Ir para o conteúdo PRE Ir para o menu PRE Ir para a busca no site PRE Ir para o rodapé PRE
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Ação na Antiga Reitoria promove assistência em saúde mental à sociedade

O Espaço Nise da Silveira & AFAB está localizado na sala 510 do prédio, no centro de Santa Maria



Setembro é reconhecido nacionalmente como um mês dedicado à saúde mental. Ampliando esse marco simbólico, algumas instituições trabalham com o tema regularmente. Esse é o caso do Espaço Nise da Silveira & Associação de Familiares, Amigos e Bipolares (AFAB), Programa de Extensão da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) que há 25 anos proporciona atenção psicossocial à população. A iniciativa está entre as dez ações contempladas com uma sala no Espaço de Ações Comunitárias e Empreendedoras (Antiga Reitoria), no centro de Santa Maria (RS).

Fundada em 1997, a AFAB contou com duas sedes anteriores: o Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) e o Antigo Hospital Universitário. No edifício da Antiga Reitoria, a instituição beneficente ocupa a sala 510 e funciona nas tardes de segunda a sexta-feira. Martha Noal, médica psiquiatra e coordenadora do programa, explica que a localização central aproxima a comunidade santa-mariense, facilitando o acesso, fomentando a inclusão e contribuindo para a quebra de estigma. “Entrar em um prédio da UFSM é um orgulho para o grupo. A Antiga Reitoria é um lugar de produção de vida, cultura e integração – no nosso caso, um local de produção de saúde. O ambiente gera alívio, conforto e segurança”, relata.

O Espaço Nise da Silveira & AFAB busca gerar acolhimento, educação em saúde mental e prevenção de doenças, por meio de atividades que visam a troca de experiências, a psicoeducação e o suporte mútuo entre os associados. Além da coordenadora, os participantes, familiares e amigos contribuem de forma voluntária. Ao longo de sua história, a iniciativa reuniu mais de 400 sócios. Atualmente, mantém cerca de 50 pessoas ativas. O público corresponde a adultos com algum tipo de demanda psíquica, residentes em qualquer região, ao passo que os encontros acontecem em modalidade presencial, híbrida e remota. 

Vânia Lucia Loro, 51 anos, é natural de Santa Maria e comparece às reuniões no espaço na Antiga Reitoria. “Quando há alguém precisando de apoio, todos nós nos voltamos a essa pessoa, tentando ajudar e buscar alternativas para que ela possa tirar um bom proveito do grupo”, relata. Integrante há cerca de cinco anos, ela conta que a ação foi um marco em sua vida, alusiva ao crescimento pessoal. “O programa foi um ponto de referência, pelo qual comecei a melhorar, me analisar, ter mais autocuidado e maior convívio com as pessoas”, expressa.

Gefran Filho, 37 anos, reside em Maceió (AL) e participa a distância do programa há cerca de três anos. “O ambiente on-line é muito saudável, de companheirismo e de ajuda”, conta. Para ele, a proposta do grupo terapêutico trouxe um revigoramento de sua vida e de suas metas. “Agradeço ao Espaço Nise da Silveira & AFAB e à UFSM por oportunizar o pertencimento a um projeto que resgata e salva vidas”, acrescenta. Ele define a ação como um espaço de cuidado, respeito, potência e mudança. “A partir do momento em que temos noções sobre quem somos, que reconhecemos nossos direitos e que percebemos que a vida continua, nos tornamos cidadãos melhores. Deixei de vivenciar o meu diagnóstico para passar a viver a minha cidadania”, completa.

Martha ressalta que o espaço foca o empoderamento, o protagonismo e o pertencimento, além de considerar a ideia da horizontalidade de saberes e poderes. “Trabalhamos com suporte de pares, uma estratégia interacional anglo-saxã de intervenção em saúde mental. Os associados são pares entre si, afinal, uma pessoa com vivências em saúde mental pode ajudar outra que possui alguma demanda nesse sentido, a partir de sua experiência”, explica. Segundo ela, as práticas também têm como base a lógica do recovery, termo importado que é traduzido pela coordenadora como superação. “Trata-se da humanização: olhamos a pessoa como pessoa, não como diagnóstico. Não falamos em cura, até porque algumas doenças não possuem. Portanto, o que nos interessa é a superação e o empoderamento, no sentido da educação emocional. A base é poder resgatar a saúde psíquica e a partir daí resgatar outras coisas, como a cidadania e a reinserção no trabalho e nos estudos”, descreve.

Dentre as atividades do programa, estão: Grupos Terapêuticos; Projeto Comunidade de Fala; CineMental; Projeto de Extensão Promoção da Vida e Prevenção do Suicídio; Ponto de Leitura Sérgio Walter; Congressos; Fórum Permanente de Saúde Mental da Região Central; Oficina de Karaokê; Visitas Guiadas; Grupo de Testemunhos; Grupo Redes de Afetos; Participação ativa no Grupo de Trabalho Integrado de Enfrentamento às Violências; Criação e Manutenção de um Canal no Youtube; Projeto Re/conhecendo Práticas em Saúde Mental; e Rodas de Conversa. Quanto às práticas futuras, Martha aponta que os planos consistem em fortalecer e expandir a ação, a fim de criar novas propostas, parcerias, capacitações, bem como auxiliar no fomento de políticas públicas.

 

Espaço Nise da Silveira & AFAB

Endereço: Antiga Reitoria, sala 510. R. Floriano Peixoto, 1184. Centro, Santa Maria (RS)

Expediente: segunda a sexta-feira, das 14h às 18h

Contato para agendamentos: (55) 3220-9238

Email: afabsm@gmail.com

Facebook: facebook.com/AFABSM

 

Texto e Fotos: Anna Júlia da Silva | Pró-Reitoria de Extensão UFSM

Edição: Camila Steinhorst | Pró-Reitoria de Extensão UFSM

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-346-7052

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes