Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

MusicDay de maio traz temática do Dia do Trabalhador e em Defesa das Instituições de Formação e Qualificação de Trabalhadores



Na sua edição de maio, realizada no dia 27, o MusicDay trouxe a temática do Dia do Trabalhador e em Defesa das Instituições de Formação e Qualificação de Trabalhadores. A temática foi escolhida com o objetivo de incitar uma reflexão dos estudantes sobre o dia do trabalhador e a relevância dos trabalhadores, bem como instigar sua percepção sobre os mais diferentes tipos de atividades laborais, muitas quase invisíveis e desvalorizadas socialmente, mas que possuem uma grande importância na construção da sociedade. Buscou também fomentar a reflexão crítica sobre a relevância das instituições de formação e qualificação de trabalhadores.

Dentre as atividades realizadas, houve uma roda de conversa sobre a temática, com participação da professora de sociologia do CTISM, Camila Farias, e do ex-professor de sociologia do Colégio, Guilherme Elwanger. Durante a conversa foram promovidas reflexões sobre as relações de trabalho atuais no cenário brasileiro, reforma de previdência, e discussões sobre a mulher no mercado de trabalho.

O MusicDay é destinado a estudantes dos cursos integrados do CTISM e a toda a comunidade escolar e todos que estiveram presentes no auditório do Colégio no dia 27 também puderam prestigiar as apresentações musicais de professores, servidores e alunos do CTISM e a divulgação do resultado do concurso de fotografia, lançado no dia 1 de maio, com a temática “Representação de Trabalhadores(as): um olhar dos estudantes do CTISM”.

A vencedora do concurso foi a estudante da turma de terceiro ano do Curso Técnico em Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio, Manuela Nunes Pereira. A foto vencedora, intitulada “Quem mal vê, mal entende: a valorização do trabalho doméstico”, foi descrita por Manuela como: “A foto tem como objetivo apreciar um trabalho pouco valorizado em nossa sociedade: o de empregada doméstica. Traz uma reflexão sobre o que essa categoria possui de relevância em nosso país e nas pessoas que a exercem, suas batalhas e forças para se inserirem dentro de um mercado de trabalho preconceituoso que mal vê sua profissão”. As fotos foram avaliadas às cegas pelas professoras do CTISM Jacqueline Myanaki e Tatiana Guerche.

Foto vencedora do concurso de fotografia. Título: “Quem mal vê, mal entende: a valorização do trabalho doméstico”. Por: Manuela Nunes Pereira.

 



Publicações Recentes