Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

CE é finalista do 4º Prêmio de Boas Práticas da CGU

Ferramenta foi apresentada a auditores em outubro

Pelo segundo ano consecutivo, o Centro de Educação da Universidade Federal de Santa Maria é finalista do Concurso de Boas Práticas da Controladoria Geral da União. O centro concorre com a ferramenta “Gestão Estratégica Integrada e Transparente”.

No dia 24 de outubro, o centro recebeu a visita de três auditores da CGU, responsáveis por verificar a aplicação da ferramenta. O instrumento foi apresentado pelo diretor do Núcleo de Execução e Controle Orçamentário, Rodrigo Rorato, no auditório do Lince.

O Concurso de Boas Práticas da CGU tem o objetivo de estimular, reconhecer e premiar iniciativas de órgãos públicos que visem a melhoria da gestão. O Centro de Educação concorre com sete outros entes públicos, como DNIT e EBSERH, na categoria Promoção da Transparência Ativa ou Passiva, e é a primeira unidade da UFSM a criar uma ferramenta de controle orçamentário em tempo real.

A ferramenta, desenvolvida pelo Núcleo de Execução Controle Orçamentário em 2014, disponibiliza online, por meio do Google Drive, o controle orçamentário do centro, dividido por unidades setoriais, bem como a planilha de gastos e atos normativos do centro. Como as informações estão disponibilizadas na nuvem, cada unidade setorial (departamentos, coordenações e núcleos) pode visualizar e gerir seus recursos. O instrumento já foi reconhecido por dois prêmios nacionais: foi finalista do Concurso de Boas Práticas da CGU 2015 e um dos vencedores do Prêmio Conip de Gestão Pública 2015.

Em 2016, a ferramenta foi aprimorada com o acréscimo da tabela “Projeção de Cenários de Despesas” que, a partir do orçamento aplicado em 2015 e 2016, projeta cenários otimistas e pessimistas para o ano seguinte, auxiliando no planejamento dos gestores.

“Neste ano, vamos enfatizar o planejamento e a diminuição de gastos. Com a implantação da ferramenta, já verificamos uma diminuição de gastos com correio, passagens e diárias, despesas que passaram a ser geridas por cada unidade setorial”, aponta Rodrigo Rorato.

Para a diretora do Centro de Educação, Helenise Sangoi Antunes, a indicação já é uma vitória. “É uma conquista da comunidade do Centro de Educação que avança no sentido da transparência dos seus atos financeiros. Estamos a cada ano aprimorando mais a ferramenta”, pontuou.

Saiba mais
Em 2016, o concurso da CGU traz cinco categorias: fortalecimento dos controles internos administrativos; aprimoramento das auditorias internas; promoção da transparência ativa e/ou passiva; aprimoramento das atividades de ouvidoria; e aprimoramento das apurações disciplinares e de responsabilização de entes privados. Serão premiadas as três melhores práticas em cada categoria, avaliadas segundo critérios previamente estabelecidos, como criatividade e inovação, custo-benefício, impactos da iniciativa/contribuição para a efetividade, simplicidade e replicabilidade. Cada órgão ou entidade pode inscrever até uma experiência por categoria. Conheça os finalistas.