Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Resgate de arquivos históricos da Facos

Todo curso tem muita história para contar. Histórias que ajudam a compreender a montagem e a evolução até chegar no que conhecemos nos dias atuais. O projeto “Gestão e preservação documental no Departamento de Ciências da Comunicação e cursos de graduação” coordenado pela arquivista Josiane Ayres Sfreddo surgiu para resgatar a história da Facos (Faculdade de Comunicação Social), que hoje em dia equivale ao Departamento de Ciências da Comunicação.

Iniciado pela arquivista no segundo semestre de 2018, o plano é promover uma limpeza e organização desses documentos que estavam perdidos e se encontravam em situação precária de conservação. “A gente descobriu ano passado que havia essa documentação mais antiga localizada numa sala como se fosse um porão. Nós começamos a conversar com a Viviane Borelli [chefe do Departamento de Comunicação] com a ideia de tentar resgatar essa história”.

Os documentos, segundo Francisco Cougo, professor de Arquivologia e colaborador do projeto, datam de 1971 a 2008 aproximadamente. No início do projeto, a separação aconteceria na sala onde Josiane trabalha, porém, devido ao pequeno espaço físico, a direção do CCSH disponibilizou a sala 3130 do prédio 74B para que a coordenadora, os colaboradores e as bolsistas consigam trabalhar em uma sala maior.

As bolsistas Lauana Palese, Tainara Kullmann e Yasmin Perez são as responsáveis pela higienização dos documentos. É válido lembrar que esse processo acontece conforme o sistema de arquivos da UFSM e segue as determinações de gestão documental da administração pública. Essa etapa ainda é inicial. Por enquanto, está havendo apenas a limpeza e higienização dos documentos, além de uma identificação prévia.

Vale ressaltar que não foram encontrados apenas documentos arquivísticos convencionais nas caixas. Foram encontrados também jornais experimentais produzidos por alunos de Jornalismo, rolos de fototipos, usados na impressão de jornais antigos, disquetes, fitas cassetes etc.

Os arquivos, após esse processo, serão encaminhados para o arquivo setorial, localizado no subsolo da biblioteca setorial do CCSH, prédio 74D. O projeto está previsto para ser concluído em agosto de 2019.

Texto e fotos: Juan Grings, acadêmico de jornalismo do Núcleo de Comunicação Institucional (NCI) do CCSH.