Ir para o conteúdo PET Sistemas de Informação Ir para o menu PET Sistemas de Informação Ir para a busca no site PET Sistemas de Informação Ir para o rodapé PET Sistemas de Informação
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Automatização e testes com Selenium



O desenvolvimento de aplicações web tornou-se extremamente popular nos últimos anos. Garantir o bom funcionamento desses sistemas considerando a grande variedade de browsers existentes, entretanto, pode causar uma grande dor de cabeça  (olá, Internet Explorer!). Diversas ferramentas foram criadas para auxiliar nessa tortuosa função e, entre elas, está o Selenium.

        Com o Selenium é possível automatizar diferentes tipos de testes necessários para a manutenção do ciclo de vida de um software, tais como testes de aceitação e testes funcionais (ainda nesta redação, veremos como utilizá-lo em conjunto com testes unitários). Além disso, a ferramenta permite a automatização de praticamente qualquer tarefas repetitiva que precisamos realizar na web (exemplos por conta de sua imaginação).

Selenium automates browsers. That’s it!  SeleniumHQ

        Podemos utilizar o Selenium através de sua IDE ou por uma client API. De forma geral, os comandos definidos são enviados para o Selenium WebDriver que, os repassa para o browser desejado e, se necessário, retorna os resultados. Aqui, iremos utilizá-lo através da API em Python. Vamos lá!

 

Preparando o ambiente — setup:

  • Antes de continuar certifique-se de ter instalado em seu computador o Python 3, pip e o virtualenv (pip install virtualenv)Os passos abaixos são específicos para Linux (usuários Windows podem consultar a documentação aqui).

1. Inicialmente, crie e ative um ambiente virtual:

$ virtualenv -p python3 myenv

$ cd myenv

$ source bin/activate

2. Instale o Selenium com o pip:

$ pip install selenium

3. Baixe o driver do browser em que você deseja executar os testes. Nesse exemplo iremos utilizar o Firefox, outros drivers são listados na tabela abaixo.

Chrome

https://sites.google.com/a/chromium.org/chromedriver/downloads

Edge

https://developer.microsoft.com/en-us/microsoft-edge/tools/webdriver/

Firefox

https://github.com/mozilla/geckodriver/releases

Safari

https://webkit.org/blog/6900/webdriver-support-in-safari-10/

$ wget https://github.com/mozilla/geckodriver/releases/download/v0.24.0/geckodriver-v0.24.0-linux64.tar.gz && tar -xvzf geckodriver-v0.24.0-linux64.tar.gz && rm geckodriver-v0.24.0-linux64.tar.gz

4. Adicione o driver a varíavel do sistema PATH ou mova-o para a pasta bin do virtualenv:

$ mv geckodriver bin/

Partiu automatizar!

        Vamos fazer um programa bem simples que irá realizar uma busca no Google, printar link dos primeiros resultados e tirar um screenshot da página. Para tal, crie um arquivo Python qualquer (e.g. gsearch.py) e cole o seguinte trecho de código:

#!/usr/bin/env python

from selenium import webdriver

from datetime import datetime

# cria uma nova sessao no browser

browser = webdriver.Firefox()

browser.maximize_window()

# navega para a home page do Google

browser.get(“http://www.google.com/”)

# procura pelo elemento referente a searchbox

search_field = browser.find_element_by_name(“q”)

# envia a string @query para o element e realiza a busca

query = “Test Driven Development”

search_field.send_keys(query)

search_field.submit()

# espera até 3 segundos até o resultado ficar pronto

browser.implicitly_wait(3) 

# procura pelos resultados

results = browser.find_elements_by_class_name(“r”)

# para cada resultado (<div>) procura a ancora (<a>) que contem o link da pagina

print(“* {} primeiros resultados para a busca ‘{}’:”.format(len(results), query))

for index, r in enumerate(results):

        link = r.find_elements_by_tag_name(“a”)[0].get_attribute(“href”)

        print(\t{:2d}. {}”.format(index + 1, link))

# tira um print da pagina

now = datetime.now().strftime(‘%Y-%m-%d_%H-%M-%S’)

browser.save_screenshot(‘search_screenshot-{}.png’.format(now))

# fecha a sessao com o browser

browser.quit()

        Para rodar o exemplo utilize o comando $ python gsearch.py

        Agora é só usar e abusar da criatividade para automatizar as tarefas do seu dia a dia no browser: procure pelo preço de algum produto em múltiplas lojas simultaneamente ou verifique se saiu um novo episódio da sua série preferida – é com você! 🙂

Dica: usuários Linux podem fazer uso do cron para agendar a execução de scripts!

Hora dos testes!

        Com o Selenium é possível reproduzir todo o test suite de um sistema no ambiente real onde a aplicação web está rodando. Existem diferentes tipos de casos de teste que podem ser realizados com o apoio da ferramenta. Nesse exemplo iremos utilizar o Selenium em conjunto com o framework para testes unitários do Python, o unittest. O unittest é inspirado no famoso JUnit e está incluído como um módulo nativo na biblioteca padrão do Python.

Vamos definir dois testes, um teste para validar a abertura do menu ‘Publicações’ no site do PET-SI e outro para verificar se a busca por ‘PET Redação’ retorna algum resultado. Para tal, crie um arquivo (e.g. utest_1.py) e cole o código abaixo:

 

#!/usr/bin/env python

from selenium import webdriver

from selenium.webdriver.common.keys import Keys

from selenium.webdriver.common.by import By

import unittest

 

class PetPage(unittest.TestCase):

    def setUp(self):

        self.browser = webdriver.Firefox()

        self.browser.implicitly_wait(10)

        self.browser.get(“http://coral.ufsm.br/pet-si/”)

 

    def test_open_publicacoes_page(self):

        self.browser.find_element_by_xpath(“//a[text() = ‘Publicações’]”).click()

        self.assertIn(‘category/posts’, self.browser.current_url)

        

    def test_search(self):

        self.browser.find_element_by_xpath(“//a[text() = ‘Publicações’]”).click()

        self.search_field = self.browser.find_element_by_id(“s”)

        self.search_field.send_keys(“PET Redação”)

        self.search_field.send_keys(Keys.ENTER) # submit query

        self.assertTrue(self.is_element_on_page(By.CSS_SELECTOR, ‘div.post’))  # check for results

 

    def tearDown(self):

       self.browser.quit()

 

    def is_element_on_page(self, how, what):

        try: 

            self.browser.find_element(by=how, value=what)

        except:

            return False

        return True

 

if __name__ == ‘__main__’:

    unittest.main(verbosity=2)

 

        Rode o programa ($ python utest_1.py) e veja o resultado. Você deve ter percebido que uma nova instância do browser é aberta para cada um dos testes. Nem sempre esse comportamento é desejado (veja a necessidade da redundância nas linhas 15 e 19). Vamos melhorar um pouco nosso código fazendo uso de algumas anotações. Para tal, crie um arquivo (e.g. utest_2.py) com o código conforme segue abaixo:

 

    …

    @classmethod

    def setUpClass(inst):

        inst.browser = webdriver.Firefox()

        inst.browser.implicitly_wait(10)

        inst.browser.get(“http://coral.ufsm.br/pet-si/”)

 

    def test_01_open_publicacoes_page(self):

        self.browser.find_element_by_xpath(“//a[text() = ‘Publicações’]”).click()

        self.assertIn(‘category/posts’, self.browser.current_url)

        

    def test_02_search(self):

        # não é necessário navegar para ‘Publicações’ novamente

        self.search_field = self.browser.find_element_by_id(“s”)

        self.search_field.send_keys(“PET Redação”)

        self.search_field.send_keys(Keys.ENTER) # submit query

        self.assertTrue(self.is_element_on_page(By.CSS_SELECTOR, ‘div.post’))   # check for results

 

    @classmethod

    def tearDownClass(inst):

       inst.browser.quit()

   …

        Rode o código ($ python utest_2.py) e veja o resultado. É importante notar que os testes são executados de acordo com seus nomes (ordenação de strings padrão do Python – alfabeticamente + numericamente), por isso a adição do número do teste (01 e 02) garante a ordem de execução. É claro que isso é apenas uma alternativa, nestes casos seria mais inteligente não criar métodos independentes e sim um único caso de teste.

Por onde continuar?!

        O Selenium possui diversas funcionalidades a serem exploradas, nessa redação apenas fizemos um overview geral da ferramenta. Aos interessados, seguem alguns tópicos para prosseguir os estudos na linha de testes automatizados:

  • Behavior Driven Development: escreva cenários de testes poderosos e elegantes com o Cucumber (para Python veja o Behave).
  • Selendroid: automatização de testes para aplicativos Android (nativos ou híbridos);
  • castro: gravação da execução dos testes (muito útil em ambientes em que é necessário apurar a razão da falha de algum caso de teste);
  • Robot FrameworkAcceptance test-driven development (ATDD) e Robotic process automation (RPA).

 

 

REFERÊNCIAS

  • SeleniumHQ. Selenium Documentation. (link)
  • Python. unittest — Unit testing framework. (link)
  • Read the Docs. Selenium with Python. (link)
  • TechBeamers. Build A Selenium Python Test Suite From Scratch Using Unittest. (link)
  • TechBeamers. Selenium Webdriver – 20 Coding Tips to Improve Quality. (link)
  • CherCher Tech. Python Unittest Selenium. (link)
  • DevMedia. Dominando o Selenium Web Driver na prática. (link)
  • Medium. Top Tutorials To Learn Selenium For Beginners. (link)
  • Medium. BDD, Cucumber and Selenium WebDriver based Test Automation Framework in Python. (link)
  • IBM. Automated testing with Selenium and Cucumber. (link)
  • The Tara Nights. Google Search Using Selenium And Python – Selenium Python Basics. (link)
  • Sauce Labs. Selenium Tips: CSS Selectors. (link)
  • Sauce Labs. Getting Started with Selenium for Automated Website Testing. (link)
Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-791-2666

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes