Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

Projeto RELona: reaproveitando o lixo e educando ambientalmente

 O Projeto RELona é um projeto de extensão da área do meio ambiente coordenado pela professora Marta Tocchetto, cuja premissa é o reaproveitamento de lonas de banners. No projeto, desenvolvem-se atividades como a confecção de sacolas e outros objetos a partir dos banners e oficinas semanais, que são realizadas na AAPECAN (Associação de Apoio a Pessoa com Câncer – Santa Maria).

O projeto, que conta com a participação de alunos de graduação e voluntários, também visa oferecer possibilidade de geração de renda e auxílio emocional para as pessoas que estão em tratamento do câncer ou acompanhamento familiar. Dessa forma, o trabalho cumpre seu papel social, ambiental e também com a instituição. Os produtos confeccionados são destinados à Universidade Federal de Santa Maria, eventos e outros projetos socioambientais.

As sacolas são uma forma de educar ambientalmente a sociedade e mostrar que a visão que os indivíduos têm do lixo é muito aquém das possibilidades de valorização dos materiais, além de apresentar uma nova perspectiva do trabalho com a química e o meio ambiente, pois muitos acreditam que o trabalho científico das áreas tecnológicas se restringe apenas a medições com equipamentos e rotinas de laboratório.

Até o momento, o RELona já foi reconhecido em diversas instituições de Santa Maria e do estado do Rio Grande do Sul. O projeto também já foi pauta do programa “Como será” da Rede Globo e conquistou o prêmio NET Impact Porto Alegre (ONG internacional), que premia o intraempreendedorismo sustentável. As expectativas para o futuro do projeto RELona são em relação à ampliação da visão coletiva e a redução das desigualdades sociais, de modo que os sujeitos possam se sentir responsável pelo espaço em que interagem e possam vê-lo como suas casas.

A coordenadora do projeto ainda espera que a questão ambiental permeie as políticas de ensino, extensão e pesquisa da UFSM, de modo que o conceito de sustentabilidade possa ser usado não como slogan, mas de fato aplicado ao convívio em sociedade.

 

Texto por: J. Antônio de Souza Buere, acadêmico de Comunicação Social – Produção Editorial e bolsista do Núcleo de Divulgação Institucional do CCNE

Edição: Wellington Gonçalves, relações públicas do Núcleo de Divulgação Institucional do CCNE