Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

GEEUM@ no acolhimento de Mulheres Vítimas de Violência Doméstica

COORDENADORA: PROFª.DRA. NIKELEN ACOSTA WITTER

O GEEUM@ pretende atuar no acolhimento das mulheres que chegam à Vara de Violência Doméstica em busca de atendimento. Estas, ficam durante muitas horas, aguardando suas audiências. Com um espaço cedido dentro do Fórum, a atuação buscará proporcionar a essas mulheres –ao longo desse tempo de espera e conforme seu interesse –um ambiente lúdico para troca de saberes, partindo do artesanato (que para elas pode representar a aquisição de uma atividade econômica), indo para o amparo fornecido pelos conhecimentos do grupo em literatura, poesia, história, filosofia e sociologia.

A proposta lúdica vem no sentido de não tornar maçante esse tempo de espera com palestras não pedidas ou qualquer atividade em que essas mulheres não tenham voz. O GEEUM@ é um grupo de estudos e extensão que sempre pautou suas atividades pela diversidade e pela escuta de mulheres vinda das mais diferentes realidades. A proposta vem com o intuito de somar essa atividadeàs outras já levadas à cabo pelo Programa, num momento político e social no qual é preciso unir forças e espalhar o conhecimento sobre assuntos que o sensacionalismo e o desconhecimento acabam por tornar polêmicos.

O resultado esperado é que o trabalho resulte em conforto e empoderamento para essas mulheres em situação de vulnerabilidade. Daí a presença de professoras e acadêmicas/os de diferentes cursos, no mais amplo sentido da transdiciplinariedade para dar conta das complexidades em que se encontram essas mulheres e suas famílias. Não se trata de um resultado que possa ser quantificado. Não se pode quantificar o amparo, mas para pessoas, muitas vezes, mergulhadas em uma realidade em que falta tudo, um ombro, uma escuta, uma troca de saberes pode ter um valor inestimável. De acordo com a 6ª Defensoria Pública, podem ser atingidas entre 500 a 1000 mulheres ao longo do ano.

Para acessar o Projeto no Portal de Projetos da UFSM, clique aqui.