OSUSP. Em 2004 foi vencedor do Prêmio Eleazar de Carvalho, sendo agraciado com uma bolsa de estudos no exterior. Estudou na Dinamarca na classe do Prof. Rafael Altino, além de ter ganho bolsa integral da Heinemann Foundation para participar na Suíça do Verbier Festival & Academy, onde foi aluno de Nobuko Imai e Roberto Diaz. Em seu retorno ao Brasil, foi o primeiro viola solo da OSB por 6 temporadas. Atuou como solista frente a diversas orquestras brasileiras, como OSB, Sinfônicas da Paraíba, Sergipe e Campinas, além de ter tocado a frente da Orchestre D’Auvergne (França). É frequentemente convidado como professor em muitos Festivais pelo Brasil, como Londrina, Gramado, Curitiba e Campos do Jordão. Atualmente, além do Quarteto e da Orquestra, é Professor da Academia de Violas do NEOJIBA e Professor de Viola e Coordenador de Música de Câmara no Instituto Baccarelli.


Fabio Presgrave (Violoncelo)

O violoncelista Fabio Presgrave recebeu seus títulos de Bacharel e Mestre pela Juilliard School of Music e seu Doutorado pela UNICAMP. Apresentou-se como solista com orquestras como: Qatar Philharmonic, Orquestra Filarmônica de Rosário (Argentina), Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestras Sinfônicas de Porto Alegre, Campinas, Paraná, Bahia, Minas Gerais, Sergipe, Goiás, Espirito Santo dentre outras. Entre seus recitais recentes estão apresentações no Orchestrazentrum de Dortmund e na Série Kamper Konzert; recitais de violoncelo solo na Espanha nas cidades de Oviedo e Gijon, no Musikhuset de Aarhus na Dinamarca e no Villa Musica em Mainz na Alemanha. Seu trabalho como pedagogo o levou a oferecer masterclasses em instituições como a Academia Sibelius em Helsinque, a Folkwang Universität für der Künste de Essen, Interlochen Academy , Universidade de Tallinn na Estônia, Conservatório de Oviedo na Espanha e a Royal Academy of Music na Dinamarca. É Diretor Adjunto da Escola de Música da UFRN e professor colaborador na pós-graduação da USP e UFRJ. Em 2020 realizou mais de 20 apresentações em instituições da área da saúde compartilhando momentos de alívio para as equipes hospitalares e pacientes na pandemia do COVID 19. Atua desde 2002 como professor e consultor de projetos sociais por todo o Brasil e auxiliou o Conservatório de Frosinone na Itália a capacitar professores de cordas para atuação em escolas públicas locais. Participa intensamente do processo de internacionalização da UFRN tendo ajudado a obter financiamentos da Comunidade Europeia para que alunos do Rio Grande do Norte estudassem na Finlândia, Dinamarca, Itália e Alemanha. Realizou sua pesquisa pós-Doutoral da Universidade de Muenster em parceria com o Prof. Matias de Oliveira Pinto com apoio da CAPES.


Luciana Feres Nagumo (Educação musical)

Iniciou seus estudos de musica com sua mãe, Josette Silveira Mello Feres. Estudou flauta doce, piano, violoncello e percepção musical com diversos professores, entre eles: Tânia Lisboa, Cristina Geraldini, Mikhail Malt, Patricia Michelini. Formada, com honra, em Pedagogia pelas Faculdades de Educação Padre Anchieta no ano de 1991.

De 1990 à 2003, trabalhou como professora e coordenadora do curso de musicalização infantil da Escola de Musica de Jundiai.

De 2004 à 2006, trabalhou como professora de música no Relais Assistantes Maternelles (Pont-Audemer / France).

De 2007 a 2009 deu aulas de música para bebês na cidade de Alcalá de Henares (Espanha).

Desde 2009 é diretora e professora da área de educação musical, coordenadora pedagógica dos projetos “Música e Cidadania” da Escola de Música de Jundiaí e ministra curso de formação para professores para professores de todo o Brasil.

Com a mudança dos cursos para o formato virtual (no período de isolamento), a abrangência dos cursos de formação aumentou e hoje passou a atender também professores que residem no exterior.

Tem sido procurada para participar de diversos eventos (Itaú Cultural, Sesc Santo Amaro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul…) para orientar no trabalho de educadores musicais e compartilhar o trabalho feito tanto no presencial, quanto no virtual, realizado na EMJ.


Cláudia Oliveira (Percussão)

Original de Belém/Pará, Brasil, Cláudia tem sido uma força importante em seu país, na expansão do repertório para percussão, tanto para solo como para música de câmara, sendo muito destas obras dedicadas a ela por compositores latinos americanos. Ela foi integrante do grupo PIAP (1990 a 1993) no Brasil, e do quarteto de percussão do México “TAMBUCO” de 1997 até 2002, onde gravou quatros CDs, e participou de inúmeros concertos em festivais por todo o mundo. De 2002 até 2007, Cláudia viveu na França onde lecionava percussão, mantendo uma ativa carreira como solista, sendo convidada em 2005 pela Embaixada Brasileira em Paris, a realizar um concerto e representar o seu país no ano do Brasil na França. Durante toda a carreira como percussionista, Cláudia obteve inúmeros prêmios e reconhecimentos nacionais e estrangeiros dentre eles o 1° prêmio no I Concurso  Internacional “Jovens Solistas” da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Br.); 1° prêmio do Concurso “Música Criativa” em Londrina (Br.), reconhecimento de Ensino Musical na Fundação “Carlos Gomes” em Belém (Br.); reconhecimento de Ensino Musical no Centro Nacional de las Artes em México (Mx.). Foi professora e coordenadora do curso de percussão em Belém (Fundação Carlos Gomes e Universidade do Estado do Pará) e atualmente é professora de percussão no Guri Santa Marcelina (SP/ BR), onde também trabalha com inclusão social musical. Cláudia entrou para a Academia Paraense de Música em 2011, onde ocupa a cadeira no. 13, sendo a primeira percussionista a obter este título no Brasil. Em fevereiro de 2014, Cláudia foi convidada para tocar no IV Festival Internacional de Vibrafone e Marimba, realizado em Lima (Peru). Em 2019, como diretora artística e intérprete do TACAP Percussão, Cláudia com o respectivo grupo, foram finalistas do concurso PAWC, realizado na Itália.
Em setembro de 2021, Cláudia foi convidada para integrar a orquestra que gravou o vídeo Oratório “Our World is on Fire”, no Festival Cinco Lagoas de Cinema, realizado na cidade de Munique (GER.).


Heinz Karl Schwebel (Trompete)

Heinz Karl Schwebel, primeiro trompete da OSBA, iniciou seus estudos de trompete aos nove anos de idade com seu pai, o Prof. Horst Schwebel, ex-Primeiro Trompete da Hamburg Symphoniker, com quem continuou a estudar até se formar no curso de Instrumento da UFBA no ano de 1993. Em 1990 teve uma breve passagem pela Hochschule fur Musik em Karlsruhe, Alemanha, onde teve aulas com os Profs. Adolf Weresch e Reinhold Friedrich. Em 1994, como bolsista da CAPES e da Fundação VITAE, seguiu para os Estados Unidos onde realizou o curso de Mestrado no New England Conservatory of Music em Boston, sob a orientação do Prof. Charles Schlueter, primeiro Trompete da Orquestra Sinfônica de Boston. Em 1996 concluiu o Mestrado sendo laureado com Honras Acadêmicas e Distinção em Performance, premiação máxima daquela instituição. Durante seus estudos em Boston, foi vencedor do Concert Competition e do Honors Brass Competition. Em 1997 e 1998, foi o único Brasileiro a integrar os quadros da Jerusalem International Symphony Orchestra em Israel, onde atuou como primeiro trompete sob a regência de Zubin Metha. Em 1997 recebeu a Menção Honrosa do concurso Rádio MEC no Rio de Janeiro. Mais uma vez como bolsista da CAPES, voltou aos Estados Unidos em 1998 para realizar o Doutorado, outra vez sob a orientação do Prof. Charles Schlueter, tendo obtido o título de Doctor of Musical Arts, em Maio de 2000. Como musico Sinfônico, já atuou como primeiro trompete sob a regência dos Maestros Anton Wit, Emil Tabakow, Stanislaw Skrowacevsky, Zubin Metha, Marek Janowsky, Aldo Cecatto, Christopher Warren Green, Eleazar de Carvalho, Ira Levin, Isaac Karabtchevsky, Alex Klein entre muitos outros. Como Solista com orquestra já interpretou os concertos de Haydn, Hummel, Arutunian, Neruda, Bach-Vivaldi, Vivaldi Double Concerto, Ewazen, Tomasi, Wassilenko, Goedicke, Turrin, Linkola, Stoelzel, Handel, Tartini, Oskar Bˆhme and the Brazilian concertos of Guerra Vicente and Alfredo Dias. Em 2001, fez a estreia Sul Americana do Concerto de Eric Ewazen p/ trompete e cordas e em 2006, ano do centen·rio do compositor, fez a estreia mundial do Concerto p/ Trompete de José Guerra Vicente. Em outubro de 2006 foi convidado pela Charles Schlueter Foundation para ir a Boston, EUA fazer a estreia mundial da obra Symphonic Memories de Eric Ewazen com o próprio compositor ao piano. Professor da Escola de Música da UFBA, Heinz leciona nos cursos de Graduação e de Pós-graduação desta instituição, e vÍ uma crescente demanda nos convites para ministrar Master Classes, já tendo atuado como solista e/ou professor convidado no Pará, Maranhão, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Goiás, Minas Gerais, Paraná (no XXIV Festival de Londrina), Rio Grande do Sul (Festivais do Vale Vêneto e UNISINOS) e em Brasília durante os 25º, 26º, 27º, 28º, 29º e 30º – Cursos Internacionais de Verão. Como vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte, versão 2003, ele lançou seu 1º – CD Solo ñ Policromo ñM ̇sica Moderna para Trompete, tornando-se o 1º – trompetista brasileiro a gravar um significativo número de clássicos internacionais do repertório do século XX para trompete e piano, além de fazer conhecidas, obras brasileiras inéditas para esta formação. Outros projetos de gravação incluem o álbum FUXICO com o GIMBA – Grupo de Intérpretes Musicais da Bahia; 5 Suítes com o Quinteto de Metais da UFBA, e Trumpets of Brazil, para o International Trumpet Guild.


Alan Woo (Piano)

Elogiado pelo New York Times como um pianista com “segurança e vitalidade”, Alan Woo fez sua estreia no Lincoln Center no Alice Tully Hall tocando com a Juilliard Orchestra sob a batuta de Yannick Nézet-Séguin. Desde então, colaborou com os maestros Daniel Hege, Miguel Harth-Bedoya e Tito Muñoz em apresentações solo com as Sinfonias de Houston e Fort Worth e com a Music Academy of the West Festival Orchestra. Outras apresentações recentes incluem recitais solo nos EUA, Europa e Ásia.

Woo foi apresentado no The McGraw Hill Financial Young Artists Showcase transmitido no WQXR em Nova York e se apresentou em locais como Carnegie’s Weil e Zankel Recital Halls. Um ávido músico de câmara, ele fez aparições na Brooklyn Chamber Music Society, no SummerFest da La Jolla Music Society, no Gamper Festival of Contemporary Music, no Bowdoin International Music Festival e no Juilliard’s ChamberFest. Outros prêmios incluem prêmios nas competições de piano da High Point University, Ima Hogg, Iowa e Juilliard’s Gina Bachauer.

Nascido em Arlington, Virgínia, Woo se formou na Juilliard School e no Peabody Conservatory, onde se formou em piano com Robert McDonald e Yong Hi Moon. Atualmente leciona na University of Georgia como Lecturer in Piano, tendo anteriormente ocupado cargos na Elizabeth City State University e no Peabody Institute. Nascido em Arlington, Virgínia, Woo se formou na Juilliard School e no Peabody Conservatory, onde se formou em piano com Robert McDonald e Yong Hi Moon. Atualmente leciona na University of Georgia como Lecturer in Piano, tendo anteriormente ocupado cargos na Elizabeth City State University e no Peabody Institute.


Eduardo Monteiro (Flauta)

Professor de flauta na Escola de Música da UFRJ. Atuou como solista com várias orquestras brasileiras e em diversos festivais no Brasil e no Exterior.

Ex-flautista do Teatro Municipal do RJ e, como flautista substituto, da Orquestra da Ópera de Stuttgart.
Professor de flauta em inúmeros cursos pelo Brasil.

Estudo de flauta na Pró-Arte do Rio de Janeiro, na EM-UFRJ e na Escola Superior de Música em Stuttgart, como bolsista do DAAD.

Na Alemanha conta entre seus professores com: Klaus Schochow, Aurèle Nicolet e Peter-Lukas Graf. No Brasil seus mestres foram: Carlos Alberto Rodrigues, Norton Morozowicz, Celso Woltzenlogel e Geraldo Moreira..


Milton Masciadri (Contrabaixo)

Milton Masciadri é Distinto Professor Universitário de Contrabaixo na Universidade da Geórgia, onde é membro da faculdade de música desde 1984 e Primeiro contrabaixo da Augusta Symphony desde 1985.

Masciadri é um recitalista e solista frequente frente a grandes orquestras sinfônicas na Europa, Ásia, América do Norte, América Central e América do Sul. Ele apresentou masterclasses em instituições musicais como The Juilliard School, Manhattan School of Music, Conservatório de Paris, Guildhall School of Music em Londres, Conservatório de Moscou, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conservatório Nacional de Buenos Aires e Conservatório de Milão, entre muitos outros. As apresentações de Masciadri em 2019-20 incluíram apresentações na Itália, Espanha, França, Uruguai, Argentina, Brasil, Costa Rica, Colômbia, Japão, Canadá, Austrália, Croácia e Estados Unidos. Já se apresentou em Salas de Concerto como o Carnegie Hall, La Scala, Ópera do Rio de Janeiro e Teatro Argentino de Buenos Aires. Em 2009, Dr. Masciadri recebeu o título de Professor Universitário da Universidade da Geórgia, e também detém o título de “Accademico” da Accademia Filarmonica em Bolonha, Itália – a mais antiga instituição de ensino musical da Europa. Recebeu a Medalha de Honra Brasileira por Realizações Acadêmicas por seus serviços musicais e educacionais ao povo do Brasil, está listado no “International Who’s Who in Music”. Em 1998 foi designado Artista pela Paz da UNESCO e em 2011 recebeu a honra de Cavalaria da designação de Cavaglieri di San Marco em Veneza. Em 2015, Masciadri foi premiado com o Leonardo da Vinci World Award for the Arts pelo World Cultura Council, primeiro músico a receber o prêmio desde a sua criação e em 2016 a Universidade da Geórgia concedeu-lhe o SEC Academic Achiemvement Award.

Masciadri se apresenta em um contrabaixo Testore de 320 anos, aparece no International Who’s Who in Music e tem gravações solo em DMR, ACA, Fondazione & Sinfônica Rótulos.


Pedro Robatto (Clarineta)

Clarinetista, natural de Salvador-Ba, formou-se com o prof. Klaus Haefele na Universidade Federal da Bahia, e na mesma instituição, concluiu Mestrado e Doutorado em Execução Musical com o prof. Joel Barbosa . Em 1998 estudou com os professores Earl Thomas e Patricia Kostek na Universidade de Victoria no Canadá, e em 1988 na Escola Música de Karlsruhe na Alemanha, com o professor Wolfgang Meyer. Participou de vários cursos e festivais de música no Brasil, Alemanha, Argentina, Suíça, Itália, EUA e Canadá, estudando com clarinetistas renomados como Walter Boeykens, Francesco Belli, John Laughton e Alain Damiesn. Foi vencedor de concursos de música no Brasil e na Argentina, entre eles o I Concurso Internacional de Buenos Aires, Concurso Nacional de Música de Câmara da Faculdade Santa Marcelina – São Paulo, Concurso Jovens Solistas da OSESP e Concurso Jovem Solista da Orquestra Firestone, Londrina – PR, e foi finalista do VIII Prêmio Eldorado de Música – São Paulo. Desde 1989 é Clarinetista Principal da Orquestra Sinfônica da Bahia e desde 1992 é Professor de Clarinete e Música de Câmara da Universidade Federal da Bahia no curso de Bacharelado e do Mestrado Profissional, e em 1999 foi Professor Assistente na Universidade de Victoria – Canadá. Participou também como Professor de clarineta de vários cursos e festivais de música no Brasil, como o Curso Internacional de Verão de Brasília, Festival de Inverno Unisinos no Rio Grande do Sul, Festival de Inverno de Domingos Martins, entre outros.