Ir para o conteúdo Coronavírus - COVID-19 Ir para o menu Coronavírus - COVID-19 Ir para a busca no site Coronavírus - COVID-19 Ir para o rodapé Coronavírus - COVID-19
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

OBSERVATÓRIO DE INFORMAÇÕES EM SAÚDE

Este observatório tem o objetivo de fornecer dados e informações diárias sobre a COVID-19 e auxiliar no monitoramento e planejamento das ações em saúde pública para o combate à pandemia

NOTAS

  • A COVID-19 (termo em inglês que significa Corona Virus Disease 2019) é uma doença infecciosa respiratória causada pelo coronavírus SARS-CoV-2. O quadro clínico pode variar de infecções assintomáticas a infecções respiratórias graves.
  • É possível haver um número significativo de pessoas com coronavírus, mas sem apresentar sintomas ou com sintomas leves. Estas pessoas, ao continuarem circulando e tendo contatos sem cuidados mínimos, tanto com superfícies quanto com outras pessoas, podem transmitir o vírus.
  • O distanciamento e o isolamento social são as medidas mais indicadas para conter a disseminação da doença, uma vez que não há vacina ou medicamento para o combate efetivo até o momento.
  • Podem ocorrer eventuais divergências entre as plataformas de informação uma vez que os dados são originados de fontes diferentes e não são consolidados ao mesmo tempo. Além disso, há a possibilidade de panes nos sistemas de informação.
  • No Brasil existe subnotificação do número real de casos, uma vez que a testagem é muito pequena. Também existe atraso na confirmação de óbitos por COVID-19.

O Observatório de Informações em Saúde da Universidade Federal de Santa Maria está conduzindo uma pesquisa intitulada “IMPACTO DA COVID-19 EM PESSOAS”. O estudo está sob coordenação dos Professores Adriane Pasqualoto, Isabella Albuquerque e Luis Felipe Dias Lopes e tem como objetivo investigar os impactos da Covid-19 na saúde da pessoa após ter sido contaminada pelo vírus.

Convidamos todas e todos para preencher o QUESTIONÁRIO.

 OS CUIDADOS DEVEM CONTINUAR:

  1. Uso correto de máscara;
  2. Distanciamento físico interpessoal mínimo de 1,5m;
  3. Higienização frequente das mãos;
  4. Manter ambientes bem arejados.

BOLETIM DE HOSPITALIZAÇÕES no RS

10/05/2021

  • – A taxa de ocupação está em 78%.
  • – Ontem, o número de internados Suspeitos e Confirmados em Leito Clínico e UTI apresentou aumento de 109, sendo 88 em Leito Clínico e 21 UTIs.
  • – Ontem, o número de internados em leitos clínicos confirmados com Covid-19 aumentou, variando de 1863 para 1917. O número de suspeitos variou de 345 para 379. Na semana, acumula-se redução de 130 confirmados e aumento de 6 suspeitos.
  • – Nos leitos de UTI, aumentou o número de confirmados ontem, passando de 1585 para 1596. O número de suspeitos variou de 99 para 109. Na semana, há redução de 145 confirmados e 23 suspeitos.
  • O Estado conta atualmente com 744 leitos de UTI livres. Com isso, a razão de leitos livres para cada ocupado por Covid no RS se encontra em 0,47 e taxa de ocupação das UTI em 78%, havendo gradual aumento do atendimento a pacientes não-covid.
  • – Na UTI, as Macrorregiões Missioneira (+13) e Norte (+5) acumulam aumento de pacientes confirmados na semana.
  • – Nos Leitos Clínicos, as Macrorregiões Missioneira (+15) e Sul (+14) apresentam aumento de pacientes confirmados na semana.
  • Fonte: Boletim de Hospitalizações: http://https://bit.ly/boletim_hosp_RS

BOLETIM DE CASOS no RS – BRASIL – MUNDO

10/05/2021

Mundo

  • – A média móvel de casos confirmados no RS apresenta lenta redução, mas permanece em patamar elevado. Em patamar ainda mais elevado, o Uruguai apresentou redução nos últimos dias. O Brasil, também em patamar elevado, apresenta relativa estabilidade. Alemanha, Canadá e EUA, ainda em nível inferior, conseguiram controlar o aumento de casos. A Itália desacelera recorrentemente. A França, após aceleração abrupta, apresenta redução recorrente nos casos. Reino Unido e Portugal mantêm níveis mais baixos.
  • – A média móvel de óbitos no RS permanece alta tendo sido ultrapassada pelo avanço bastante rápido no Uruguai. No Brasil, a média cai desde 11 de Abril, embora em patamares ainda elevados.
  • – Dentre as regiões próximas ao RS, há elevação recente na média de óbitos como proporção da população no Uruguai, Paraguai e Argentina. 

Brasil

  • – Na segunda quinzena de fevereiro, os 3 estados do sul apresentaram aumento expressivo na média móvel de casos como proporção da população, avanço interrompido próximo ao dia 10 de março, quando se iniciou um processo de redução estendido até o dia 04 de abril. A partir de então apresenta-se relativa estabilidade. No PR, há uma elevação nos últimos 15 dias.
  • – A média móvel de óbitos nos 3 estados do Sul também apresentou aumento expressivo em fevereiro e março e apresentou queda durante o mês de Abril. Nos últimos dias a queda tem ficado cada vez mais lenta. No PR, há uma elevação da média móvel de 7 dias.
  • – PR (10,3), RJ (9,2) e MS (8,9) apresentam a maior média móvel de óbitos por 100 mil hab. do país. O RS, com 7,3, apresenta a 12ª maior média.
  • O RS apresenta a 8ª maior taxa de mortalidade acumulada de óbitos (228 por 100 mil hab). Com a inclusão de 32 registros ontem, o estado chegou a 25.933 óbitos, com a média semanal de 118 óbitos incluídos por dia e redução semanal de 10,8%.

Fonte: Boletim de Casos: https://bit.ly/boletimcovid19-rs