Ir para o conteúdo POSCOM Ir para o menu POSCOM Ir para a busca no site POSCOM Ir para o rodapé POSCOM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Pesquisadores do POSCOM lançam livro sobre as manifestações de junho de 2013



O livro “Das ruas à mídia: representação das manifestações sociais” será lançado no dia 27 de agosto, às 18h30min, na livraria Athena (Floriano Peixoto, 1112) em Santa Maria. A obra organizada pela Profa. Dra. Maria Ivete Trevisan Fossá (UFSM), reúne trabalhos de integrantes do Grupo de Pesquisa em Comunicação Institucional e Organizacional da UFSM: Fabiana Pereira, Fabrise Muller, Julio Cesar Scheid, Kalliandra Quevedo Conrad, Patricia Franck Pichler, Patrícia Milano Pérsigo, Rafaela Caetano Pinto, Ranice Hoehr Pedrazzi Pozzer e Taisa Dalla Valle. Ainda participa do livro como convidado especial, o Prof. Dr. Márcio Simeone Henriques, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A proposta do trabalho é apresentar os contornos das manifestações de junho de 2013, e o tratamento dado ao assunto nos diferentes meios de comunicação do Brasil e do Exterior. O movimento popular- também conhecido como “jornadas de junho” e “manifestações dos 20 centavos”- foi organizado pelas redes sociais e levou milhares de pessoas às ruas para protestar por melhorias nos serviços públicos. “Em um primeiro momento, despertou-nos uma curiosidade com relação à comoção e ao envolvimento das pessoas em torno de causas que se tornaram nacionais. Em questão de dias, pessoas que viviam em seus afazeres e deveres tornaram-se atores que se uniram a partir de recurso imateriais, como a cooperação e a comunicação também materializada”, lembra a professora Maria Ivete Trevisan Fossá.

A obra está estruturada em duas partes. Primeiro, são apresentadas as perspectivas teóricas da comunicação midiática e das representações sociais que, posteriormente, são relacionadas com a prática. Entre as questões destacadas, estão os aspectos sensacionalistas e de caráter público da cobertura, a forma como as manifestações foram tratadas nas mídias massiva/alternativa e a relação entre a cobertura nacional e internacional. Esses e outros pontos foram analisados a partir da ideia de que acontecimentos de grande repercussão precisam de um olhar diferenciado. Nesses casos, segundo a organizadora do livro, é preciso compreender o jogo ideológico que envolve a cobertura. Para isso, é fundamental identificar, por exemplo, “o lugar de fala das reportagens, a identidade de cada veículo, a carga de interesses presentes nas escolhas realizadas entre mostrar ou falar disso e daquilo, a escolha das fontes e das editorias”, conclui a professora.

O livro está sendo comercializado nas versões impressa e digital, através do site da EdiPUCRS.


Publicações Recentes