Ir para o conteúdo PPGART Ir para o menu PPGART Ir para a busca no site PPGART Ir para o rodapé PPGART
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Laboratórios

Coordenadora: Nara Cristina Santos

O Laboratório de Pesquisa em Arte Contemporânea, Tecnologia e Mídias Digitais (LABART) teve início no ano de 2005, na sala 1228 do CAL/UFSM, onde mantém suas atividades. Tem como objetivo o desenvolvimento da projetos qualificados na área das Artes Visuais, com ênfase na História, Teoria e Crítica da Arte, e também com abertura às Poéticas Visuais, através de atividades de pesquisa e de extensão que dialogam com a ciência e a tecnologia, seja nas orientações de estudantes da pós-graduação como de IC na graduação, nas reuniões dos grupo de pesquisa, nas participações em eventos nacionais e internacionais, na organização de simpósios, fóruns, exposiçõs e festivais. Os resultados gerados pelos integrantes do LABART, parte disponíveis neste site, se constituem de publicações de relatórios, artigos, capítulos de livros, livros; monografias, dissertações e teses; catálogos de exposições e registro de obras.

O LABART surgiu da necessidade de reunir em um espaço físico pesquisadores, professores e estudantes do Grupo de Pesquisa Arte e Tecnologia/CNPq, liderado pela professora Profª Drª Nara Cristina Santos, também coordenadora do laboratório. O LABART acompanhou o início do Curso de Especialização Arte e Visualidade (2005-2006) e a implantação do PPGART/Mestrado em Artes Visuais (2007-) e tem, em mais de uma década de existência, trabalhado tanto para a consolidação da pós-graduação na UFSM quanto para sua divulgação no país. Em 2016 inicia uma parceria com outros Programas de Pós-graduação, visando a internacionalização. Neste percurso, o LABART também abriu espaço para algumas parcerias internas na UFSM, com pesquisadores de outros PPGs, o de Educação para a Ciência e o de Informática, as quais tem propiciado o desenvolvimento de investigações pautadas na transdisciplinaridade.

Até 2017, passaram pelo laboratório mais de 50 alunos de graduação, entre bolsistas, participantes e colaboradores, alunos de especialização, 17 alunos de mestrado, dos quais 4 são mestrandos e 13 são mestres (Em 10 anos do PPGART/UFSM). Destes, 4 já se doutoraram (UFRGS, UNB, UNESP) e outros 4 seguem em doutoramento (UFRGS, UNB, USP e UA/Portugal). Dos mestres integrantes do LABART, 10 atuam em IES particulares e públicas em Brasília, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O LABART está situado no 2º andar do Centro de Artes e Letras,  sala 1228,  Universidade Federal de Santa Maria.

Mais informações acesse a  página do LABART.

O Laboratório Interdisciplinar Interativo (LabInter) foi criado em 2012 vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal de Santa Maria.  O LabInter foi idealizado e fundado pela Profa. Dra. Andreia Machado Oliveira, está direcionado para produções interativas que envolvem as áreas de Arte, Ciência e Tecnologia, e que promovem inovação tecnológica via diálogos interdisciplinares e colaborativos.  Objetiva processos que promovam um novo discurso eletrônico, outras maneiras de se lidar com a informação e comunicação, novos deslocamentos e descentramentos perceptivos, outros modos de subjetivação em rede a partir de complexidades e multiplicidades. Constitui-se como um espaço de pesquisa e criação de projetos interativos, interdisciplinares e colaborativos, desenvolvendo trabalhos em: gamearte; aplicativos interativos; ambientes imersivos e interativos; realidade aumentada; instalações interativas e narrativas digitais. No âmbito da extensão, promove oficinas,  eventos, exposições,  ciclo de leituras e palestras. Seus projetos são apresentados em eventos e exposições nacionais e internacionais, e publicados em journals e revistas acadêmicas.

Os projetos realizados no LabInter são desenvolvidos pelo gpc-InterArtec/CNPq (Grupo de Pesquisa e Criação em Interatividade, Arte e Tecnologia). Conta com parcerias de outros grupos e instituições, estimulando um trabalho em conjunto entre artistas, cientistas e inovadores em tecnologia.

 O LabInter  encontra-se localizado no 3º andar do  Centro de Artes e Letras (CAL), sala 1340A – Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Conta com equipamentos  de multimídia que viabilizam o desenvolvimento de propostas em telemática, interatividade e imersão; com a infraestrutura do CAL na UFSM,  salas especializadas  para desenvolver atividades diferenciadas e com um servidor próprio localizado no Centro de Processamento de Dados (CPD) para o armazenamento de dados.

O Laboratório de Pesquisa em Fotografia (LabFoto) reúne estudantes da graduação e da Pós-graduação em Artes Visuais, mestrado e doutorado, que se dedicam à pesquisa em artes numa abordagem da fotografia como arte e como objeto da artes, ancoradas nos princípios da arte contemporânea. Sob a coordenação da Profa. Dra. Darci Raquel Fonseca, os integrantes do LabFoto estão comprometidos com um trabalho prático de qualidade enriquecido de um pensamento crítico derivado da poética realizada. Está localizado no 3º andar do Centro de Artes e Letras, sala 1326B, Universidade Federal de Santa Maria.

Espaço de pesquisa e desenvolvimento voltado a alunos dos Cursos de Pós-graduação/Mestrado e Doutorado em Artes Visuais, Pós-graduação em Design de Superfície e  Graduação em Artes Visuais e Design, vinculados aos projetos pesquisa/ensino e às ações de extensão do Grupo de Pesquisa Arte e Design/CNPq-UFSM.

O Laboratório de Pesquisa Arte e Design (LAD ), coordenado pela Profa. Dra.  Reinilda de Fátima Berguenmayer Minuzzi, foi instalado em 2005, com o início de atividades sistemáticas do GAD [Grupo de Pesquisa Arte e Design/CNPq/UFSM]. Inicialmente esteve ligado à Especialização Arte e Visualidade e à Especialização em Design de Superfície/CAL/UFSM, sendo que a partir de 2007 vinculou-se ao Mestrado em Artes Visuais (PPGART/UFSM).

LAD  ocupa-se da efetivação das atividades relativas às ações do Grupo de Pesquisa Arte e Design, bem como demais ações em parceria com a Especialização em Design de Superfície, vinculando os campos da Arte e do Design. Assim, realiza eventos de extensão como seminários, encontros, ciclos de estudos, oficinas, workshops e mostras artísticas e de design. 

Ao longo de seu percurso, o LAD tem se mantido ativo no que se refere à realização sistemática de eventos anuais, vinculados aos projetos de ensino, pesquisa e extensão do Grupo Arte e Design, que conta com mais de vinte participantes, internos e externos, pesquisadores, profissionais, docentes e discentes. 

Igualmente, além da produção científica relacionada à pós-graduação (Especialização e Mestrado), mantém projetos ativos de pesquisa e extensão, referentes às produções de Iniciação Científica em programas PIBIC/PIBITI (CNPq), PROBIC/PROBITI (FAPERGS), FIPE/FIEX/ FIT/PIVIC (UFSM).

O Laboratório Arte Impressa objetiva a pesquisa poética da imagem impressa, seus desdobramentos em meios, procedimentos e conceitos.

A ênfase está em investigações operadas (ou que mantenham resquícios) de processos de impressão da imagem tradicionais, mecânicos e foto mecânicos. Essa característica “low-tech” é entendida como procedimento e proposição, como potencializadora de modos de fazer arte que instiguem a consciência artística na produção contemporânea.

O Laboratório Arte Impressa está constituído por pesquisadores da Graduação e Pós-Graduação em Artes Visuais e Arquivologia da Universidade Federal de Santa Maria.

O LAI está situado na sala 1240 B do Departamento de Artes Visuais, no Centro de Artes e Letras da Universidade Federal de Santa Maria, desde outubro de 2012.

O Laboratório de Arte e Subjetividades pesquisa os processos de subjetivação que acontecem durante o percurso artístico, problematizando a(s) identidade(s) do(+) sujeito artista. Pesquisa a partir do paradigma da arte contemporânea, e interage com os estudos de gênero, feministas, trans e queer. Atualmente, está integrado por pesquisador(+)s da Graduação e Pós-Graduação em Artes Visuais, da Universidade Federal de Santa Maria. Mas também, pertencem artistas e estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul , da Universidade Federal de Santa Catarina e da Universidade do Estado de Santa Catarina, entre outras.
O LASUB possui sua sede no Departamento de Artes Visuais, do Centro de Artes e Letras , da Universidade Federal de Santa Maria, e teve inicio em 27 de maio de 2015.

Para maiores informações acesse o link

O Laboratório de Performance, arte e cultura – LAPARC é um espaço de apoio ao Programa de Pós Graduação em Artes Visuais (PPGART). Criado em março de 2016, a proposta atua no desenvolvimento de projetos de ensino, pesquisa e extensão em criação artística, elaboração de performances e reflexão sobre arte contemporânea, especialmente no que tange à performatividade. O objetivo geral de sua criação foi oferecer suporte teórico prático às atividades transversais ancoradas nos estudos sobre performances, arte e cultura que são desenvolvidas por estudantes do PPGART e dos cursos de teatro, dança e artes visuais da Universidade Federal de Santa Maria. 

Além disso, por meio do LAPARC, são realizados estudos sobre a Arte da Performance em sua amplitude inter e transdisciplinar, são aprofundados os conceitos de Performatividade e suas relações com abordagens culturais, são desenvolvidos laboratórios de criação, individuais e conjuntos, nas artes performativas, são apresentadas as ações performativas elaboradas em eventos artísticos, são apresentados os desdobramentos teórico-conceituais das pesquisas em eventos científicos, são oferecidos suportes à pesquisa dos alunos de graduação, iniciação científica e pós graduação do Centro de Artes e Letras da UFSM, são propagados os estudos desenvolvidos à comunidade regional por meio de ações de extensão, são organizados eventos que integrem atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Localizado na sala 1103 do Centro de Artes e Letras da Universidade Federal de Santa Maria, o LAPARC agrega, atualmente, um grupo de trabalho formado por professores e alunos de doutorado, mestrado, graduação e iniciação científica, inseridos no grupo de pesquisas Performances: arte e cultura vinculado ao CNPQ. O laboratório é coordenado pela Profa. Dra. Gisela Reis Biancalana e comporta os projetos guarda-chuva de pesquisa e de extensão. As discussões sobre a bibliografia que subsidia os estudos desenvolvidos no LAPARC acontecem nos encontros semanais em forma de seminários. 

O atual projeto de pesquisa se chama Arte e cultura: a transversalidade dos-nos-pelos corpos performativos. O foco central da pesquisa é investigar formas de composição poética e atuação performativa emergindo do conhecimento do-no-pelo o corpo que almeja ser arte. O desenvolvimento de uma corporeidade performativa é um objetivo difícil de ser abordado uma vez que ele não é mensurável, porém, é claramente observável e destacadamente significativo. Por outro lado, a busca pelo aprimoramento do trabalho corporal em estado de composição e criação tem a intenção de atentar para o cuidado do artista consigo mesmo enquanto ser arte. Lapidar-se é uma realidade que acompanha a vida de qualquer performer. Neste projeto, estas investidas acontecem inicialmente pela via da pesquisa de campo em locais escolhidos pela proximidade temática. Em seguida, encaminham-se para os processos laboratoriais em ateliês de criação que sistematizam práticas poéticas em seus anseios peculiares de composição. O diálogo entre arte e antropologia, especialmente a adoção da pesquisa de campo, da etnografia e da autoetnografia como procedimentos metodológicos são aliadas do referencial teórico em estudo. Este projeto guarda-chuva agrega os projetos dos estudantes de doutorado, mestrado e IC.

O programa de extensão, por sua vez, abriga três projetos: Pipoca Itinerante, PerformAções (evento), ExposiAção (produção artística). A partir deles são registrados os projetos dos estudantes de doutorado, mestrado, iniciação científica e Trabalhos de Fim de Curso (TCC). O Pipoca Itinerante. Este trabalho consiste de visitas em escolas de artes da cidade para discussão e reflexão coletiva das obras de artistas contemporâneos selecionados previamente. Para tal é convidado um professor dos cursos de dança, teatro ou artes visuais. O segundo projeto de extensão é o evento PerformAções. O LAPARC promoveu o evento piloto, o PerformAções Artísticas que aglutinou as discussões pertinentes às pesquisas em mesas redondas, trouxe espetáculos de artistas locais e desenvolveu atividades de pesquisa. O I PerformAções foi o primeiro evento organizado pelo grupo e aconteceu em 28 e 29 de abril de 2017, no Centro de Artes e letras da UFSM. Foram realizadas as versões 2018 e 2019. Em 2020 o evento não ocorreu devido ao isolamento social diante da pandemia Coronavírus19. O terceiro projeto de extensão é a ExposiAção que consiste da realização de exposições em galerias de arte, nas ruas ou outros espaços alternativos. Cada ExposiAção é composta de performances concebidas a partir de discussões levantadas sobre pressupostos da arte contemporânea debatidos nas vias anteriormente citadas. Foram realizadas duas ExposiAções e 2020 tem data reservada na sala Carriconde-CAL-UFSM e no MASM.

Metodologicamente, os integrantes do LAPARC iniciam seus procedimentos criadores ao realizar imersões em pesquisa de campo focadas nos universos culturais selecionados pelos investigadores envolvidos e que funcionem como um olhar estranho para alavancar a construção de performances. Sendo assim, o objetivo do trabalho dos performers reside na construção de processos investigativos oriundos das intenções de ser arte, irradiadas pelo corpo e aqui denominadas corpo-arte. O contato com o campo e o olhar estranho busca aflorar afetividades que possam desabrochar em ações performativas, ao mesmo tempo em que descentraliza as ditaduras hegemônicas e cristalizadas de atuação performativa com as antigas posturas autoritárias dos diretores e coreógrafos soberanos. As ações estão pautadas na busca transversal pela fusão dos saberes calcada em processos de diluição de fronteiras entre conhecimentos também direcionada aos cruzamentos transversais com as ferramentas do campo da antropologia como pesquisa de campo, etnografia e autoetnografia.  

O LAPARC leva as questões metodológicas em consideração ao iniciar com a revisão de literatura sobre as Performances Studies (SCHECHNER, 2003) a fim de traçar um percurso de imersão em pesquisa de campo e registro do material coletado ao mesmo tempo em que se debruça sobre a bibliografia especializada sobre Performance Arte. Em ateliês de criação, o grupo realiza a experimentação do material coletado em direção à construção de matrizes de ações corporais performativas. Neste momento funde-se o material coletado em campo às impressões dos artistas, transbordando as afetividades afloradas em campo pelas fontes da pesquisa em células criadoras. Trata-se de retrabalhar o material levantado em campo amalgamado à elementos da experiência dos artistas. A experiência é entendida, neste estudo, como um processo que possui um viés existencial, pois está associada à produção de sentido, ou seja, ela é alguma coisa que toca de fato alguém, segundo os pressupostos de Bondia (2002, p. 22). Simultaneamente está sendo realizada a documentação audiovisual deste processo para oferecer acesso público aos resultados artísticos em forma de performances e científicos. 

O Laboratório de Pesquisa em Processos Pictóricos (LAPICTO) funciona na sala 1336, 3º andar do Cal/UFSM. É um espaço onde são desenvolvidas propostas artísticas e investigações relacionadas ao âmbito da pintura, junto a estudantes dos Cursos de Pós-Graduação/Mestrado em Artes Visuais, Graduação em Artes Visuais e outros pesquisadores vinculados aos projetos de pesquisa e extensão do GPICTO – Grupo de Pesquisa Processos Pictóricos/CNPq-UFSM, coordenados pela Profa. Dra. Karine Perez. Congrega investigações prático- teóricas sobre processos artísticos de criação em pintura. Engloba, também, as possíveis conexões da pintura com outras áreas do conhecimento e com técnicas, linguagens e processos artísticos variados. O grupo desenvolve experimentações e criação de obras de artes visuais, ações de extensão e projetos de pesquisa, ensino e extensão, que envolvem a produção de exposições e intervenções artísticas, relacionadas ao campo da pintura. Também visa a produção textual para publicações e apresentações em eventos, pretendo ainda promover a organização de eventos na área.

O Laboratório de Artes Visuais e  I/Mediações (LAVI/M) é coordenado pelo Prof. Dr. Lutiere Dalla Valle e busca estimular o desenvolvimento de projetos de pesquisa, ensino e extensão que tenham como finalidade articulações entre artes visuais, cultura visual e projetos inter/multi/transdisciplinares. A partir deste posicionamento que privilegia a esfera artística como via principal, seus desdobramentos (voltados a espaços expositivos ou áreas que propunham intersecções e/ou diálogos entre arte, cultura visual e suas imediações), propõe-se explorar o conceito edu(vo)cativo para as artes em geral com ênfase nas relações entre cultura, sociedade, subjetivação e práticas de intervenção nos mais variados contextos de produção e difusão de artefatos produzidos pelas distintas culturas.

O marco teórico metodológico constitui-se a partir abordagens de cunho biográfico narrativo, envolvendo perspectivas etnográficas, bricolagem, A/R/Tográficas, Investigação Baseada nas Artes, Pedagogias Culturais, Processos de Mediação em Museus e espaços Expositivos, Imaginário e Cultura Contemporânea, Narrativas Audiovisuais e Cultura Visual. 

Fundado em 2016, o Laboratório pretende, portanto, agregar projetos que visam processos colaborativos de aprendizagem e investigação, compartilhamento dos processos acadêmicos, buscando auxiliar o desenvolvimento das ações embasadas pelo diálogo e igualmente, pela reciprocidade.

OBJETIVO GERAL

Dar suporte à produção acadêmica no campo das artes e cultura visual nos diferentes níveis de formação a partir do acompanhamento e desenvolvimento de projetos de ensino, pesquisa e extensão.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Aprofundar o estudo da perspectiva da cultura visual no âmbito das artes e suas articulações inter/multi/transdisciplinares;
  • Desenvolver o conceito edu(vo)cativo para as artes pautando-se sobretudo pelos estudos da cultura visual e campos afins (sociologia, antropologia, psicologia, estudos culturais, filosofia, e perspectivas pós-estruturalistas: feministas, estudos queer e novos materialismos);
  • Estimular aproximações entre acadêmicos do curso de graduação e pós-graduação em artes visuais;
  • Fomentar processos de mediação entre artistas e públicos a partir de projetos educativos entorno às produções artísticas locais;

LINHAS DE TRABALHO

Tendo como parâmetro os projetos atuais sob minha coordenação, propõe-se os seguintes eixos:

  1. I/MEDIAÇÕES COM AS ARTES

Vincula processos investigativos que tomam a arte como fio condutor em diálogo com outros campos do conhecimento (inter/multi/transdisciplinar).

  1. ESPAÇOS EXPOSITIVOS E DE INTER/AÇÃO

Desenvolve ações vinculadas aos espaços expositivos e processos de mediação artística e de interação.

  1. ENTORNOS EDU(VO)CATIVOS

Subsidia práticas educativas de Ensino, Pesquisa e Extensão vinculadas a projetos com a comunidade local tendo como mote central a produção artística contemporânea.

Acesse a página do LAVI/M

O Laboratório de Desenho e Iconografia (LDI), coordenado pelo Prof. Dr. Altamir Moreira, é laboratório didático voltado às atividades de pesquisa e extensão dos cursos de graduação, e Pós-graduação em Artes Visuais com ênfase na área de desenho e iconografia. O projeto geral, em desenvolvimento, destaca como tema os procedimentos técnicos e fundamentos iconográficos envolvidos na elaboração de imagens de arte figurativa com base nas linguagens do desenho e da pintura.

O LDI está situado na sala 1234 do Departamento de Artes Visuais, no Centro de Artes e Letras da Universidade Federal de Santa Maria.

O Laboratório de Imagem Digital (LID) é um setor pertencente ao Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais – PPGART tendo por objetivo prestar apoio às demandas acadêmicas de discentes e docentes, incluindo atividades didáticas, de pesquisa e artísticas ligadas à área de ensino, pesquisa e extensão, além de assessorar na elaboração e execução de projetos do Programa.